Novena das Rosas

setembro 22, 2011

Bom Dia Povo de Deus!

Hoje começamos a Novena a Santa Teresinha, conhecida também como novena das rosas. Passaremos nove dias rezando e lembrando fatos e momentos da vida de Nossa querida santa. Coloquemos as intenções de nosso coração e busquemos como ela a pequena via da segurança sempre em Deus.

Vamos conhecer um pouco sobre sua vida e sua herança espiritual. Que você que ainda não tem devoção a Santa Teresinha, possa descobrir e se apaixonar por sua história e intense vida de santidade.

Fraternalmente,

Fabiana Paula

 

Aquarela que retrata Teresinha e sua mãe Zélia

Aquarela que retrata Teresinha e sua mãe Zélia

Santa Teresinha do Menino Jesus nasceu em Alençon (França), no dia 2 de janeiro de 1873, sendo batizada dois dias depois na igreja de Notre-Dame com o nome de Marie Françoise Thérèse. Seu pai, Louis Martin, relojoeiro e joalheiro, que aos 20 anos tentara ser monge da Ordem de São Bernardo, está perto dos 50 anos quando nasce sua nona filha. Sua mãe, Zélie Martin, famosa bordadeira do conhecido “ponto de Alençon”, gera Teresa aos 41 anos. Vítima de câncer, essa piedosa mulher falece no dia 28 de agosto de 1877.
A menina de Lisieux

Aos três anos, a pequena Teresa já está decidida a não recusar nada ao Bom Deus. Louis Martin transfere-se com as cinco filhas para a cidade de Lisieux, por sugestão do cunhado, Senhor Guérin. Os outros irmãos morreram ainda pequenos. Aí, cercada pelo carinho do pai que chama sua caçula de “minha rainha” e pela ternura das irmãs, Teresa recebe uma formação exigente e cheia de piedade. Suas irmãs se chamam Maria, Paulina, Leônia e Celina.

Na festa de Pentecostes de 1883, ela é milagrosamente curada de uma enfermidade através de um sorriso que lhe oferece a Virgem Maria. Educada pelas monjas beneditinas, até outubro de 1885, completa seus estudos em casa sob a orientação de Madame Papineau. Fez a primeira comunhão em 8 de maio de 1884, depois de uma intensa preparação. Este grande dia marca a “fusão” de Teresinha com Jesus.

No dia 14 de junho do mesmo ano recebe o sacramento da Crisma, muito consciente dos dons que lhe são implantados no coração. No Natal de 1886 vive uma profunda experiência espiritual, uma virada decisiva em sua vida, que ela chama de conversão: aos 13 anos, a menina chorosa e caprichosa, conforme seu próprio testemunho abandona os cueiros da infância. Supera a fragilidade emotiva conseqüente da perda da mãe e inicia uma corrida de gigante no caminho da perfeição.

Amanhã continuaremos com outros fatos de sua vida.

Façamos juntos agora a novena

Novena das rosas

Origem

O Reverendíssimo Padre Antônio Putingan, SJ, no dia 3 de dezembro de 1925, começou uma novena em honra de Santa Teresinha do Menino Jesus pedindo à milagrosa santa uma graça importante. Pediu o padre à Santa Teresinha que lhe desse um sinal de que a novena era ouvida, e este sinal seria receber uma rosa fresca e desabrochada de alguém.

Já idoso e doente, o Pe. Putingan escreveu, em fevereiro de 1926, de um quarto de hospital em Viena o que segue:

“No dia 3 de dezembro do ano passado comecei uma novena em honra à Santa Teresinha pedindo que me mimoseasse com uma rosinha, isto é, que alcançasse uma graça qualquer que ela julgasse útil e salutar para mim. Escolhi como oração para os nove dias, 24 “Glória ao Pai” em ação de graça por todos os benefícios que a Santíssima Trindade concedera à Santinha durante os 24 anos de sua vida.

Estava muito ansioso por saber se alcançaria realmente alguma graça. Por isso, pedi à Santa que me mandasse um sinal qualquer. Tomaria por sinal se ela, por exemplo, sugerisse a alguém a idéia de me oferecer uma bela rosa.

Esperei com grande curiosidade. E de fato, no terceiro dia da novena, apresenta-se uma senhorita, trazendo-me uma bonita rosa vermelha de haste comprida. Perguntei-lhe logo: “Como teve a idéia de trazer-me esta rosa?”

A jovem respondeu: “transcorrendo ontem, meu aniversário, trouxeram-me algumas rosas; pensei então que Vossa Reverendíssima talvez gostasse de ter uma nessa estação do ano.”

Pode ter sido acaso, mas jamais alguém se lembrara de me oferecer uma rosa, mormente no inverno, com neve copiosa e dez graus abaixo de zero.

No dia 24 de dezembro, comecei outra novena e pedi duas graças. Para a primeira não pedi sinal, porque devia eu mesmo sentir o efeito, mas solicitei-o para a segunda. Como sinal sugeri, desta vez, uma rosa branca. Ninguém sabia disto.

Eis que no quarto dia a irmã Vitalis entra no meu quarto com uma rosa branca na mão, dizendo: “Padre, trago-lhe este pequeno presente da Teresinha; ela lhe manda lembranças”. Todo alvoroçado pergunto: “Mas donde vem esta rosa?”

A irmã explica: “estava na capela, onde se acha uma estátua de Santa Teresinha. Não tenho o costume de ir ao altarzinho dela, mas hoje fui e vi que uma rosa caíra do altar. Lembrei-me então de Vossa Reverendíssima e vim trazer-lhe a rosa.”

O Pe. Putingan, alcançada as graças pedidas na novena, resolveu propagá-la em honra de Santa Teresinha, organizando em cada mês esta novena. Assim, no dia 9 a 17 de cada mês, todas as pessoas que desejarem fazer a novena unem as suas intenções às das pessoas que, na mesma época, fazem a novena, formando desta maneira, uma bela comunhão de orações.

A novena pode ser feita, individualmente, em família, ou em comunidade, incluindo em seus pedidos as intenções de todas as pessoas que fazem a novena ao mesmo tempo.

Novena

Reza-se diariamente durante a novena:

Santíssima Trindade, Pai, Filho e espírito Santo, eu Vos agradeço todos os favores e todas as graças com que enriquecestes a alma de vossa serva Santa Teresinha do Menino Jesus, durante os 24 anos que passou na terra.
E pelos méritos de tão querida Santinha, concedei-me a graça que ardentemente Vos peço (… faça aqui o pedido …) se for conforme a vossa santíssima vontade e para a salvação de minha alma.

Rezam-se em seguida:

24 vezes “Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo, assim como era no princípio, agora e sempre, por todos os séculos dos séculos. Amém!”

Pode-se acrescentar a cada “Glória ao Pai”, a jaculatória:

“Santa Teresinha do Menino Jesus, rogai por nós!”

E para finalizar:

Pai-Nosso

Ave Maria

Anúncios

Quem tem Jesus tem tudo!

fevereiro 15, 2011

"A flor que eu colho, oh meu Rei, és tu!"

Chamado também de “O Cântico de Celina”, foi composto por Teresinha no dia 28 de abril de 1895 para sua irmã Celina(Irmã Genoveva), a seu pedido, por ocasião de seus 26 anos.

Teresinha conta que Celina na alegria de ver uma primeira campânula branca desabrochar no jardim do mosteiro, corre para colhê-la. Teresinha a detéme diz: “É preciso uma licença”!

Uma submissão que chega a tal extremo pesou sobre Celina que ao retornar para a cela, quis cantar a Jesus o que, por amor a ele, ela havia renunciado. Os versos porém, não passaram de dois:

“A flor que eu colho, oh meu Rei, és tu!”

Sabendo do que se passara, Teresinha vem em auxílio de sua irmã. E vem com muito prazer, pois cantar as coisas que sua companheira de infância e adolescência deixara para trás era cantar também sua própria história, as próprias renúncias feitas com alegria, de livre vontade, sem arrependimento. Nada escapa a Teresinha, que compõem o que na minha opinião é um de suas mais belas poesias e as estrofes chegam ao número de 55!

Mas, o que Teresinha efetivamente quer cantar e cantá-lo com sua irmã é o que começa a dizer, como consequência dos versos anteriores, a partir da estrofe 38, ‘Quem tem Jesus tem tudo’…

E é isso que devemos sempre proclamar, pois quem tem Jesus tem o maior tesouro, o maior amigo, Aquele que nunca irá nos esquecer, nem desamparar, que nunca nos decepcionará, que sempre está pronto a nos amar e perdoar e só Ele, só Ele pode preencher os vazios do nosso coração.

Quando você sentir sozinho, perdido, esquecido, sem chão, lembre-se de Jesus e da frase de Santa Teresinha, porque  se você tem a Jesus nada mais lhe pode faltar!

Termino meu post com as estrofes 3 e 4.

É só teu amor que me arrasta
Meu rebanho deixo na planície;
Não me dou o trabalho de guardá-lo
Quero agradar apenas meu único novo cordeiro

Jesus, és tu o Cordeiro que eu amo;
Tu me bastas, oh Bem supremo!
Em ti, tenho tudo, a terra e o próprio Céu.
A flor que eu colho, oh meu Rei,
És tu!…

Deus os abençoe e muita força, fé e coragem!
Santa Teresinha,
Rogai por nós!
Fabiana Paula


Pensamento de Santa Teresinha

agosto 28, 2009

santa teresinha 2

“Que a espada do espírito, que é a Palavra de Deus, esteja sempre em nossa boca e em nossos corações. Se estamos às voltas com uma alma desagradável, não desanimemos e jamais a abandonemos. Tenhamos sempre a ‘espada do espírito’ em nossa boca para repreendê-la de seus erros; não deixemos as coisas como estão, a fim de conservar a nossa paz; lutemos sempre, mesmo sem esperança de ganhar a batalha. Que importa o sucesso? Aquilo que o bom Deus nos pede é não determos diante do cansaço da luta, é não  nos desanimarmos, dizendo: Pior para ela… Não há mais nada a fazer; só abandoná-la! Oh! Isto é covardia! É preciso cumprir o nosso dever até o fim”!