A história de um pequeno ser humano

agosto 2, 2013

jeromeNa JMJ 2013 no Rio Janeiro, um pequeno gesto me chamou a atenção… Cada jovem ao receber o seu kit de peregrino, recebeu também um rico e valioso presente:Uma belíssima cartilha elaborada pela Comissão Nacional da Pastoral Familiar – CNPF, chamada“Chaves para a bioética”. Este “livreto” foi elaborado em parceria com a Fontadion Jérôme Lejeune, fundada em hora deste grande geneticista que descobriu a causa do chamado “mongolismo”. Este homem recebeu em 1964 a primeira cátedra de genética fundamental na Faculdade de Medicina de Paris. Vale a pena ressaltar que a cátedra em questão foi criada especialmente para ele.

Jérôme Lejeune na medida que estudava as causas de deficiências intelectuais de origem genética, apaixonou-se pelos seus pacientes ao ponto de tornar-se um firme defensor da vida. Em 1974, ele foi nomeado pelo Papa Paulo VI para a pontifícia Academia de Ciências. Dentre outros títulos, vale a pena destacar a sua eleição para a Academia das Ciências morais e políticas na França (1994), o título de doutor honoris causa da Universidade de Navarra (Pamplona, Espanha) e a Presidência da Pontifícia Academia para a vida, criada pelo saudoso Beato João Paulo II. Faleceu em 1997 enquanto acontecia a JMJ de Paris.

No ano de 1996 a Fundação Jérôme Lejeune foi reconhecida como de grande utilidade pública para a humanidade.

Durante um bom período estarei publicando aqui no blog Dominus Vobiscum trechos desta cartilha que nada mais é do que a visão da Igreja Católica Apostólica Romana sobre questões polêmicas como o aborto e o uso de células embrionárias. Sei que muita gente que não concorda com a visão da Igreja vai ler e refutar os artigos escritos. Mas o objetivo é antes de tudo, mostrar aos católicos o que a Igreja diz. Se cada um vai se unir a Igreja de Cristo ou não, dai já não posso fazer muita coisa. Só penso que antes de criticar é importante ler e refletir. Espero de coração que vocês gostem e reflitam…

A história humana começa na fecundação

A grande questão acerca do aborto precisa antes de tudo passar por perguntas prévias e importantes como esta: quando de fato começa a vida? Na visão da biologia (ciência que estuda a vida), uma nova vida humana começa no momento em que as informações conduzidas pelo espermatozoide se reúnem com às conduzidas pelo ovócito. Para os biólogos, neste exato momento é determinado o patrimônio genético de uma pessoa, inclusive seu sexo. Não se trata de uma teoria, mas de um primeiro estágio de desenvolvimento de alguém que um dia terá um nome como eu e você, porém naquele momento, ainda não está plenamente desenvolvido.

O zigoto é o primeiro estágio do embrião, onde se reúnem 23 cromossomos da mãe e os 23 cromossomos do pai. O seu tamanho é de 0,15 mm. Com 24 horas, o embrião já começa a se dividir, ou seja, já não é mais uma célula, mas duas que com o tempo irão se multiplicando e assim manifestando a nova vida.  Com 48 horas, já existem 4 células e com 72 horas, 8 células. Tudo vai acontecendo de forma ordenada (bonito ver como as coisas criadas por Deus são ordenadas). Com quatro dias o nascituro já está do tamanho de uma pequena amora e entre o 5º e 7º ocorre a nidação no útero materno. Com 21 dias, por meio da ecografia o coração do bebê já pode ser ouvido. Com dois meses, já é possível distinguir os dedos, a boca, o nariz, as orelhas, os olhos e até as pálpebras!

No terceiro mês a ciência já não chama mais aquele ser humano de embrião, mas de feto. Ele pode mexer as mãos e já podemos inclusive saber seu sexo.

Como se vê, o embrião é um organismo vivo, um ser vivo, um ser humano em potencial. Este pequeno ser, mesmo em seu primeiro dia de vida, já é dotado de um patrimônio genético humano mas está indefeso e frágil. A Igreja que se preocupa com a vida, também se preocupa com as frágeis vidas humanas que estão em desenvolvimento. Será que estas vidas não tem o direito de serem defendidas?

Fases do desenvolvimento embrionário (da 3ª a 8ª semana)

Falando sobre a gravidez

Gravidez é o estado da mulher em que o feto se desenvolve dentro da mãe (Dicionário Caldas Aulete). É importante que você saiba que desde o momento da concepção (fecundação), a mulher já é considerada grávida, pois é a partir desta data que se contam os meses para o nascimento da criança.

Como se vê, já existe vida ao primeiro dia de gravidez. Talvez você me diga que é apenas uma célula. Sim, é verdade. Porém uma célula viva que já não faz mais parte do corpo da mãe. Está na mãe, mas não é parte do corpo dela. Agora pense comigo: Se um dia encontrarem uma célula viva em outro planeta, esta terá um grande valor para a humanidade. Porém infelizmente uma célula gerada no corpo de uma mulher, um ser humano como eu e você, em nosso planeta, já corre risco de morte.

Até a próxima!

Dominus Vobiscum


Aborto, uma violência moral e física

agosto 2, 2013

.

Quem tem autoridade para dizer onde começa a vida é a Biologia, amparado pela embriologia, pela medicina fetal, isso nós já sabemos.

E é justamente a biologia que nos afirma que a única diferença entre cada um de nós e um óvulo fecundado é o TEMPO e a NUTRIÇÃO. Ou seja, isso é um dado científico.

A diferença é que eu tenho 30 anos e o feto tem 2 meses, 5 meses… ; Eu como arroz e feijão e o feto está em simbiose com a mãe por questões nutrientes, somente por isso.

.

Nenhum ser humano é mais humano do que outro.

SER e HUMANIDADE são inatos, não são adquiridos.

Nenhum corpo vivo pode se tornar pessoa se já não for em essência.

O feto não se torna pessoa, ele é pessoa.

Nem defeito físico, que a criança tenha, nem tempo de fecundação, vai mudar isso. Se a vida começa na concepção, como é provado pela Biologiao aborto é matar uma vida. E uma vida indefesa.

Num aborto o feto morre de maneira dolorosa, ele tem sensibilidade à dor e isso foi mostrado pelo Dr.Bernad Nathanson no filme”Silent Scream“(O grito silêncioso).

O vídeo mostra o feto tentando se desviar do instrumento abortivo, acelerando os batimentos cardíacos quando o sugador o encontra.

Assim que seus membros foram arrancados, sua boca se abriu, o que deu origem ao nome do filme do Dr Nathanson.

Numa gestação, o agente ativo é o feto e o agente passivo é a mãe;

É o feto quem regula o líquido amniótico, é ele quem em última instância diz o momento de sair; Tanto é, que alguns abortos espontâneos acontecem porque o organismo da mãe entende a criança como um ser estranho. O que impede da criança não ser expulsa pelo organismo da mãe é justamente a cápsula protetora que o feto desenvolve.

E os abortistas ainda insistem em dizer que o feto é prolongamento do corpo da mulher!

Querem tratar o aborto como uma procedimento natural e trnaquilo, somente que Deus perdoasempre, os homens às vezes mas a natureza nunca.

Quanto a natureza cobra pelo aborto?

 

25% das mulheres que fizeram aborto freqüentam continuamente psiquiatria.

60% experimentam estress emocional pós aborto e desordem do estress pós traumático.

138% mais probabilidade de depressão comparando com as mulheres que mantem sua gravidez até o fim.

260% mais probabilidade em serem hospitalizadas para tratamentos psiquiátricos.

7 X mais propensas ao suicídio do que as outras mulheres

De 30 à 50% da mulheres que praticam o aborto ficam com alguma disfunção sexual.

.

Além de:

  • Perfuração do útero

  • Embolia

  • Necrose

  • Cancro da mama(nº altíssimo) da cervical, do fígado.

  • Complicações numa gravidez futura.

  • Pancreatite

  • Endometrite

  • lacerações

    Etc.etc.etc….

A pessoa humana não é só físico, é mente, corpo, alma e espírito;

O problema é que querem tratar a questão do aborto como se ao retirar o feto, o problema da mulher estivesse resolvido.

Está muito claro as consequências do aborto para a mulher.

Outro argumento ridículo é o de que a legalização do aborto é questão de saúde pública.

A verdade é que todos aqueles que defendem o aborto escondem as consequências dele.

Os abortistas querem atacar a causa e não trabalhar o preventivo que é a legítima educação.

Aí a gente olha pra situação da saúde pública no Brasil: Hospital sem médico, sem equipamento pra fazer radiografias, filas quilométricas para o pobre ser atendido, falta de leito nos hospitais.

Falar que aprovar aborto no Brasil é questão de saúde pública é simplesmente ridículo.

Enquanto se quer legalizar o aborto com a desculpa de problema de saúde pública as mães que querem ter seus filhos não encontram leitos, não encontram médicos nos hospitais, mas encontram um caos na saúde pública.

São 2 anos pra uma mulher operar um mioma na rede pública, um caos. Coitados dos que dependem da rede pública. E agora querem nos convencer que legalizar o aborto é questão de saúde pública?

O aborto é a violência dos poderosos contra os indefesos, essa é a verdade.

.Fonte: Blog do Tiba: http://blog.cancaonova.com/tiba/2012/02/09/aborto-uma-violencia-moral-e-fisica/

 _______________________________________


O Cético e o Lúcido…

agosto 2, 2013

Gêmeos

No ventre de uma mulher grávida estavam dois bebês.
O primeiro pergunta ao outro:
– Você acredita na vida após o nascimento?
– Certamente. Algo tem de haver após o nascimento.
– Talvez estejamos aqui principalmente porque nós precisamos nos preparar para o que seremos mais tarde.
– Bobagem, não há vida após o nascimento. Como verdadeiramente seria essa vida?
– Eu não sei exatamente, mas certamente haverá mais luz do que aqui.
– Talvez caminhemos com nossos próprios pés e comeremos com a boca.
– Isso é um absurdo! Caminhar é impossível.
– E comer com a boca? É totalmente ridículo! O cordão umbilical nos alimenta.
– Eu digo somente uma coisa: A vida após o nascimento está excluída – o cordão umbilical é muito curto.
– Na verdade, certamente há algo. Talvez seja apenas um pouco diferente do que estamos habituados a ter aqui.
– Mas ninguém nunca voltou de lá, depois do nascimento. O parto apenas encerra a vida.
– E, afinal de contas, a vida é nada mais do que a angústia prolongada na escuridão.
– Bem, eu não sei exatamente como será depois do nascimento, mas com certeza veremos a mamãe e ela cuidará de nós.
– Mamãe? Você acredita na mamãe? E onde ela supostamente está?
– Onde? Em tudo à nossa volta! Nela e através dela nós vivemos. Sem ela tudo isso não existiria.
– Eu não acredito! Eu nunca vi nenhuma mamãe, por isso é claro que não existe nenhuma.
– Bem, mas, às vezes, quando estamos em silêncio, você pode ouvi-la cantando ou sente como ela afaga nosso mundo.


Vergonha para o Brasil

agosto 2, 2013

Aborto

A presidente Dilma Rousseff sancionou nesta quinta-feira (1º), sem vetos, projeto de lei que determina o atendimento obrigatório e imediato no Sistema Único de Saúde (SUS) a vítimas de violência sexual, segundo informou o ministro da Saúde, Alexandre Padilha. A lei entra em vigor em 90 dias.

Com a sanção, Dilma manteve no projeto um trecho que foi alvo de polêmica entre religiosos por obrigar hospitais a prestarem serviço de “profilaxia da gravidez” a mulheres que foram abusadas.

De acordo com o projeto, todos os hospitais da rede pública serão obrigados a oferecer, de forma imediata, entre outros serviços, a “profilaxia da gravidez”, termo que, de acordo com o Ministério da Saúde, refere-se ao uso da chamada “pílula do dia seguinte”. A medicação evita a fecundação do óvulo (em até 72 horas após a relação sexual) e não tem poder para interromper uma gestação.

Segue abaixo o post do blog do Padre Joãozinho sobre esse triste acontecimento.

No calor dos debates pedi a uma pessoa da área do direito que fizesse uma análise semântica e jurídica da expressão “profilaxia da gravidez”. Uma vez que a Presidente Dilma sancionou integralmente o PL 03/2013 contra o pedido da CNBB de veto parcial, cabe garantir que honre, ao menos, o sentido preciso da ambígua expressão “profilaxia da gravidez”. Este artigo surgiu depois uma conversa e a convite do meu amigo João Carlos Almeida (Padre Joãozinho, scj), após a qual resolvi escrever devido ao tramite do Projeto de Lei 03/2013, autoria da deputada federal Iara Bernardi do PT/SP[1], que traz em seu art. 3º, IV, a expressão “profilaxia da gravidez”, que vem sendo interpretada como “aborto permitido”. Na verdade o projeto de lei visa a tornar obrigatório o atendimento emergencial às vítimas de violência sexual no SUS – Sistema Único de Saúde.

Durante esta conversa surgiu a seguinte duvida: será que a palavra “profilaxia” empregada na futura lei não poderia ser interpretada como aborto permitido no Brasil?

No direito, a interpretação nada mais é que buscar o efetivo alcance da norma, ou seja, procurar descobrir aquilo que ela tem a nos dizer com a maior precisão possível, sendo que os meios empregados para a interpretação são: 1) literal ou gramatical, que se preocupa simplesmente com o significado das palavras; 2) a teleológica, que visa alcançar a finalidade da lei, aquilo que ela se destina regular; 3) a sistêmica, que interpreta a norma legal como um todo e não somente para as partes; 4) a histórica, na qual o interprete da norma busca fundamentos de sua criação e momento pelo qual a sociedade atravessa.

Ora, o vocábulo “profilaxia” tem significado médico de conjunto das precauções higiênicas que devem tomar-se para evitar uma doença ou um contágio[2].

Logo, trazendo para dentro do contexto do Projeto de Lei 03/2013 e usando as técnicas de interpretação acima, temos que a palavra profilaxia foi usada corretamente no contexto médico de forma a tratar e prevenir doenças infectocontagiosas que as mulheres vítimas do estupro não venham a sofrer, tais como: DST, AIDS, hepatite etc. e logicamente não inclui a gravidez, pois não se trata de doença.

Hoje o aborto, art. 124 do Código Penal[3], é crime com pena prevista de 1 a 3 anos de prisão, e somente casos previstos na lei não são considerados crimes.

Na nossa constituição e no direito penal brasileiro temos o princípio da legalidade que afirma que um crime só existe se a lei previr que aquela conduta é criminosa. “Não há crime sem lei anterior que o defina, nem pena sem prévia cominação legal.” (art. 5º, XXXIX da CF/88 e art. 1º do CP, respectivamente).

Para que um crime deixe de existir é necessário que uma lei diga que aquela conduta tipificada não é considerada mais como infração penal. Foi o que aconteceu, por exemplo, com o crime de adultério que era previsto no art. 240 do Código Penal brasileiro e hoje não é mais considerado como um delito contra o casamento.

No PL 03/2013 não há revogação do crime de aborto, fazendo com que deixe de ser crime. A finalidade do projeto de lei é unicamente dar tratamento médico para as doenças que as vítimas de violência sexual venham a adquirir, podendo até prejudicar o desenvolvimento normal de uma gestação devido ao surgimento de alguma doença adquirida pela violência. Isto sim é a “profilaxia da gravidez”. Tudo isso e só isso. O que ultrapassa é eufemismo que não cabe nos termos da lei.

Contudo para que haja a legalização do aborto, o texto do projeto de lei já mencionado deve trazer menção em artigo próprio, como manda a boa técnica legislativa, que tal conduta punida estaria fora do rol dos crimes, como aconteceu com o crime de adultério que foi revogado pela Lei 11.106/05 em seu art. 5º: “Ficam revogado o art. 240 do decreto lei 2.848/40[4].” E não é o que ocorre com o caso em questão, pois não há intenção do legislador em descriminalizar o aborto, já que não incluiu artigo que revogasse os artigos que incriminam tal pratica, continuando em vigente os crimes de aborto.


[1] http://www.senado.gov.br/atividade/materia/detalhes.asp?p_cod_mate=111416

[2] http://www.priberam.pt/dlpo/default.aspx?pal=profilaxia

[3] http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/del2848compilado.htm

[4] http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2005/lei/l11106.htm


Viva a vida!

julho 19, 2011

Oi gente, Boa Noite!

É sempre maravilhoso ler matérias sobre a vida e de como muitas pessoas estão lutando, fazendo a sua parte para que a cada dia possamos entender que só Deus é o Senhor e autor da vida e da morte e que toda vida é um lindo Dom de Deus.

Deus os abençoe e uma feliz e santa semana!

A vida em primeiro lugar


Vídeo lindo!!!

novembro 16, 2009

Gente vejam que lindo vídeo, muito emocionante…

Uma maravilhosa semana a todos!

Abraço fraterno,

Fabiana.

http://www.youtube.com/watch?v=aA9DE1SFH-A


abril 22, 2009

A vida é um Dom Precioso de Deus 

 

"Eu vim para que todos tenham vida e tenham em abundância"!

"Eu vim para que todos tenham vida e tenham em abundância"!

 

Não pararemos enquanto for possível encontrar nas nossas cidades uma mulher que diga: “Eu abortei porque não encontrei quem me ajudasse”
(Madre Teresa de Calcutá)

 Escrevo esse email as pessoas que acessam meu blog e que por algum motivo desejam abortar.

Vocês não tem idéia do número de acessos que tenho de pessoas que querem praticar abortos e como em uma das minhas matérias eu abordei esse assunto, ao pesquisarem elas entram no meu blog.

A vida é um dom tão precioso de Deus, um presente que ganhamos, por isso matar é um ato tão covarde, pois somente nosso Deus dá o sopro da vida e sabe a hora de voltarmos para o seu lado.

Gostaria de falar a você minha querida irmã que por mil motivos deseja abortar seu filho(a).

Peça ajuda as pessoas certas.

Procure uma igreja, a Pastoral familiar, eles o ajudarão psicologicamente e espiritualmente.

Recebi um email de uma portuguesa e gostaria de tornar público os centros de ajuda as mulheres que estão grávidas e enfrentam problemas em sua gravidez e pensam em abortar, para vocês mulheres portuguesas pontos de apoio. Não cedam as pressões externas, leve a frente sua gravidez e como já abordei antes, procure pessoas certas.

Em breve vou postar os centros de apoio aqui no Brasil. Esses endereços são de centros de ajuda em Portugal.

Abraço fraterno e coragem!

Fabiana Paula.

 

ATITUDES CONTRA O ABORTO.

 

 

 


Acredito ser importante conhecermos todas as atitudes existentes para combate do aborto, afim de que possamos dar continuidade a elas!
Por isso coloco abaixo alguns programas que defendem a vida, contra o horror do aborto.
Os danos psicológicos para a mulher que comete o aborto são tão pesados, tão agressivos, que existe até mesmo um programa para isso. Essas ações estão em atividade em Portugal.

Não pararemos enquanto for possível encontrar nas nossas cidades uma mulher que diga: “Eu abortei porque não encontrei quem me ajudasse”
(Madre Teresa de Calcutá)
 AJUDA DE BERÇO

A Ajuda de Berço é um centro de acolhimento para bebês dos 0 aos 3 anos de idade em situação de risco ou abandono. Foi fundada em 1998 e começou a receber bebês em Janeiro de 1999. Desde essa altura recebeu cerca de 60 bebês, dos quais 40 foram já entregues novamente às suas famílias biológicas ou a famílias de adoção. A capacidade de alojamento é de 20 bebês, num espaço situado na Quinta da Cabrinha e cedido pela Câmara Municipal de Lisboa. Tem um grupo de cerca de 100 voluntários e 30 funcionários onde se inclui a equipa técnica, educadora, auxiliares de educação, cozinheira e auxiliares de limpeza. Trabalha em articulação direta com o Tribunal de Família e Menores do qual recebe orientação para o encaminhamento das crianças. A S.C.M.L. atribui um subsídio mensal para manutenção do centro e o Banco Alimentar contra a Fome apóia em gêneros alimentares. O centro é ainda financiado através de donativos de particulares e das quotas dos seus sócios.

Contacto: Drª Sandra Anastácio
Av. de Ceuta, nº51, r/c, Lisboa – Tel.: 21 362 82 74 / 6 ajudadeberco@mail.telepac.pt

S.O.S. VIDA – APOIO À GRÁVIDA

O S.O.S. Vida é uma instituição de apoio a grávidas em situação de risco apoiada pela Diocese do Algarve e pelo seu Bispo, D. António Madureira. Está sediado em Faro, mas trabalha com grávidas de todo o Algarve. Tem um gabinete de atendimento presencial e telefônico, e duas casas onde acolhe grávidas temporariamente (Portimão e Alcantarilha). A terceira casa de acolhimento está em construção. Dá todo o apoio necessário às grávidas, incluindo seguimento médico, ajuda à procura de emprego depois do nascimento do bebê, etc. Surgiu depois do referendo de 1998 e até Abril de 2001 já deu apoio a mais de 130 grávidas que puderam assim ter os seus filhos com as condições necessárias.

Contacto: Pe. Jerónimo Gomes Rua da Saúde, 4 – 8000 Faro – Tel.: 289 812 812 (24h)

ASSOCIAÇÃO DE DEFESA E APOIO DA VIDA – ADAV

A ADAV-Coimbra nasceu em 1999 e obteve o reconhecimento como IPSS (Instituição Particular de Solidariedade Social) no ano seguinte. Propõe-se colaborar com a família, através do apoio solidário à vida humana, desde a concepção até à morte natural. A ADAV tem âmbito nacional e a sua atividade desenvolve-se em várias direções, a que tem chamado “Projetos”. O primeiro – o “Projecto Mãe” – gira em torno da grávida, proporcionando-lhe, num trabalho em rede, ajuda eficaz para superar qualquer obstáculo que ameace comprometer o seu direito à maternidade. O “Projecto Mãe” conta já com um centro de atendimento em Coimbra e outro em Leiria. Os centros estão protocolarmente ligados a pessoas ou instituições das áreas da Medicina, Psicologia, Direito, Segurança Social, Emprego, etc. que prestam, a título gratuito, os serviços profissionais em cada caso indispensáveis para o bom êxito do “Projeto”. O “Projecto Avô” – de apoio à terceira idade desamparada – começa agora a desenhar-se. Na escola, o “Projecto Crescer” dirige-se a pais, professores e alunos, num espectro variado de iniciativas: formação contínua de professores, grupos de solidariedade juvenil, sessões de debate construtivo, gabinetes de apoio ao aluno, etc. O “Projecto Opinião” mais não pretende do que contribuir para a formação da opinião pública, numa sociedade livre e plural.

Contacto:

ADAV – Coimbra
Praça 8 de Maio, nº 42, 2º, sala B, 3000-300 Coimbra – Tel.: 239 820 000
ADAV – Leiria

ADAV – Aveiro Apartado 420, 3811-901 AVEIRO adavaveiro@hotmail.com

PONTO DE APOIO À VIDA – PAV

No período da campanha contra a despenalização do aborto, tornou-se claro que muitas grávidas em dificuldades se sentem de tal forma pressionadas a rejeitar o seu filho que, freqüentemente, mesmo não sendo esse o seu desejo, deixam de o trazer à Vida pela situação de desespero, solidão e abandono em que se encontram, ou por mero desconhecimento dos seus direitos e falta de informação em relação aos apoios a que podem recorrer.

O PAV é uma Instituição Particular de Solidariedade Social que nasceu exatamente para dar resposta a estas futuras Mães, no sentido de as informar, encaminhar para instituições especializadas ou, simplesmente, ouvir.

Apoiados por uma base de dados com informação sobre as instituições de defesa da vida existentes em Portugal e por uma equipa de voluntários que inclui médicos, advogados, psicólogos, temos vindo a dar apoio a mães e futuras mães. Esse apoio é efetuado através do atendimento telefônico e direto; acompanhamento social e psicológico personalizado; formação e apoio ao nível do planejamento familiar encaminhamento das crianças para creches, ATL’s,…; ; apoio, quando possível, em gêneros doados ao PAV. O PAV é financiado pela SCML, pelas quotas dos seus associados e donativos de benfeitores.

Contacto: Drª Bárbara Costa Duarte
R. Raul Mesnier du Ponsard nº 10, 1750-243 Lisboa – Tel.: 21 758 9818 pavida@sapo.pt

VIDA NORTE

Vida Norte, assim se designa esta associação que promove a vida na zona banhada pelo Douro. Iniciamos os primeiros passos quando foi urgente unir as vozes em torno da Vida. Contudo, essa oportunidade de juntar esforços não terminou com a vitória nesse combate desigual. Logo constatamos que o nosso serviço à vida não só não tinha terminado, mas mal tinha começado. Dirigimos, desde então, os nossos esforços em três frentes: por um lado, para o incremento da formação interna. Precisávamos de robustecer a qualidade dos nossos argumentos, aliando maior rigor técnico e melhor fundamento científico à nossa admiração pela beleza e dignidade da vida humana, mesmo na sua aparência mais débil e desprotegida.

Por outro lado, promovemos ações de formação “externa”, tentando dar resposta aos pedidos das associações de pais, dos professores e dos diversos grupos de jovens que solicitam, freqüentemente, a nossa colaboração nas suas actividades.

Realizamos também um programa de rádio – “Portugal pela Vida” – em parceria com a Associação T.P.V. na Rádio Digital de Famalicão. Às quartas feiras as ondas hertzianas falam da Vida.

Uma outra rota que pensamos ser fundamental incrementar está relacionada com o apoio direto a jovens grávidas. Estamos a desenvolver casuísticas para poder dar uma resposta cada vez mais efetiva a estes pedidos, disponibilizando apoio médico, psicológico, jurídico e laboral.

Por último, procuramos intervir construtivamente no debate político sobre as questões “vitais” da nossa sociedade – as que implicam formidáveis desafios à dignidade da pessoa humana, à sua própria humanidade – no espírito de uma verdadeira participação cívica, através de acções de esclarecimento e informação junto das Comissões Parlamentares, despertando as energias e capacidades de iniciativa social latentes na sociedade.

Este é o Vida Norte.

Contacto: Alexandra Tété
Al. Jardins da Arrábida 436-11º, 4400-478 V.N. Gaia – Tel.: 93 334 8212
vidanorte@oninet.pt

ATPV – TUDO PELA VIDA

A Associação Tudo pela Vida foi constituída em Famalicão em 17 de Fevereiro de 1999 tendo como objeto a Defesa da Vida Humana e da sua Dignidade. No dia 8 de Março de 1999 (Dia Mundial da Mulher) foi inaugurado o Centro de Apoio à Vida e foi criada a Linha ATPV (linha telefônica).Já em 2001, também no dia Mundial da Mulher foi lançada a inaugurada a Escola de Educadores. Desde a sua constituição a ATPV já desenvolveu as seguintes atividades:
– Centro de Apoio à Vida: – Consultório médico,
– Consultório jurídico,
– Linha Telefônica de Atendimento
– Divulgação do Centro de Apoio à Vida nos Jornais Regionais.
Ações de formação:
– Formação, interna, de Voluntários
– Organização em parceria com o “Norte Família e Vida” de Seminário “Educar na Cidadania”, – Participação em Colóquios no Norte do País,
– Abertura da “Escola de Educadores – Tudo Pela Vida”.
Ações de informação:
Criação em parceria com o “Vida Norte” de um programa radiofónico “Portugal Pela Vida” de difusão semanal na Rádio Digital FM de V. N. de Famalicão, onde são debatidos temas relacionados com a Vida, sua Dignidade e com Família. Mensalmente são convidadas personalidades. Este programa tem a duração de 2h00 sendo a primeira de explanação e a segunda de debate com a linha telefónica aberta a participações do exterior.

Contacto: Arq. António Meireles
R. Ernesto Carvalho, Edifício Roma, loja 5, 4760 Vila Nova de Famalicão – Tel.: 96 479 3500
tudo.pela.vida@clix.pt

MATERNIDADE E VIDA

A Associação “Maternidade e Vida” dá apoio a grávidas em situação de risco. Está neste momento a preparar um centro de atendimento em Paredes. Tem atendido sobretudo grávidas adolescentes com necessidade de apoio econômico e/ou psicológico.

Contacto: Dr. Francisco Rocha
Apartado 127, 4584-909 Paredes – Tel.: 255 782205 / 93 6545871 maternidade@maternidade-vida.org

VIDA SIM

O grupo Vida Sim de Sintra começou por dedicar-se ao apoio à maternidade. Tem uma linha telefónica com atendimento permanente para contacto de grávidas ou mães em situação de risco. Dá apoio psicológico, legal, procura de emprego, acolhimento, etc. Promoveu a edição dum cartaz com contactos telefónicos de apoio a grávidas que distribuiu por todo o país. Recentemente começou a trabalhar na formação na área da sexualidade humana, sobretudo de jovens.

Contacto: Drª Rosário Marques
Apartado 156, 2710-999 Sintra vidasim@mail.telepac.pt

CENTRO DE MÃE E MOVIMENTO DE APOIO À GRÁVIDA
Contacto:

Tel.: 291 22 0274

A VIDA NASCE

A Quinta da Lage, nos arredores de Portalegre, está a ser preparada para receber um centro de acolhimento a mães adolescentes e solteiras em risco. O projeto chama-se A Vida Nasce, é promovido por D. Augusto César, Bispo de Portalegre-Castelo Branco, e tem vindo a ganhar forma a partir do referendo do aborto de 1998.

Contacto: Irmã Rosário Nunes
GABINETE DE APOIO À GRÁVIDA
Na Guarda está a funcionar o “Gabinete de Apoio à Grávida” por iniciativa conjunta da delegação regional da Associação Católica dos Enfermeiros e Profissionais de Saúde (ACEPS) e do Centro de Saúde local. O gabinete tem por objetivo apoiar as grávidas em risco, nos campos da saúde, social e psicológico. A enfermeira responsável tem formação na área da obstetrícia e mediante os casos que vão aparecendo faz uma avaliação e depois encaminha-os para os sectores onde se enquadram e onde será prestado o apoio necessário.
Contacto: Enfermeira Emília Ramos
Tel.: 271 200800

FUNDAÇÃO FAMÍLIA E SOCIEDADE

A Fundação Família e Sociedade é uma instituição sem caráter lucrativo, comfins humanitários, sociais, culturais, científicos e educacionais, no âmbitodo apoio à pessoa, à família e à saúde.

Assim, esta Fundação tem vindo a desenvolver dentro do âmbito da consecução dos seus fins, atividades nos domínios da Educação Sexual, da Bioética, do aconselhamento e planejamento familiar natural e na criação e desenvolvimento de um Centro de Documentação e Biblioteca nas áreas atrás referidas para consulta de todos os interessados. Entre as atividades desenvolvidas são de destacar diversos cursos de métodos naturais de planejamento familiar para casais, umas Jornadas sobre o mesmo tema, e diversas ações de formação na área da sexualidade em escolas. Em Setembro de 2001 realizou em Lisboa a primeira ação de formação de professores do programa Teen STAR – Sexuality Teaching in the context of Adult Responsibility, tendo contado com a presença de 150 participantes. Está neste momento a realizar os primeiros 25 cursos de educação sexual em escolas nacionais.

Contacto: Drª Ana Isabel Lynce
R. Viriato, 23 – 6º Dtº. Lisboa – Tel.: 21 315 2657
familia.sociedade@netc.pt

ASSOCIAÇÃO VIDA UNIVERSITÁRIA

A Associação Vida Universitária é uma associação de voluntários de ação social composta na sua maioria por estudantes universitários. Alguns dos seus objetivos são: voluntariado em associações de apoio concreto a grávidas em dificuldade e às crianças em situação de risco; contribuir para a formação, tanto intelectual como humana, na defesa da dignidade e da vida do Ser Humano desde o momento da concepção até à morte natural; dar a conhecer no meio universitário as Instituições de Solidariedade Social que possam ajudar em situações de necessidade, principalmente dos/das estudantes universitários/as. Estão a ser criados núcleos em diversas faculdades.

Contacto: Rodrigo Faria de Castro Tel.: 91 865 1856
vidauniversitaria@portugalmail.pt

VINHA DE RAQUEL

A Síndrome Pós-Aborto afeta uma percentagem elevada das mulheres que a ele se sujeitam. Os seus efeitos são devastadores: depressão, tentativas de suicídio, ansiedade, pânico, pesadelos… Tendo em conta que essa doença já afeta muita gente em Portugal, o Serviço de Defesa da Vida do Patriarcado de Lisboa trouxe para Portugal o retiro da “Vinha de Raquel”. O retiro, “uma jornada psicológica e espiritual para a cura do trauma pós-aborto”, foi desenvolvido pela Prof. Drª. Theresa Karminski Burke e por Barbara Cullen. A Drª Theresa Burke, doutorada em aconselhamento psicológico, é a fundadora do “Center for Post Abortion Healing” (Centro de Cura Pós-aborto) e especialista em problemas de mulheres, gestão da culpa, abuso sexual, ansiedade, desordens alimentares, e aborto. O primeiro retiro em Portugal decorreu no passado mês de Outubro. O movimento “Mulheres em Ação” é responsável por um projeto relacionado, o “Projecto Raquel”. Este visa acompanhar individualmente mulheres afetadas por essa síndrome. Tem uma equipe de psicólogos e psiquiatras que realizam essa tarefa.
Contacto: Drª Ana Barquinha

vinhaderaquel@email.com / http://www.rachelsvineyard.org/

Como é possível constatar no último programa em defesa da vida apresentado acima, o aborto é uma agressão violenta à mulher.
Por esse motivo fico escandalizada quando o comparam ao voto e ao trabalho da mulher! O direito ao voto, e o direito ao trabalho, foram conquistas nossas para melhorar a sociedade!
O aborto é uma agressão violenta a mulher! Não é um direito! É UM CRIME!
Nós mulheres não queremos praticar o aborto! O que queremos é uma sociedade mais justa, menos corrupta, com saúde e educação de qualidade! Queremos que nossos filhos possam crescer com qualidade de vida e sem violência!
E isso só se consegue através do caminho traçado por Jesus!
Não ao aborto! Sim à vida!
Fonte:
http://www.comshalom.org/webforum/index.php?topic=421.msg1131#msg1131