Meus números de 2014

dezembro 30, 2014

Fiquei muito feliz em saber que meu blog foi visto por pessoas no mundo inteiro. Espero que a semente tenha caído e ficado nos corações daqueles que leram minhas mensagens. Um 2015 de muitas bênçãos, alegrias, paz e saúde para todos nós! Abraço fraterno!

Fabiana

Aqui está um resumo:

A sala de concertos em Sydney, Opera House tem lugar para 2.700 pessoas. Este blog foi visto por cerca de 38.000 vezes em Se fosse um show na Opera House, levaria cerca de 14 shows lotados para que muitas pessoas pudessem vê-lo.

Clique aqui para ver o relatório completo


Dê sempre o melhor

outubro 16, 2014

Flor bonita

Dê sempre o melhor…
e o melhor virá.
Às vezes as pessoas são egocêntricas, ilógicas e insensatas…
perdoe-as assim mesmo.
Se você é gentil, as pessoas podem acusá-lo de egoísta e interesseiro…
seja gentil assim mesmo.
Se você é um vencedor, terá alguns falsos amigos e alguns inimigos verdadeiros…
vença assim mesmo.
Se você é honesto e franco, as pessoas podem enganá-lo…
seja honesto e franco assim mesmo.
O que você levou anos para construir, alguém pode destruir de uma hora para outra…
construa assim mesmo.
Se você tem paz e é feliz, as pessoas podem sentir inveja…
seja feliz assim mesmo.
O bem que você faz hoje, pode ser esquecido amanhã…
faça o bem assim mesmo.
Dê ao mundo o melhor de você, mas isso pode nunca ser o bastante…
dê o melhor de você assim mesmo.
E veja você que, no final das contas…
é entre você e Deus…
nunca foi entre você e eles!

Madre Teresa de Calcutá


“É preciso pensar bem de todos, falar bem de todos e querer bem a todos”! (Dom Bosco)

maio 16, 2014

bem

Hoje me veio à lembrança essa frase de Dom Bosco que aprendi da boca do Padre Jonas Abib. Num mundo com tanta maldade, onde cada um cada vive por si mesmo e não está preocupado com nada que não lhe traga benefícios, é difícil entender essa frase, pois ela soa como imprópria, uma utopia ou até mesmo como uma bobagem, coisa de gente “otária” que leva sempre a pior.

Na verdade aí vejo que Dom Bosco quis nos convidar a um esforço diário. Todo dia nas nossas ações devemos filtrar bem aquilo que alimentamos no nosso pensamento, na nossa língua e no desejo para com o outro. Quanta gente perde seu tempo preciso alimentando ressentimentos e mágoas ou preocupado com a vida dos outros, disseminando o mal e o negativismo, sujando a imagem dos outros e esquece-se de viver bem sua vida, descartando os lixos que apodrecem nossa alma e nos tornam pessoas amargas, azedas, insuportáveis.

Dom Bosco escreveu essa frase porque experimentou em sua própria vida o desafio da boa convivência e ele escreveu que “é preciso”, ou seja, é necessário empenhar-se no bem de todos, isso não significa dizer que você precise ter uma convivência próxima com todos, você tem todo o direito de partilhar sua vida e privacidade com quem você escolher e quiser  e não tem obrigação de estar junto de pessoas que não somam nada em sua vida e não querem seu bem. Mas, também isso não significa dizer que você queira o mal para a vida delas, que as julgue e espalhe o veneno da maledicência, destruindo a imagem do outro.

A vida passa rápido demais, aproveite seu tempo e como nos disse São Paulo: “Enquanto temos tempo façamos o bem a todos”(Gal 6.10), a verdade é que tudo vai passar e a única coisa que permanecerá será o AMOR!

“O tempo urge, a eternidade nos espera”! (São João Paulo II)

Fraternalmente,

Fabiana Paula


Acampamento Obra de Maria

maio 3, 2014

Olá amigos queridos, Paz e Bem!

Esse fim de semana Acampamento Obra de Maria na Canção Nova. Imperdível!

comunidade obra de maria - CN


Viver em Jesus…

janeiro 14, 2014

Viver em Jesus é sentir-se assim: livre, feliz, tranquila, em paz… Obrigada Jesus!

livre em Jesus


Vergonha para o Brasil

agosto 2, 2013

Aborto

A presidente Dilma Rousseff sancionou nesta quinta-feira (1º), sem vetos, projeto de lei que determina o atendimento obrigatório e imediato no Sistema Único de Saúde (SUS) a vítimas de violência sexual, segundo informou o ministro da Saúde, Alexandre Padilha. A lei entra em vigor em 90 dias.

Com a sanção, Dilma manteve no projeto um trecho que foi alvo de polêmica entre religiosos por obrigar hospitais a prestarem serviço de “profilaxia da gravidez” a mulheres que foram abusadas.

De acordo com o projeto, todos os hospitais da rede pública serão obrigados a oferecer, de forma imediata, entre outros serviços, a “profilaxia da gravidez”, termo que, de acordo com o Ministério da Saúde, refere-se ao uso da chamada “pílula do dia seguinte”. A medicação evita a fecundação do óvulo (em até 72 horas após a relação sexual) e não tem poder para interromper uma gestação.

Segue abaixo o post do blog do Padre Joãozinho sobre esse triste acontecimento.

No calor dos debates pedi a uma pessoa da área do direito que fizesse uma análise semântica e jurídica da expressão “profilaxia da gravidez”. Uma vez que a Presidente Dilma sancionou integralmente o PL 03/2013 contra o pedido da CNBB de veto parcial, cabe garantir que honre, ao menos, o sentido preciso da ambígua expressão “profilaxia da gravidez”. Este artigo surgiu depois uma conversa e a convite do meu amigo João Carlos Almeida (Padre Joãozinho, scj), após a qual resolvi escrever devido ao tramite do Projeto de Lei 03/2013, autoria da deputada federal Iara Bernardi do PT/SP[1], que traz em seu art. 3º, IV, a expressão “profilaxia da gravidez”, que vem sendo interpretada como “aborto permitido”. Na verdade o projeto de lei visa a tornar obrigatório o atendimento emergencial às vítimas de violência sexual no SUS – Sistema Único de Saúde.

Durante esta conversa surgiu a seguinte duvida: será que a palavra “profilaxia” empregada na futura lei não poderia ser interpretada como aborto permitido no Brasil?

No direito, a interpretação nada mais é que buscar o efetivo alcance da norma, ou seja, procurar descobrir aquilo que ela tem a nos dizer com a maior precisão possível, sendo que os meios empregados para a interpretação são: 1) literal ou gramatical, que se preocupa simplesmente com o significado das palavras; 2) a teleológica, que visa alcançar a finalidade da lei, aquilo que ela se destina regular; 3) a sistêmica, que interpreta a norma legal como um todo e não somente para as partes; 4) a histórica, na qual o interprete da norma busca fundamentos de sua criação e momento pelo qual a sociedade atravessa.

Ora, o vocábulo “profilaxia” tem significado médico de conjunto das precauções higiênicas que devem tomar-se para evitar uma doença ou um contágio[2].

Logo, trazendo para dentro do contexto do Projeto de Lei 03/2013 e usando as técnicas de interpretação acima, temos que a palavra profilaxia foi usada corretamente no contexto médico de forma a tratar e prevenir doenças infectocontagiosas que as mulheres vítimas do estupro não venham a sofrer, tais como: DST, AIDS, hepatite etc. e logicamente não inclui a gravidez, pois não se trata de doença.

Hoje o aborto, art. 124 do Código Penal[3], é crime com pena prevista de 1 a 3 anos de prisão, e somente casos previstos na lei não são considerados crimes.

Na nossa constituição e no direito penal brasileiro temos o princípio da legalidade que afirma que um crime só existe se a lei previr que aquela conduta é criminosa. “Não há crime sem lei anterior que o defina, nem pena sem prévia cominação legal.” (art. 5º, XXXIX da CF/88 e art. 1º do CP, respectivamente).

Para que um crime deixe de existir é necessário que uma lei diga que aquela conduta tipificada não é considerada mais como infração penal. Foi o que aconteceu, por exemplo, com o crime de adultério que era previsto no art. 240 do Código Penal brasileiro e hoje não é mais considerado como um delito contra o casamento.

No PL 03/2013 não há revogação do crime de aborto, fazendo com que deixe de ser crime. A finalidade do projeto de lei é unicamente dar tratamento médico para as doenças que as vítimas de violência sexual venham a adquirir, podendo até prejudicar o desenvolvimento normal de uma gestação devido ao surgimento de alguma doença adquirida pela violência. Isto sim é a “profilaxia da gravidez”. Tudo isso e só isso. O que ultrapassa é eufemismo que não cabe nos termos da lei.

Contudo para que haja a legalização do aborto, o texto do projeto de lei já mencionado deve trazer menção em artigo próprio, como manda a boa técnica legislativa, que tal conduta punida estaria fora do rol dos crimes, como aconteceu com o crime de adultério que foi revogado pela Lei 11.106/05 em seu art. 5º: “Ficam revogado o art. 240 do decreto lei 2.848/40[4].” E não é o que ocorre com o caso em questão, pois não há intenção do legislador em descriminalizar o aborto, já que não incluiu artigo que revogasse os artigos que incriminam tal pratica, continuando em vigente os crimes de aborto.


[1] http://www.senado.gov.br/atividade/materia/detalhes.asp?p_cod_mate=111416

[2] http://www.priberam.pt/dlpo/default.aspx?pal=profilaxia

[3] http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/del2848compilado.htm

[4] http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2005/lei/l11106.htm


Viva Santo Antônio!!!!!

junho 13, 2013

Mais que casamenteiro, Santo Antônio é exemplo de coerência

Image

 
Muitas simpatias envolvendo a imagem de Santo Antônio surgiram com os anos, mas padre Linson Rodrigues destaca que são heresias

Mais que um santo de devoção, para Beatriz Cristina Gonçalves, Santo Antônio é um companheiro. Para ela, que faz aniversário nesta segunda-feira, 13, dia de Santo Antônio, ele é aquele amigo que sempre a escuta. 

Esse é um ano muito importante para Beatriz: é o ano de seu casamento. “Eu pedi a Santo Antônio que estivesse comigo nesse dia. Pedi a ele que eu pudesse me casar na casa dele. A Catedral Santo Antônio de Guaratinguetá é muito concorrida, mas eu pedi a ele e consegui marcar meu casamento lá no dia que planejava. Acredito que foi uma intercessão dele”, conta a jovem.

Acesse
.: Ouça a história de amor e devoção de Beatriz https://i0.wp.com/img.cancaonova.com/noticias/portal/play_audio.jpg
.: Padre Lilson conta história de Santo Antônio 

Sempre muito compadecido com os pobres, Santo Antônio casava muitos deles sem exigir nenhuma contribuição financeira para a igreja, como era costume na época. Veio daí a fama de “santo casamenteiro”. 

“Conta-se também que uma jovem muito bonita, que queria encontrar um marido, fazia todos os dias orações e colocava junto à imagem de Santo Antônio flores que ela mesma colhia em seu jardim. Já cansada de esperar ela atira a imagem pela janela que cai na cabeça de um rapaz que se apaixona por ela e mais tarde eles se casam”, recorda o pároco Lilson Rodrigues da paróquia Santo Antônio, de Cachoeira Paulista, interior de São Paulo.

Antes de morrer, Santo Antônio prometou que nunca deixaria de atender um pedido dos fiéis. Com os anos, surgiram simpatias em relação a imagem do santo, mas como alerta o padre, tais coisas são heresias que nada condizem com a fé católica.

Mas Santo Antônio é mais que um santo casamenteiro, ele foi um grande anunciador do Evangelho e para padre Lilson o grande exemplo que Santo Antônio deixou foi o de uma vida coerente com aquilo que se prega.

“Maior característica de Santo Antônio é a busca por uma vida coerente. Pois ele sabia que muito mais que anunciar é preciso ter a vivência da palavra de Deus, mirando o exemplo dos santos”, destaca o pároco.

História de Santidade

Nascido em 15 de agosto de 1195, em Lisboa, Portugal, ele recebeu no batismo o nome de Fernando. Era o único herdeiro de Martinho, nobre pertencente ao clã dos Bulhões e Taveira de Azevedo. 

Fernando teve uma vida farta e estudou nos melhores escolas. Mas depois ingressar na vida religiosa na Ordem dos Cônegos Regulares de Santo Agostinho, o jovem  sacerdote pede para ser transferido para Coimbra a fim de ficar longe do assédio da família que não aceitava sua escolha pela pobreza. 

Nos estudos de filosofia e teologia, ele não encontrou dificuldade, pois tinha uma inteligência e uma memória formidável, acompanhadas por grande zelo apostólico e santidade. 

Em Portugal, conheceu conheceu a família dos Franciscanos e se encantou pelo testemunho dos mártires em Marrocos, além da vida itinerante na santa pobreza, uma vez que também queria testemunhar Jesus com todas as forças. E é na ordem dos franciscanos que Fernando adota o nome de Antônio.

“Lá ele passa a fazer trabalhos braçais e viver uma vida bem diferente daquela que ele vivia. Lá ele também conhece a graça da contemplação e conhece o próprio Francisco de Assis”, conta padre Lilson.

Certa vez,  o supervisor pede para ele fazer o sermão do dia de improviso e todos ficaram surpresos com sua facilidade e sabedora para anunciar o Evangelho. 

Amor aos pobres

Padre Lilson conta que num certo dia, Santo Antônio tomou todos os pães do convento e distribuiu aos pobres. O padeiro do convento ficou desesperado pois não tinha o que servir aos franciscanos, mas Antônio pediu para que ele verificasse na dispensa e ali aconteceu o milagre da multiplicação.

Assim, a exemplo de Santo Antônio, este ano, Beatriz decidiu doar alguns pães para sua paróquia, afim de que fossem abençoados e entregues às famílias. “Mas esse ano não estou pedindo nada, só quero que esses pães cheguem até a casa das famílias e que as abençoe para nunca faltar alimento a elas e que sejam felizes”, diz a devota.

Oração de Santo Antônio

Lembrai-vos, glorioso Santo Antônio, 
amigo do Menino Jesus, filho querido de Maria Imaculada, 
de que nunca se ouviu dizer de alguém que tenha recorrido à vós, 
tenha sido por vós abandonado. 
Animado de igual confiança, 
venho à vós fiel consolador e amparador dos aflitos. 
Gemendo sob o peso dos meus pecados, 
me prosto a vossos pés. 
Não rejeitais, pois, a minha súplica: (fazer o pedido). 
Sendo tão poderoso junto ao Coração de Jesus, 
escutai-a favoravelmente e dignai-vos a atendê-la. 
Amém.

Fonte: http://noticias.cancaonova.com/noticia.php?id=282113