Oração à Nossa Senhora Aparecida

outubro 12, 2013

Virgem Aparecida

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ó incomparável Senhora da Conceição Aparecida,
Mãe de Deus, Rainha dos Anjos,
Advogada dos pecadores,
refúgio e consolação dos aflitos e atribulados,
Virgem Santíssima,
cheia de poder e de bondade,
lançai sobre nós um olhar favorável,
para que sejamos socorridos por vós,
em todas as necessidades em que nos acharmos.
Lembrai-vos, ó clementíssima Mãe Aparecida,
que nunca se ouviu dizer
que algum daqueles que têm a vós recorrido,
invocado vosso santíssimo nome
e implorado a vossa singular proteção,
fosse por vós abandonado.
Animados com esta confiança,
a vós recorremos.
Tomamo-vos para sempre por nossa Mãe,
nossa protetora, consolação e guia,
esperança e luz na hora da morte.
Livrai-nos de tudo o que possa ofender-vos
e ao vosso Santíssimo Filho, Jesus.
Preservai-nos de todos os perigos
da alma e do corpo;
dirigi-nos em todos os assuntos espirituais e temporais.
Livrai-nos da tentação do demônio,
para que, trilhando o caminho da virtude,
possamos um dia ver-vos e amar-vos
na eterna glória, por todos os séculos dos séculos. Amém..


O CONSTRUTOR DE PONTES

dezembro 17, 2012

Ponte de madeira

Dois irmãos que moravam em fazendas vizinhas, separadas apenas por um riacho, entraram em conflito.

Foi a primeira grande desavença em toda uma vida de trabalho lado a lado. Mas agora tudo havia mudado.

O que começou com um pequeno mal-entendido, finalmente explodiu numa troca de palavras ríspidas, seguidas por semanas de total silêncio .

Numa manhã, o irmão mais velho ouviu baterem à sua porta. Abriu-a e se deparou com um homem que lhe disse: – Estou procurando trabalho. Talvez você tenha algum serviço para mim…

– Sim, disse o fazendeiro. Claro! Vê aquela fazenda ali, além do riacho? É do meu vizinho. Na realidade é do meu irmão mais novo. Nós brigamos e não posso mais suportá-lo. Vê aquela pilha de madeira ali no celeiro? Pois use para construir uma cerca bem alta.

– Acho que entendo a situação, disse o carpinteiro. Mostre-me onde estão a pá e os pregos. O irmão mais velho entregou o material e foi para a cidade. O homem ficou ali cortando, medindo, trabalhando o dia inteiro.

Quando o fazendeiro chegou, não acreditou no que viu: em vez de cerca, uma ponte foi construída ali, ligando as duas margens do riacho. Era um belo trabalho, mas o fazendeiro ficou enfurecido e falou: – Você foi atrevido construindo essa ponte, depois de tudo que lhe contei.

Mas as surpresas não pararam aí. Ao olhar novamente para a ponte viu o seu irmão se aproximando de braços abertos. Por um instante permaneceu imóvel do seu lado do rio .

O irmão mais novo então falou: – Você realmente foi muito amigo construindo esta ponte mesmo depois de tudo o que eu lhe disse. De repente, num só impulso, o irmão mais velho correu na direção do outro e abraçaram-se, chorando no meio da ponte.

O carpinteiro que fez o trabalho já ia partindo com sua caixa de ferramentas. – Espere, fique conosco! Tenho outros trabalhos para você. E o carpinteiro respondeu: – Eu adoraria, mas tenho outras pontes a construir…


A Casa Queimada

junho 26, 2012

Bom Dia!

Hoje, envio pra vocês, mais uma daquelas estórias bem legais pra gente meditar em como muitas vezes algo aparentemente negativo, pode ser a porta e o sinal de que algo muito bom irá acontecer.

Abraço fraterno,

Fabiana Paula

Foto de Arquivo (foto ASF)

A Casa Queimada

Um certo homem saiu em uma viagem de avião. Era um homem temente a Deus, e sabia que Deus o protegeria. Durante a viagem, quando sobrevoavam o mar um dos motores falhou e o piloto teve que fazer um pouso forçado no oceano..

Quase todos morreram, mas o homem conseguiu agarrar-se a alguma coisa que o conservasse em cima da água.

Ficou boiando à deriva durante muito tempo até que chegou a uma ilha não habitada. Ao chegar à praia, cansado, porém vivo, agradeceu a Deus por este livramento maravilhoso da morte.

Ele conseguiu se alimentar de peixes e ervas. Conseguiu derrubar algumas árvores e com muito esforço conseguiu construir uma casinha para ele.

Não era bem uma casa, mas um abrigo tosco, com paus e folhas. Porém significava proteção. Ele ficou todo satisfeito e mais uma vez agradeceu a Deus, porque agora podia dormir sem medo dos animais selvagens que talvez pudessem existir na ilha.

Um dia, ele estava pescando e quando terminou, havia apanhado muitos peixes. Assim com comida abundante, estava satisfeito com o resultado da pesca.

Porém, ao voltar-se na direção de sua casa, qual tamanha não foi sua decepção, ao ver sua casa toda incendiada. Ele se sentou em uma pedra chorando e dizendo em prantos:

“Deus! Como é que o Senhor podia deixar isto acontecer comigo?

O Senhor sabe que eu preciso muito desta casa para poder me abrigar, e o Senhor deixou minha casa se queimar todinha. Deus, o Senhor não tem compaixão de mim?”

Neste mesmo momento uma mão pousou no seu ombro e ele ouviu
uma voz dizendo:

“Vamos rapaz?”

Ele se virou para ver quem estava falando com ele, e qual não foi sua surpresa
quando viu em sua frente um marinheiro todo fardado e dizendo:

“Vamos rapaz, nós viemos te buscar”

“Mas como é possível? Como vocês souberam que eu estava aqui?”

“Ora, amigo! Vimos os seus sinais de fumaça pedindo socorro.

O capitão ordenou que o navio parasse e me mandou vir lhe buscar naquele
barco ali adiante.”

MORAL DA HISTÓRIA

É comum nos sentirmos desencorajados e até mesmo desesperados quando as
coisas vão mal. Mas Deus age em nosso benefício, mesmo nos momentos de dor e sofrimento.

Lembrem-se:
Se algum dia o seu único abrigo estiver em chamas, esse pode ser o sinal
de fumaça que fará chegar até você a Graça Divina.

Para cada pensamento negativo nosso, Deus tem uma resposta positiva..

Confie, Creia, Espere e antes de tudo, acolhe todas as coisas, lembrando sempre que:

“Tudo concorre para o bem daqueles que amam o Senhor”! (Rm 8.29)


Corpus Christi

junho 23, 2011

Corpo e Sangue do Senhor!

Hoje é o dia dedicado ao Corpo e Sangue de nosso Senhor.

Corpus Christi (expressão latina significa Corpo de Cristo) é uma festa que celebra a presença real e substancial de Cristo na Eucaristia.

Fazendo uma pesquisa sobre o tema achei coisas bem interessantes que quero partilhar com vocês e envio também um link da Canção “Meu Tudo”, que está no meu CD “Mãos de Oleiro”, gravado pela Comunidade Obra de Maria.

Um forte abraço e que Jesus, nosso Deus querido e amado, continue sendo adorado em nosso coração e em nossas vidas!

Fiquem com Deus!

Fabiana Paula

História da Festa de Corpus Christi

A partir da oficialização, a Festa de Corpus Christi passou a ser celebrada todos os anos na primeira quinta-feira após o domingo da Santíssima Trindade. A celebração normalmente tem início com a missa, seguida pela procissão pelas ruas da cidade, que se encerra com a bênção do Santíssimo. Recomenda-se a todo católico participar dessa Procissão por ser a mais importante de todas, pois é a única onde o próprio Senhor sai às ruas para abençoar as pessoas, as famílias e a cidade. Em muitos lugares criou-se o belo costume de enfeitar as casas com oratórios e flores e as ruas com tapetes ornamentados, tudo em honra do Senhor que vem visitar o seu povo. Tudo isto tem muito sentido e deve ser preservado. Começaram assim as grandes procissões eucarísticas e também o culto a Jesus Sacramentado foi incrementado no mundo todo através das adorações solenes, das visitas mais assíduas às Igrejas e da multiplicação das bênçãos com o Santíssimo no ostensório por entre cânticos cada vez mais admiráveis. Surgiram também os Congressos Eucarísticos, as Quarenta Horas de Adoração e inúmeras outras homenagens a Jesus na Eucaristia. Muitos se converteram e todo o mundo católico. O culto eucarístico não começou no século XIII, pois começou desde o Cenáculo, quando Jesus instituiu a sagrada Eucaristia. Mas faltava, porém, uma festa especial para agradecer ao “Prisioneiro dos Sacrários” esta presença inefável que o faz contemporâneo de todas as gerações cristãs. Era necessário, realmente, uma data distinta para que se manifestasse um culto especial ao Corpo e Sangue de Cristo, atraindo d’Ele novas graças e bênçãos para os que caminham neste mundo.

 As procissões

Nenhum dos decretos fala da procissão com o Santíssimo como um aspecto da celebração. Porém estas procissões foram dotadas de indulgências pelos Papas Martinho V e Eugênio IV, e se fizeram bastante comuns a partir do século XIV. A festa foi aceita em Cologne em 1306; em Worms a adoptaram em 1315; em Strasburg em 1316. Na Inglaterra foi introduzida da Bélgica entre 1320 e 1325. Nos Estados Unidos e nos outros países a solenidade era celebrada no domingo depois do domingo da Santíssima Trindade. Na Igreja grega a festa de Corpus Christi é conhecida nos calendários dos sírios, armênios, coptos, melquitas e os rutínios da Galícia, Calábria e Sicília. Finalmente, o Concílio de Trento declara que muito piedosa e religiosamente foi introduzida na Igreja de Deus o costume, que todos os anos, determinado dia festivo, seja celebrado este excelso e venerável sacramento com singular veneração e solenidade; e reverente e honorificamente seja levado em procissão pelas ruas e lugares públicos. Nisto os cristãos expressam sua gratidão e memória por tão inefável e verdadeiramente divino benefício, pelo qual se faz novamente presente a vitória e triunfo sobre a morte e ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Fonte: Professor Felipe Aquino – felipeaquino@cancaonova.com


Nossa Senhora de Lourdes, Rogai por nós!

fevereiro 11, 2011

Eu na saída das piscinas, após ser lavada pelas águas milagrosas de Lourdes.

Oi gente, Paz ao coração de todos!

Hoje, sexta-feira, dia 11 de fevereiro de 2011, dia de Nossa Senhora de Lourdes, não poderia deixar de escrever um post sobre Nossa Mãe Maria.

Em Lourdes, na França, como também nos outros santuários, Maria escolheu pessoas simples, humildes, de coração puro, para aparecer, para revelar as mensagens de seu filho Jesus e Bernadete foi essa jovem, escolhida para ver a Mãe de Deus.

No dia 11 de fevereiro de 1858, a Virgem aparece na Gruta de Massebeille, num local que na época era usado para lixo, a uma menina pobre, analfabeta, que não tinha terminado nem o catecismo e que sofria por sua frágil saúde.

Maria traz como coração das mensagens a oração e a penitência.

Foram dezoito aparições e em resumo podemos escrever:

1) “Penitência, penitência, penitência!”; “rezai a Deus pela conversão dos pecadores”; além da recomendação de “beijar a terra em penitência pelos pecadores”.

2) “Ela me disse para comer a erva que se encontra no mesmo local onde eu fui beber” (em sinal de penitência), explicou Bernadete.

3) “Ide beber na fonte, e lavai-vos ali”. Havia uma fonte submersa, Nossa Senhora pede a Bernadete que cave e que a água será um sinal, que curará a muitos! A ciência já constatou, depois de demorados processos, mais de 7.000 curas inexplicáveis pela medicina. Os milagres acontecem em geral ao beber a “água de Lourdes” ou lavar-se nela, e também na benção dos doentes.

4) Mandou construir uma igreja no local: “Devem vir aqui em procissão”. É a origem da procissão das velas em Lourdes.

5) Revelou-se a Bernadete como a “Imaculada Conceição”, confirmando assim o Dogma que havia sido proclamado pela Igreja. Assim se pronunciou sua Santidade, o Papa Pio XI: “O que em Roma, pelo seu magistério infalível, o sumo pontífice definia, a Virgem Imaculada Mãe de Deus, a bendita entre as mulheres, quis, ao que parece, confïrmá-lo por sua boca, quando pouco depois se manifestou por uma célebre aparição na gruta de Massabielle”.

Minha experiência em Lourdes
Estive diversas vezes em Lourdes acompanhando grupos de Peregrinações e sempre me motiva e emociona saber que irei visitar um Santuário tão especial.

Nas primeiras vezes que fui, mesmo tendo devoção não quis tomar o banho nas piscinas, como me arrependo!!! Bem, em uma das peregrinações, não me recordo ao certo qual o ano, resolvi que iria experimentar o que tantos já tinham testemunhado como um momento de muita graça e posso dizer que realmente foi!

Antes de entrarmos para as piscinas, ficamos rezando o terço, as mulheres de um lado e os homens em outra parte. Estava muito emocionada e sabia que Maria iria interceder por todas as minhas intenções. Lourdes é o santuário da cura física,mas posso testemunhar que minha cura foi espiritual. Eu fiquei junto com senhoras americanas e até arrisquei rezar com elas o terço em inglês, mas não consegui continuar pois senti o amor de Jesus e de Maria a me inundar e não me contive, chorei muito, muito, muito e pude experimentar uma grande cura espiritual, uma libertação que não tenho nem palavras para dizer o quanto foi importante para minha caminhada. Durante o banho, recebi o carinho das voluntárias, fui banhada pela águas limpas e milagrosas e sai renovada física e espiritualmente. Nunca mais deixei de ir. Quando vou a Lourdes, não importa se no inverno ou verão, vou sempre banhar-me nas piscinas para receber as graças abundantes que Deus derrama sobre os que se dirigem com fé.

Você é convidado hoje a pedir e entregar a sua vida nas mãos de Nossa Senhora de Lourdes, da Imaculada Conceição. Entregue sua vida, seus problemas, dificuldades, suas dores, dúvidas, questionamentos, as tristezas de seu coração. Reze com fé e confie na intercessão da Virgem Mãe de Deus.

Um ótimo fim de semana a todos!
Nossa Senhora de Lourdes,
Rogai por nós!

Fraternalmente,
Fabiana Paula


Estou de volta!

outubro 20, 2009

Olá amados em Cristo Jesus, Paz e Bem ao coração de vocês!

É com imensa alegria que hoje venho partilhar um pouco dos dias intensos que vivi em minha peregrinação à Grécia , à Turquia, terminando em Roma.

Foram dias incríveis, alguns lugares  eu ainda não tinha ido, outros retornei e tive novas experiências, voltei com o coração cheio de Deus e uma admiração incrível pelo apóstolo Paulo. Muita coisa hoje devemos a ele, pois foi ele quem primeiro desbravou e lutou pela universalidade da graça concedida através de nosso Senhor Jesus Cristo.

Bem, vou destacar alguns lugares que me tocaram e deixaram impressões muito positivas.

Em Atenas, destaco na acrópoles(palavra grega que segnifica = acro = alto e Poli = cidade, ou seja, parte alta da cidade) o  areópago(onde discursavam os literatos), onde São Paulo pregou para os atenienses, onde ele falou sobre o deus desconhecido que os atenienses adoravam, argumentando que esse era o Deus que ele estava anunciando(Atos 17, 21-31). Nesse local existe uma placa no qual está escrito o discurso de Paulo ao povo de Atenas.

Também, ainda na Grécia, fomos à cidade de Corinto, um belíssimo sítio arqueológico, onde destaco as ruínas do templo de Apolo(século VI a.C.) e na ágora da cidade(a ágora era o nome que se dava às praças públicas na Grécia Antiga. Nestas praças ocorriam reuniões onde os gregos, principalmente os atenienses, discutiam assuntos ligados à vida da cidade (pólis).
As assembléias aconteciam na ágora e os gregos podiam decidir sobre temas ligados a justiça, obras públicas, leis, cultura, etc. Os cidadãos votavam e decidiam através do voto direto. Também era uma espaço público de debates para os cidadãos gregos.
A ágora também possuía finalidades religiosas (eventos, cerimônias) e econômicas (negociações, acordos econômicos, comércio de mercadorias, etc).  São Paulo pregou aos coríntios no sentido de convencê-los que o Senhor nosso Deus é o Deus verdadeiro. Em sua segunda viagem missionário, ele permaneceu lá por 18 meses, operando inúmeras conversões e fundando comunidades cristãs(Atos 18, 1-11).

Da Grécia, fomos à Turquia e a recepção foi maravilhosa! Recebemos material informativo sobre o país e os passos que São Paulo percorreu no território que hoje faz parte da Turquia, foi uma recepção calorosa da operadora que trabalha conosco lá e os brasileiros, é claro, amaram!

Visitamos Istambul, a antiga Constantinopla, uma cidade encantadora com seus grandes monumentos, patrimônio da humanidade, como a Igreja de Santa Sofia, Mesquita azul, hipódromo e os obeliscos e o local que eu mais gostei a Igreja de São Salvador em Chora,ela encontra-se hoje dentro das muralhas de Istambul, na zona denominada Edimekapi. Outrora, porém, foi construída fora da cidade. Aliás, o seu nome «Khora» significa, em grego, «fora da cidade» ou «o campo». Embora nada se saiba quanto à data da sua construção, sabe-se que estava construída fora da cidade, e que no tempo de Constantino I (324-337), havia aqui uma Capela. É por cima deste pequeno templo que Justiniano I (527-565) constrói a igreja de São Salvador de Chora, como um anexo ao mosteiro. Parcialmente danificada, recebeu também reparações e restauros em diferentes épocas.

Marcou a sua época, não só pela sua arquitetura, mas também e, sobretudo pelos seus mosaicos e afrescos. É um lugar muito belo e repleto de “tesouros” da arte. Entre os cerca de 54 mosaicos, cabe referir os principais: Jesus Pantocrátor, a Virgem Maria e os Anjos, São Pedro e São Paulo, Antepassados de Jesus, algumas cenas da vida da Virgem Maria, como o nascimento, os primeiros passos, a apresentação no templo, a sua entrega a José, a viagem a Belém, o nascimento de Jesus e a sua infância, a morte dos inocentes, e a morte da Virgem. Da vida pública de Jesus, destacamos o regresso à Nazaré, a juventude de Jesus, São João Baptista, Jesus e Satanás, os milagres de Caná, a cura dos leprosos, do paralítico e da mulher  Samaritana, a cura do cego e mudo, dos dois cegos, da sogra de Pedro do leproso. Entre os 26 frescos que adornam o parekklesion, referimos a ressurreição, São Miguel Arcanjo, a ressurreição de filha de Jairo e o filho da mulher viúva, os humanos que vão ao paraíso, o sonho de Jacob, Moisés no meio dos arbustos, Salomão e o povo de Israel, Aarão e seus filhos diante da Arca da Aliança, e a Virgem de Eleousa. Podemos dizer que se trata de uma bíblia aberta, ou de uma catequese viva através de imagens, sobre a vida de Jesus e sua mãe, a Virgem Maria, com uma ligação estreita com o Antigo Testamento. 

Dentro do que hoje é um museu, mas já foi uma Igreja ortodoxa e uma mesquita, fiquei encantada com dois mosaicos, primeiro o que retrata da infância de Maria e quando ele deu seus “primeiros passos, depois um que muito me tocou, o do recenseamento, quando José e Maria vão à Belém, para o recenseamento e no momento de responder as perguntas, José, como varão da casa é interrogado, quando perguntam quem é o pai, o mosaico apresenta Maria de cabei xá baixa em silêncio e José que é interrogado duas vezes  e na terceira o mosaico apresenta ele colocando a mão no peito em sinal que ele era o pai da criança. Vemos então a santidade e o José, como um homem justo. Esse mosaico me deixou ainda mais apaixonada por São José.

Bem, depois voamos para Esmirna, que é uma das 7 cidades do apocalipse e de Esmirna, fomos ao que para mim,m foi o coração da viagem : A cidade de Éfeso. Como foi emocionante ir à Éfeso, dedicamos uma manhã inteira, primeiro fomos a uma localidade chamada Panaya – Kapulu e vistamos a Casa da Virgem Maria,  onde segundo a tradição, Maria morou com João, o discípulo amado. Quanta emoção! Há um clima de paz e de ternura, não é um lugar qualquer só quem vai lá, entende o que eu estou falando. Era domingo, dia do Senhor e começamos com a missa, celebrada pelo Pe. Josenilson, que esteve conosco durante todos os dias da peregrinação, depois fomos visitar a casa e a fonte onde Maria ia beber e apanhar água. Foi lindo ver que a comunidade muçulmana na Turquia tem um respeito aquela que eles chamam, “Mãe Maria”.

Depois fomos almoçar e à tarde fomos conhecer as ruínas da grande cidade de Éfeso, onde o apóstolo Paulo permaneceu durante 5 ou 6 anos. Visitamos as ruínas do grande teatro que cabia mais de 25.0000 espectadores e olha o carinho de Deus por mim, após a meditação de uma passagem da carta de São Paulo aos Efésios, eu fui ao centro no local onde podemos falar e sermos claramente ouvidos e cantei a canção: MARIA DE NAZARÉ. Que presente de Deus para mim, ainda fui assistida por um grupo de franceses que lá estavam, eles amaram… que bom, nossa canção foi gravada e espero que leve a paz e o amor de nossa Senhora aos que assistirem.. Mas, também quero destacar nesse lugar os conflitos que existiram entre os cristãos e os idólatras, fatos esses que ocasionaram a prisão de Paulo que depois foi obrigado a deixar Éfeso.

São João Apóstolo viveu e morreu em Éfeso, apesar de ter escrito o livro do apocalipse na ilha de Patmos, foi em Éfeso que ele permaneceu a maior parte de sua vida e lá escreveu 4 livros do novo testamento(as 3 epístolas e o Evangelho). Visitamos seu túmulo que está situado na colina de Ayasoluk, hoje conhecida como Selçuk. Sobre o túmulo, foi construída pelo imperador Justiniano uma Igreja dedicada ao Apóstolo João. Pelas ruínas que visitamos e por fotos que tentam mostrar como ela era, observamos a grandiosidade da Igreja, que segundo consta, tinha 130 metros de comprimento, dois andares, seis cúpulas e cinco cúpulas pequenas. Um lugar de destaque para nós na visita a Igreja de São João foi um batistério antigo, fizemos a experiência de passarmos e lembrarmos os primeiros cristãos que ali abraçavam a fé em Jesus Cristo, Filho do Deus vivo.

Bem, a permanência na Turquia foi maravilhosa, esqueci de comentar que fomos a uma igreja em Esmirna e também foi emocionante ver, tão poucas igrejas cristãs, católicas, poucos fiéis, já que maioria é muçulmana, mas saber que os poucos cristãos que lá vivem, são fiéis, comprometidos, aqui temos dezenas, centenas e por que não dizer milhares de igrejas e quantas vezes somos infiéis, descomprometidos…

Nossa última parada foi na cidade eterna: Roma. Lugar de martírio para tantos cristãos. Visitamos as quatro basílicas-patriarcais do cristianismo: Basílica de São Pedro)onde está sepultado nosso primeiro Papa, São Pedro, chefe dos apóstolos), São João de Latrão(onde está a cátedra do bispo de Roma, que é o Papa), Santa Maria Maior(A Basílica de Santa Maria Maior), ou Basílica de Nossa Senhora das Neves, que foi construída entre 432 e 440, durante o pontificado do Papa Sisto III, e dedicada a Maria, Mãe de Deus, cujo dogma da Divina Maternidade acabara de ser declarado pelo Concílio de Éfeso (431). Entretanto, a data da fundação da basílica remete ao pontificado do Papa Libério (352-366).

No outro dia, fomos a audiência papal, que presente dos céus para nós! Receber a catequese de nosso Papa Bento XVI, realmente ultrapassou todas as expectativas.

Após o almoço concluindo nossa peregrinação fomos à Basílica de São?Paulo fora dos muros, onde foi sepultado o apóstolo Paulo e onde Fo construída uma linda basílica, imensa e muito bela em honra da sepultura do apóstolo.

Fechando com chave de ouro nossa peregrinação, fomos a um lindo lugar, a igreja das três fontes. Como eu amo aquele lugar! É tranqüilo, traz paz ao coração. Lá, segundo a tradição é o local da decapitação de São Paulo e diz a tradição que ao ser decapitado, sua cabeça rola três vezes e a cada queda surge uma fonte, por isso é chamado de três fontes. É admistrada pelos trapistas, é um local afastado do centro urbano e muito cheio de silêncio e acolhimento. Não poderíamos  ter terminado em local mais apropriado, é um dos locais prediletos em Roma, foi  maravilhoso ter terminado lá.

Bem, desculpem tanto texto, mas foi pouco diante de tudo que vivi, agora que estou de volta, voltam também meus posts e nosso contato diário através de meu blog.

Abraço fraterno a todos.

Com carinho,

Fabiana Paula.


Virgem do Carmo, Rogai por nós!

julho 16, 2009

Oi gente, dei uma passadinha rápida aqui para lembrar que hoje 16 de julho é o dia da festa de Nossa Seenhora do Carmo, padroeira da minha cidade, Recife – PE.

A história e devoção à Virgem do Carmo é uma das mais antigas e belas da história de nossa Igreja e hoje com certeza é um dia especial, onde Maria derrama graças abundantes sobre todos nós.

Que tal conhecermos um pouquinho da linda devoção ao escapulário de Nossa Senhora?

Virgem do Carmo, Rogai por nós!

Virgem do Carmelo, Roga por nós!

Virgem do Carmelo, Roga por nós!

Pelo ano de 1222, dois cruzados ingleses levaram para a Inglaterra, alguns Carmelitas que habitavam o Monte Carmelo. Um homem penitente, austero, logo se uniu a eles. Era Simão Stock. Consta que tivesse ele recebido um aviso de Nossa Senhora que viriam da Palestina Monges devotos de Maria e que deveria unir-se a eles. Vieram depois tantos Carmelitas para a Europa que foi preciso nomear um Superior Geral para os mesmos. Em 1245, foi ele eleito para desempenhar este cargo. Encontrou ele dificuldades quase insuperáveis. Mandou que os Carmelitas estudassem: isto gerou uma discórdia interna, pois não queriam os mais velhos que contemplativos estudassem. O clero secular revoltou-se contra eles e pediu a Roma sua supressão. Diante de tanta oposição, Simão Stock, com seus 90 anos, retirou-se para o mosteiro de Cambridge, no Ducado de Kent, e pedia a proteção de Maria. Orava ele em sua cela, quando viu um clarão, na noite de 16 de julho de 1251. Rodeada de anjos, Maria Santíssima entregou-lhe o Escapulário, dizendo-lhe: “Recebe, filho queridissimo, este Escapulário de tua Ordem: isto será para ti e todos os Carmelitas um privilégio. Quem morrer revestido dele não sofrerá o fogo eterno”.

Desde aquele 16 de julho de 1251, Nossa Senhora do Carmo jamais deixou de amparar seus devotos, revestidos do Escapulário.

Passaram sete séculos, Milhões de cristãos, trouxeram o Escapulário de Maria.

É verdade que aqui e acolá surgem vozes, negando a aparição e, por consequência, a devoção devida a Maria.

O maior inimigo do Escapulário do Carmo foi o Anglicano Launoy, dizendo que é uma lenda. O livro de Launoy foi colocado no Índice dos Livros Proibidos. O papa Bento XIV, um dos mais sábios teólogos de todos os tempos, não se limitou apenas a condenar Launoy, mas disse claramente que só um desprezador da Religião podia negar a autenticidade da Visão do Escapulário. Apesar disto, o livro de Launoy continuou a ser citado e as dúvidas persistiram. Foi devido aos ataques que se fez um estudo mais apurado e se descobriu o livro, denominado “Viridarium”, escrito em 1398 por Frei João Grossi, Superior Geral dos Carmelitas. Era um homem santo e letrado, célebre na Igreja pela atividade exercida para terminar com o Grande Cisma do Ocidente. Consultou os companheiros que conviveram com S. Simão Stock. Apresenta ele um Catálogo dos santos Carmelitas, dizendo que o nono é S. Simão Stock, o sexto superior geral da Ordem. Descreveu como aconteceu a aparição, a 16 de julho de 1251. Contou que São Simão Stock morreu em Bordeus, na França, quando visitava a Província de Vascônia em 1261.

Infelizmente, a biblioteca de Bordeus foi queimada um século depois da aparição de Nossa Senhora do Carmo, por funcionários municipais, por causa de uma peste, com medo da propagação do contágio.

Henrique VIII, rei da Inglaterra, ao se separar de Roma e, ao fundar a Igreja anglicana, mandou arrasar as bibliotecas católicas.

Um carmelita contemporâneo de São Simão Stock, que vivia na Palestina, escreveu um livro intitulado: “De multiplicatione Religionis Carmelitarum per Provinciais Syriae et Europae; et de perditione Monasteriorum Terrae Sanctae”. Nesta obra, contava as terríveis perseguições e dissenções que arruinavam a Ordem do Carmo, antes da aparição de Nossa Senhora . Opinava ele que eram fomentadas por Satanás. Declarava ele que a Santíssima Virgem apareceu ao Prior Geral, São Simão Stock e que, após a Visão de Nossa Senhora do Carmo, o Papa não só aprovara a Ordem, mas ordenara que se empregassem censuras eclesiásticas contra todo aquele que, daí em diante, fosse contra os Carmelitas. O Papa mandou cartas a todos os Arcebispos e Bispos, exortando-os a tratar com mais caridade e consideração os seus amados irmãos Carmelitas e permitissem a construção de mosteiros adequados.

Um ano depois da aparição de Nossa Senhora do Carmo, o Rei da França, Henrique III, em 1252, publicou diplomas de proteção real à Ordem recentemente transplantada para o seu reino.

Em 1262, um ano após a morte de São Simão Stock, o Papa Urbano IV concedeu privilégios aos membros que compunham a Confraria do Carmo. Ora o Papa só dá privilégios a associações bem constituídas.

Quinze anos depois da morte de S. Simão Stock, ocorrida em 1261, foi sepultado em Arezzo, a 10 de janeiro de 1276, o Papa Gregório X, que governou a Igreja, desde 1271. Consta que antes de ser Papa usava o Escapulário. Em 1830 quando foi exumado seu corpo para ser colocado num relicário de prata, foi encontrado intacto o Escapulário de Nossa Senhora do Carmo, de seda de carmezim, com precioso bordado a ouro, como convinha ao Papa. Encontra-se, hoje, no museu de Arezzo, como um dos tesouros. Este é o primeiro Escapulário pequeno conhecido na História.

Em 1820, numa Assembléia, em florença, Itália, os 40 Carmelitas reunidos falam do Escapulário, ocorrendo o mesmo, em julho de 1287, em Montpelier, França.

As constituições de 1324, 1357 e 1369 dizem que o Escapulário é o hábito especial da Ordem e que os Carmelitas devem usá-lo.

Diante disto, John Haffert diz: “Conclui-se, portanto, que a aparição da Santíssima Virgem a S. Simão Stock é, historicamente, ceríssima”.

Uma vez demonstrada a historicidade da aparição de Nossa Senhora do Carmo, John Haffert analisa o cumprimento da Promessa de Maria, através dos sete séculos. Conta ele fatos e mais fatos ocorridos com o que, na vida, trouxeram o Escapulário de Nossa Senhora.

Artigo escrito por Dom Pedro Fedalto, Arcebispo de Curitiba para o Jornal Gazeta do Povo.