Entrevista

setembro 10, 2009

Olá pessoal,

Hoje trago mais uma super entervista, dessa vez com a Laudicéia Lima Gomes, que há muitos anos faz parte da família Obra de Maria. Consagrou-se na primeira consagração para os que vivem internamente na comunidade. A entrevista está linda, espero que gostem, pois eu amei!

1. Como surgiu o chamado para a vida comunitária? como tudo aconteceu?

 Na ocasião eu já participava da RCC. Ainda muito jovem  com apenas 18 anos  já exercia um trabalho missionário na igreja,  também já conhecia o Gilberto pois o mesmo costumava pregar retiros na cidade de Pesqueira(cidade onde eu morava quando recebi o chamado). Sempre estava em contato com ele através  desses retiros e foi então através de um deles que surgiu o chamado de Deus a vida comunitária. No grupo de oração em que eu participava havia 3 amigas minhas e todas nós recebemos o chamado no mesmo período, no caso foram as primeiras mulheres que entraram na comunidade.. 

 Senti naquele momento do  chamado, que Deus queria fazer uma grande revolução  na minha vida. Embora não entendendo muita coisa ou quase nada do que tava acontecendo (se posso assim dizer) sentia que Deus queria algo a mais de mim. Então me decidi e dei esse grande passo na fé.

2. Quais foram os primeiros desafios encontrados por você para viver em comunidade?

Os primeiros  desafios que encontrei para viver em comunidade foi a renúncia da minha família(foi o mais difícil!) O desapego e aprender a amar o irmão em suas limitações.

3. Ao longo desses anos como você observa o crescimeento da Obra de Maria ?

Vejo a cada ano que se passa as promessas de Deus se cumprindo em nosso meio através das mãos de Maria. Em tão pouco tempo, Deus já fez grandes obras em nosso meio. As profecias  proclamadas  bem no inicio de nossa caminhada a cada dia vem se cumprindo. Deus sempre vem nos conduzindo a cada momento em cada situação.

     Diante de tudo o que já experimentei na obra de Maria, tendo a graça de ser uma das primeiras  tive a oportunidade de testemunhar grandes obras .  Em pequenos atos  percebo o poder de Deus se manifestando em nossa Comunidade . Deus cuida das pequenas coisas dos pequenos detalhes, nada passa despercebido ao seu olhar, é assim que ele cuida de cada um de nós que fazemos parte dessa grande Obra.

4. O que mudou em você desde o primeiro chamado e a vinda à Recife, deixando sua família, amigos e sua vida construída em sua cidade até o dia de hoje?

A forma de ver a vida, aprendi a desapegar–me, a ver que só Deus é o principio e o fim, quando cremos nele temos tudo e quando passamos alguma provação ele está conosco. Deus é a força que me sustenta! Deus tem feito muito por mim, desde que me decidi por ele.  Além  de maravilhosos irmãos de forma especial ele me deu um esposo e um filho maravilhoso, maior presente que pude receber. Sou grata a Deus por tudo que tem feito em minha vida.

5. Com a proximidade dos 20 anos da comunidade, como estão suas expectativas com relação a essa grande data, que será um marco para a vocação Obra de Maria?

Olhando pra trás vejo o que já passamos nestes 20 anos de caminhada e a palavra que vem no meu coração é gratidão e fidelidade, pois o que vamos festejar é isso: a promessa de Deus e a fidelidade do povo mesmo com suas limitações, agradecendo por todos os frutos colhidos neste tempo.

6. Que mensagem você deixa para as pessoas que querem dar um passo na fé e ingressar na vida comunitária?

Se você sente o chamado de Deus em seu coração a vida comunitária, Deus quer contar com sua ajuda, com seus talentos com seus dons para levar o seu Amor até os confins do mundo.  Decida-se por Cristo,pois essa  é a única escolha que fazemos na vida que nunca iremos nos arrepender.

E todo aquele que por minha causa deixar irmãos, irmãs, pai , mãe, mulher e filhos, terra ou casa, receberá o cêntuplo e possuirá a vida eterna.    (Mt. 19 -29)

Lau, Juan e Sávio.

Lau, Juan e Sávio.


Entrevista

agosto 31, 2009

Oi pessoal, nessa segunda-feira quero iniciar com uma entrevista com uma pessoa maravilhosa, Humberto Mário, consagrado na Comunidade Obra de Maria há muitos anos. Na entrevista abaixo ele conta um pouco de sua história e missão. Espero que gostem.

Abraço fraterno,

Fabiana Paula.

 1. Humberto como foi seu chamado para ser Obra de Maria? Conte em poucas palavras como aconteceu?

  “Se tiverdes de atravessar a água, estarei contigo. E os rios não te submergirão,  se caminhares pelo fogo, não te queimarás, e a chama não te consumirá. Pois Eu sou o Senhor teu Deus, o Santo de Israel.”

Isaías: 43,2-3

Coloco aqui em primeiríssimo lugar a palavra do Senhor, dando sentido inicial a minha resposta, e o poder de testemunhar, que a palavra de Deus é viva e protetora e nela buscarmos respostas e novo sentido para a vida.

Ao  chegarmos em  Recife (eu e minha família) em 1979,  participava  das missas em nossa paróquia na Várzea, também nesta época conhecemos o então Pároco  Pe. Antônio e por ele fomos  convidados a participar do movimento das “Comunidades Eclesiais de Base – CEBS”. Fruto do concilio Vaticano II, este  movimento estava muito envolvido com lideres das classes populares, tinha como objetivo a leitura da Bíblia em articulação com a vida. Também participava de um encontro evangélico diário na firma onde trabalhava, estudávamos juntos a Palavra do Senhor.

Todas estas ações foram de vital importância na  minha base Cristã, porém sentia um certo vazio, quanto a vida espiritual, os conceitos formativos da comunidade, favorecia a um caminho sócio-político, não quero contra-testemunhar o cerne formativo do movimento, talvez por falta de maturação ou de uma coordenação mais presente , buscava outros movimentos.  Quanto aos encontros evangélicos sentia mais  o radicalismo e falta da misericórdia, mais aprendi muito do Antigo Testamento.

Certa vez fomos convidados para participar de uma missa , que minha irmã dizia ser diferente, na capela do Pe. Venâncio e o celebrante era Frei Fulgêncio, no final  desta  missa estávamos surpresos, tocados, em nosso intimo algo novo estava acontecendo, o nosso coração ardia de uma alegria inquietante e profunda.

Voltamos a participar  de outras missas, foi quando num convite geral feito a assembléia, fomos participar do nosso primeiro encontro carismático, quando conhecemos o Gilberto e a Maria Salomé,  e daí surgiu o convite para participarmos do grupo de oração “Fogo Santo”  foi uma experiência única , vez em quando  na  intimidade de minhas lembranças deleito-me e o Espirito Santo vem  em meu socorro lembrando-me  deste  momento de ricas bênçãos e felicidade.

 2. O que Jesus modificou em sua vida após o ingresso na Comunidade Obra de Maria?

 “O que aprendestes, recebestes, ouvistes e observastes em mim,  isto praticai, e o Deus da paz estará convosco “.

Filipenses: 4,9

Hoje sinto incontida alegria em testemunhar que  recebi  e aprendi , deixando-me ser trabalhado e conduzido por um eficaz  plano de trabalho de catequese.  Tenho a dizer que a nossa Comunidade mudou em mim a capacidade de entender a palavra do Sr.  Jesus,  que é a maior e mais siguinificativa expressão de amor do Deus  Pai  para conosco.

Hoje tenho a certeza  que o Senhor Jesus modelou o meu espírito, tenho a convicção formada, que  da boa qualidade da semente semeada pela Comunidade em meu coração.

 3. Qual o momento mais difícil que você encontrou ao longo de sua caminhada?

 “Quem não toma sua cruz e não me segue, não é digno de mim”

Mateus: 10,38

 Não foram poucos os momentos difíceis, que tive de enfrentar  após ter entrado para a Comunidade, pois muitas vezes não é contra nossos semelhantes, mais com forças espirituais do mal. É por  isso que devemos está sempre buscando na palavra  conhecimentos e na oração fortalecimentos, para enfrentar as adversidades.

Trabalhei durante muitos anos nas indústrias  Brennand, e lá vivemos em uma residência cedida pela empresa, era situada próxima a uma reserva de mata Atlântica, vivíamos em um ambiente bucólico em muito contato com a natureza. Nesta época meus filhos estavam na fase da adolescência, para estudar, tinham de enfrentar um trecho de bosque, e num nefasto dia,  minha filha mais velha, numa atitude  de auto confiança, própria da idade, resolveu ir ao colégio desacompanhada  e sem nenhum aviso, pois havia outra opção além do caminho escolhido e com maior segurança, porém com maior distancia. Neste cenário foi abordada por um delinqüente e  acontecendo  o inesperado atentado de estupro,  que pela intercessão de Nossa Senhora a quem ela  no momento da angústia implorou sua proteção, conseguiu desvencilharse do facínora . Daí começamos uma longa caminhada para sua recuperação, foi a diversos médicos, psicólogos e oftalmologistas, já que uma das partes do seu corpo mais atingida foram os olhos deferido pela ação do agressor.  Tínhamos  pouco tempo de Comunidade, mais sentimos  o quanto foi importante para nós  todo o apoio nas orações, nos aconselhamentos,  e  ensinamentos. Quero aqui testemunhar o quanto ela nos foi  importante para  superar dias tão difíceis.  Temos a certeza fazendo uma reflexão rápida deste nefasto  momento,  que  em  grande  parte o apoio,  que  tivemos de nossos irmãos de Comunidade,  foi de grande alivio para o nosso sofrimento. Hoje nossa filha é muito feliz, é mestra em Ciências Sociais, casada com um Engenheiro  Cartógrafo de nacionalidade Búlgara,  com quem tem um filho chamado de João e vivem em Calgary Canadá.

 4. Você faz parte do Ministério de intercessão e também do de aconselhamento. Qual a importância desses dois ministérios para a evangelização ?

 Na vida espiritual, a vontade de Deus vai revelando, se mostrando pela direção do Espírito, a Bíblia nos fala:  “ Que há diversidades de dons mais um só Espírito” .

No inicio da experiência o Espírito foi norteando os meus sentimentos, me educando, me envolvendo, eu sentia a ação Divina porque deixava me conduzir. Constantemente eram criadas situações para exercer, aprender, chorar e rir, ouvindo os irmãos que me procuravam, e prontamente usava  a autoridade que o ministério de aconselhamento me conferia.

Nesta realidade não foi difícil discernir que deveria ter uma vida mais rica em oração, então fui servir  a Comunidade  Foi e é  no  ministério de intercessão que  aprendi(e aprendo) a doar-me sem limites, colocar-me  como ponte às necessidades  do  meu semelhante,  implorar para  eles a misericórdia do Altissimo.

 5. Você foi escolhido nesse ano de 2009 como o “servo por amor”, que é uma escolha que fazemos de alguém que se destacou através do serviço, da evangelização e do amor ao carisma Obra de Maria. Como você recebeu essa notícia?

 Nos diversos seguimentos da ação que a Comunidade nos propõe, duas atividades participei com mais intensidade, a Adoração ao  Santissímo Sacramento, que em diversas vezes se revelou fazendo sentir, que sua ação é real  nas seguidas  vezes que nos visitou,  através do seu Espirito.

O segundo no plano  foi no sentido material,  dando minha contribuição nos desembaraços dos processos junto a órgãos públicos,  e cooperar com normas e rotina da administração.

Acredito que foi nestas ações, que fui indicado pela a comissão constituída a analisar, e nesta realidade atribuíram o título de “SERVO POR AMOR” que para mim foi um motivo de alegria este reconhecimento, no entanto  acredito se analisado  com mais critérios  virão que existem filhos mais bem preparados…

6. Que mensagem você gostaria de deixar aos internautas?

Eu diria que compor a família OBRA DE MARIA,  é estar protegido pelo afeto de nosso Deus, e sob  o amparo medianeiro da Senhora das Graças a Santissima Virgem Maria. E com  posse  deste  sentimento somos aberto a ação do Espírito, já que este Espírito é a grande força do amor de Deus por Nós.

Humberto e sua esposa Cleonice em nossa 1º Consagração.

Humberto e sua esposa Cleonice em nossa 1º Consagração.


Entrevista

agosto 18, 2009

Olá pessoal,

Hoje trago até vocês mais uma super entrevista. A primeira, com a Elisabeth, graças a Deus, foi maravilhosa e alguns deixaram seus comentários. Hoje o entrevistado é o Adélio Claudino, missionário da Obra de Maria na África. Imperdível!!!

Quero agradecer ao Adélio, pois onde ele mora não há conexão à internet, ele viaja várias horas para  chegar a um lugar e se conectar e  sei que foi com muito esforço, pois seu tempo é bem corrido que ele respondeu as minhas perguntas.

Obrigada Adélio, tenho muito orgulho de te ter como irmão de Comunidade.

Entrevista

1) Adélio, como foi seu encontro pessoal com Jesus Cristo?

R – Desde pequeno sempre via minha mae que era evangelica a rezar sentada na sua cama antes de dormir, qd adolescente logo atraves da musica comecei a participa de retiros onde pude experimentar a açao de Deus, aquele com quem minha mae falava, na minha vida, agora era eu quem tb ja podia falar com ele.
 
2) Há quanto tempo participa da Obra de Maria e como foi seu chamado para ser Obra de Maria?

R – Há 09 anos, sempre junto com outros jovens queriam ter uma experiência missionária, conheci a Obra de Maria e aceitei o convite de fazer uma experiência que dura ate hoje.
 
3) Quais dificuldades que vc encontrou e encontra para viver o segmento de Jesus Cristo?

R – A questão familiar pra mim sempre foi um pouco dificil de conciliar com a vida missionária. Sempre precisei me divivir também com minha familia haja vista algumas dificuldades que surgiam, mas, isso também sempre me motivou a ir mais além.
 
4) Como você recebeu o convite para ser missionário na África?

R – Quando eu morava na missao de Fátima – Portugal, tínhamos uma missão materialmente muito bem estruturada, uma realidade totalmente diferente da que vivo hoje, mas me faltava algo, sempre rezava a Deus por intercessão de Nossa Senhora que me mostrasse o que era, logo fui percebendo que tinha um zelo e carinho pelos pobres, pois sempre vi que o Evangelho era direcionado para eles e nao há melhor maneira de vivê-lo senão com os pobres.
 
5) Quais os maiores desafios de uma missão como a sua?

R – Viver a realidade do povo daqui. Venho de um pais muito diferente, de uma cultura também diferente onde vivi toda minha vida e agora estou aqui, é como se tivesse que aprender tudo na vida novamente  e, sem esquecer o que ja vivi antes.

6)  Que mensagem vc gostaria de deixar para os leitores do meu blog?

R – Deus sempre foi muito misericordioso comigo de tal forma que a única maneira que encontrei para retribuir tamanho amor e misericordia foi dando minha vida pra ele, e vocë como fará para dar a Deus o que ja é Dele?

Adélio e menino que estuda na escola onde os missionários da Obra de Maria trabalham.

Adélio e menino que estuda na escola onde os missionários da Obra de Maria trabalham.


Entrevista

agosto 11, 2009

Olá queridos do meu blog! Paz e Bem ao coração de todos!

Hoje damos início a uma novidade em meu blog. Serão as entrevistas. Estarei sempre postando entrevistas bem interessantes nos mais diversos assuntos e espero que vocês gostem.

Para abrir com chave de ouro, convidei minha amiga e irmã de Comunidade, Elisabeth Silva(Beth), para ser entrevistada por mim. Os detalhes, leiam a entrevista…

Um abraço Carinhoso a todos,

Fabiana Paula.

Mnistração no Morro da Conceição - Recife - PE - 2008.

Mnistração no Morro da Conceição - Recife - PE - 2008.

Entrevista com Elisabeth Silva, Consagrada na Comunidade e coordenadora da missão resgate, grupo que dentro da comunidade Obra de Maria evangeliza através das artes.

 1. Beth, como surgiu a arte em sua vida?

A arte em minha vida surgiu muito pequenina, tudo começou na fase escolar 3 anos e isso foi tomando um gosto e um tamanho em minha vida. Desde pequena sempre fui muito curiosa em relação a dança, como dizia meu pai, se eu escutasse uma panela batendo eu estava me peneirando. Então nesse período era ginasta (eis um dos motivos que sou pequena..risos), então para um bom desempenho eu tive que desenvolver um bom ouvido musical para montar coreografias conforme os instrumentos musicais e não só com os instrumentos de peso como a bateria e o baixo. E nisso fui crescendo, participei de diversas companhias de dança na linha contemporânea e popular.

Já fiz teatro em minha vida, mas a dança venceu. O silêncio dentro de uma música instrumental e você sendo co-responsável em dar vida, forma e expressão é sempre para mim um grande desafio.

Tinha o ideal de fazer a UFBA (Universidade Federal da Bahia), pois era uma das faculdades que tinha dança no Brasil a outra era em Joinville. Então, como terminei o segundo grau muito nova me enveredei na UPE antiga FESP a fazer educação física, onde pensava eu que faria especialização em dança na UFBA.

Mas assim não foram os planos de Deus, como sou de uma família muito humilde e precisei optar em trabalhar (o curso era diurno), meu pai desempregou, então travei uma meta em Deus de dar uma velhice digna a meu pai que pouco depois conseguirá um emprego, ele era vigilante noturno de uma empresa de pneus e já era órfã de mãe.

Como me enveredei para área de tecnologia, nada haver com dança… Esqueci a dança por 10 longos anos em minha vida (foi difícil).

 2. como e quando você começou a usar seus dons artísticos para Deus?

Foi no Rainha da Paz, grupo jovem que participava no colégio das Damas, eu nessa época já estava firme na área de tecnologia e viajava muito, só parava em Recife nos finais de semana, mas quando parava doava-me 100%. Então no Rainha da Paz eu conheci Roseane Karla que estava preste a se formar na UPE antiga FESP e ela fazia Educação Física (como isso mexeu muito comigo, pois eu não gostava de lembrar disso).

Certo dia, na quadra do colégio das damas num domingo até chuvoso senti no coração de criar um grupo de dança que este pudesse evangelizar, para confirmação a Roseane Karla também sentirá a mesma coisa, então entre risos e lágrimas de felicidades nasce o 1º grupo de dança CRISTO EM MOVIMENTO, nele fomos precursoras onde dançavam. Éramos 12 meninas.

Nessa época foi muito difícil pois a dança ainda não havia entrado como ministério, mas persistirmos e no final do 2º ano criamos os festivais de dança, e para a nossa felicidade eram muitos grupos que seguiram pelo ímpeto de evangelizar pela dança.

Sou feliz por fazer parte dessa linda historia de 8 anos.  

 3. Como foi seu chamado para estar à frente no resgate e como foi seu chamado para ser Obra de Maria?

O senhor me pegou pela sapatinha (risos), o Rainha da paz tinha acabado e com isso o cristo em movimento, mas no decorrer dos 8 lindos anos o senhor falará muita coisa, prometera muita coisa e eu não acreditava que tinha se acabado. Então através do padre José Júnior e de Vanádia que falaram do CD Deus Salva e me pediram para coreografar uma música para as crianças. Como resistir? Logo pela dança, como eles sabiam não sei até hoje que eu mexia com dança.

Aceitei e fui coreógrafa e me envolvendo com a Obra de Maria, Deus foi esperto.

De uma música foram duas e por fim todo o CD.

No dia do lançamento lembro bem, após a apresentação eu tinha dado por finalizado, então me sinto encurralada, com questionamentos, e agora Beth o que iremos fazer.

Eu cheia uma desculpa, pois continuava a viajar muito pelo meu trabalho, dizia não ter tempo. Mas o dono do tempo tinha outros planos. O Gilberto me procura ainda no teatro e diz que a dança é a forma de evangelizar com alegria que faltava na comunidade e se eu gostaria de montar um grupo de dança. Eu não tinha caminhada na comunidade, e esse convite me incomodou demais, pois mexia com meus sonhos. Pois a historia da dança sempre ficará mal acabada em minha vida. Após muitas relutas comigo mesma, não me julgava apta (no Cristo em Movimento, nunca tomei a frente, a Roseane era nossa coordenadora e coreógrafa, todas as integrantes a ajudavam a montar as coreografias, pois achava que ela estava mais apta por ter continuado Educação Física e eu tinha abandonado). Mas como o senhor mesmo diz: “Ele não escolhe os capacitado, mas capacita os escolhidos”, aí disse SIM e no dia 03/07/2004 nasce a Missão Resgate, onde vejo realizar cada promessa que um dia o senhor prometera quando era do grupo Cristo em movimento, e logo após participei de um vocacional e nesse mexeu muito com as minhas estruturas e foi o meu chamado a SER obra de Maria.

 4. como funciona atualmente a missão resgate?  E quais são as novidades para esse ano?

Bem a Missão Resgate no seu ano 5º, passou por uma linda reforma onde entendemos que não é somente um grupo de dança e sim uma linda missão de resgate de almas para Deus.

O Resgate desde sua criação acontece todos os sábados na casa de missão São Miguel, no Alto do Mandu.

Com a reforma do Resgate, onde hoje buscamos mais espiritualidade e unimos a técnica, o resultado são as belas coreografias dançadas pela missão.

Como toda a criança aos 5 anos está formando sua personalidade, assim mesmo é o Resgate, mas Deus nos pediu mais, que avançássemos as águas mais profundas e que não precisavam somente  quem soubesse dança e sim quem quisesse ser rede resgate com os seguintes projetos:

  • A SETA – A intercessão na terças- feiras por um grupo e os que não estão presente se unem através da oração de intercessão, onde esta segue a mesma dinâmica de uma intercessão, onde fazem escutas e no dia seguinte me é passado, onde me uno as palavras da intercessão. Esse projeto tem sido a nossa riqueza, e sentir onde Deus nos quer soprar e para onde ir.
  • ARTE EVANGELIZADORA – Esse é o projeto que nos leva a origem, onde envolve a arte de um modo especial a Dança, bem como, teatro, artes plásticas e a musica.
  • RESGATANDO ALEGRIA – Esse projeto envolve as visitações a creches, asilos, ONG, irmãos de rua. Levando a arte com alegria e muito amor aos mais necessitados.
  • RESGATE DA EVANGELIZAÇÃO – Esse projeto tem 100% conexão com o projeto Resgatando Alegria, onde através de pedágios nos tornamos pontes para auxiliar pessoas que querem ajudar e não sabem como. Onde as pessoas recebem palavras de vida, a agenda do resgatando alegria e as necessidades dos donativos, bem como, as data dos pedágios para que possam ajudar trazendo seus donativos nas datas e locais marcados e, caso queiram essas pessoas podem ser Amigo Resgate nas visitações do Resgatando Alegria. Os missionários dos pedágios devem está sempre bem coloridos com identificação de crachás.
  • RESGATINHO – Esse projeto é o que envolve nossas crianças, onde através de personagens infantis se unem com o trabalho da Vanádia (boneca Lilá) e a Andrielly (Lulubel). Esse projeto tem nascido o desafio dos gibis infantis (EM BREVE).

 5. Deixe uma mensagem para os internautas que se sentem chamados a somar para Deus através das artes.

É necessário sairmos de nossa zona de conforto e deixar Deus  soprar onde Ele quiser, se para isso for necessária a dança: dance com a alma, o teatro: interprete em Jesus, a musica: testemunhe o que cantas, nas artes plásticas como os desenhos artísticos, pintura em tela e escultura: doe o instrumento e deixe Deus criar.

Um artista de Deus nada mais é do que um vaso que através da arte Deus floresce vida.

Se perguntares, mas eu não sei fazer nada disso.

Pergunto-te: você sabe sorrir?  Você sabe amar?

Então já tens as ferramentas necessárias a trazer a alegria, o amor no coração do outro.

E só doar-se e Deus fará. Coragem!

 Recebam em Deus um carinhoso abraço.

Elisabeth Silva. 

No show de lançamento do meu CD - maio de 2008.

No show de lançamento do meu CD - maio de 2008.

Cena do espetáculo "O chamado", idealizado e coreografado por Elisabeth silva, apresentado nos 15 anos da Obra de Maria - Janeiro de 2005.

Cena do espetáculo "O chamado", idealizado e coreografado por Elisabeth silva, apresentado nos 15 anos da Obra de Maria - Janeiro de 2005.

Participação no Kairós Obra de Maria na Canção Nova - Cachoeira Paulista - 2009.

Participação no Kairós Obra de Maria na Canção Nova - Cachoeira Paulista - 2009.