Músicos segundo o coração de Deus – Advento, na espera do Glória.

dezembro 3, 2014

mulher rezando 1homem rezando 1
Queridos amigos e irmãos músicos, estamos no tempo litúrgico do Advento que dá inicio ao calendário litúrgico de nossa Igreja e como é importante que estejamos em unidade com esse tempo. Mergulhando no convite a conversão, a vida de oração, leituras da Bíblia e as práticas religiosas oportunas dessa época.

Importante também verificar os ricos detalhes desse tempo e na nossa missão de ministros de música, ajudar as pessoas a participarem também.

A cor do advento é a cor roxa, visível em todos os paramentos litúrgicos, um convite a penitência e conversão. A única exceção é no terceiro domingo, onde é usada a cor rosa. O motivo é para lembrarmos a alegria pela vinda de Jesus que está próxima. O diretório da liturgia diz que o tempo do advento deve ser celebrado com sobriedade e discreta alegria, não se canta o glória, para que no natal possamos nos unir aos anjos entoando esse hino para celebrar a chegada do Senhor, por isso também as flores e os instrumentos sejam usados com moderação. Mas, atenção à discrição proposta pelo advento não significa uma “tristeza”, muito pelo contrário, quando estamos esperando alguém que amamos muito, nosso aspecto é de alegria, de uma boa ansiedade e preparação para a chegada dessa pessoa especial. Assim é no advento. Observar as leituras do dia, nos ajuda na escolha das canções para as missas, lembrando sempre o tema da vigilância, da espera, da vinda do senhor que permeiam a liturgia da palavra.

Além dos aspectos litúrgicos próprios desse tempo, é muito importante que cada ministro de música faça sua preparação individual, beba da espiritualidade própria desse tempo que é a vigilância e a espera no Senhor. ORAÇÃO+CONFISSÃO+REFLEXÃO+ATITUDES CONCRETAS DE AMOR AO PRÓXIMO, além daquilo que o Senhor tocar em seu coração. Há inspirações que Jesus inspira de forma particular e que devemos estar sensíveis
Só podemos dar aquilo que já temos, por isso para ajudar as pessoas nesse tempo, precisamos em primeiro lugar estarmos conectados com a proposta do Advento e assim a partir de nós mesmos chegarmos até o outro.

O Papa Francisco em suas catequeses tem nos exortado a sermos vigilantes em nossas atitudes interiores, ele nos disse na missa presidida da Capela Santa Marta no Vaticano no dia dois de dezembro passado, que Só se pode compreender o mistério de Jesus percorrendo o caminho da humildade e da mansidão.

Caminho esse que requer um esforço diário e contínuo com os olhos sempre voltados para o Senhor. Ouvir o Senhor através da sua Palavra, das leituras propostas nesse tempo. Além de uma reflexão do que posso melhorar como filho de Deus e como ministro de música. O que posso alcançar mais em minha espiritualidade para melhorar ainda mais a minha musicalidade.

Que nosso advento seja um tempo especial de encontro com Deus e com os irmãos e que nosso ministério seja fecundado pelas práticas espirituais e enriquecido pelo menino Jesus que é mando e humilde de coração.

Devemos abrir e purificar o nosso interior para dar espaço ao Salvador…
A visita mais esperada e aguardada … é a Luz, é Jesus…. é Amor encarnado!

Vem, Senhor Jesus!

Fraternalmente,
Fabiana Paula

Anúncios

Advento, preparando o coração para a vinda do Senhor!

dezembro 3, 2014

advento 4Vem Senhor Jesus! Esse é o grande desejo que ecoa em nossos corações nesse tempo litúrgico maravilhoso que estamos vivendo que é o tempo do Advento. Advento é uma palavra que vem do latim “Adventus”: chegada, aproximação, vinda. Neste tempo, celebramos duas verdades de nossa fé: a primeira vinda (o nascimento de Jesus em Belém) e a segunda vinda de Jesus (a Parusia). Assim, a Igreja comemora a vinda do Filho de Deus entre os homens (aspecto histórico) e vive a alegre expectativa da segunda vinda d’Ele, em poder e glória, em dia e hora desconhecidos (aspecto escatológico).

O advento é um tempo de oração, reflexão, onde preparamos o nosso coração e alma para o Natal do Senhor. Viver bem cada tempo litúrgico nos ajuda em nosso crescimento espiritual. Não perder as oportunidades que a Igreja nos convida a viver, nos faz acompanhar bem as estações espirituais e crescer em nossa espiritualidade.

Pensemos que nessa época as pessoas arrumam suas casas, pintam, decoram, compram presentes, roupas novas. Na verdade tirando os aspectos do consumismo que em nada nos edificam, mas olhando com bons olhos essa preparação dos lares, pensemos também que quando estamos esperando alguém muito especial que amamos, nos organizamos, arrumamos nossa casa, fazemos o nosso melhor para que essa pessoa tão especial seja bem acolhida e receba nossa atenção, conforto e sinta-se bem. Casa mal arrumada não é adequada para acolher os amigos e familiares que irão chegar. Jardim sujo não pode se tornar um canteiro para novas sementes. Esperar é também tempo de cuidado, tempo de organização.

Assim deve funcionar também com nossa alma. Devemos prepará-la no Advento para o tempo do Natal, do nascimento de Jesus, por isso estamos num tempo de “faxina interior”. Onde somos convidados à oração, confissão, reflexão e uma busca de crescimento, maturidade interior.

Atentos ao convite do Advento, abramos o coração e vivamos com intensidade essa estação espiritual. É tempo de limpar a alma dos excessos, das sujeiras, das mágoas e falta de perdão, do egoísmo e individualismo, das mentiras e fofocas, das vaidades que nos cegam e da falta de caridade para com o nosso próximo.

Casa mal arrumada não é local adequado para receber quem nos visita. Coração bagunçado dificilmente tem espaço para acolher quem chega. Neste tempo do advento, a faxina da espera deve remover as teias de aranha dos sentimentos que estacionaram em nossa alma. O pó que asfixia o amor deve ser varrido. Tempo novo exige um coração novo.

Vivendo bem esse tempo de vigilância com lâmpadas acesas e preparados para a grande parusia chegaremos com a alma limpa e livre ao Natal guardando no coração os valores eternos e alegria da vida em Cristo.

Fraternalmente,

Fabiana Paula


Advento, você sabe o que é?

dezembro 7, 2012

Vamos ver esse vídeo do Professor Felipe Aquino e aprender um pouco mais sobre esse tempo litúrgico tão importante de preparação e espera para o Natal do Senhor.

Abraço fraterno,

Fabiana


Esperando o Menino Jesus!

dezembro 22, 2011

Oi gente, Paz e Bem ao coração de vocês!

Nessa última semana do Advento, já estamos nos preparando para o Natal e junto com o Natal lindos desafios vãi surgindo para serem vividos nesse tempo.

Eu mesma por vezes me pergunto se estou vivendo de verdade esse tempo, ou se estou vivenciando-o de forma superficial. Falar do nascimento de Jesus é voltar na história Bíblica do anúncio do anjo a Maria, seu sim a Deus e da confiança nas promessas do Senhor. Falar do Natal é recordar que Deus amou de tal forma o mundo que nos deu seu único Filho, para que todo o que n’Ele crer tenha a vida eterna. Falar de Natal é lembrar que Jesus veio para todos, que não faz acepção de pessoas, não “escolheu” apenas alguns para amar e salvar e que o verdadeiro sentido do Natal do Senhor está muito longe do que vemos nos anúncios e comerciais de TV.

Ontem, fui ao centro da cidade e me deparei com distintas realidades: Os grandes centros comerciais com propostas tentadoras de venda e o espírito de consumismo que penetra no coração de muitos e a miséria que vi numa determinada área do centro, onde as pessoas estavam dormindo no chão, seus colchões eram papelões, vi uma menina muito pequena que “tomava banho”, usando uma garrada pet com uma água tão suja que deveria ser coloca no esgoto . Vi também uma mulher com uma criança de colo tentando fazê-lo dormir, cuidando daquele bebê numa situação de total falta de higiene e de mínimos cuidados.

Sei que não posso mudar o mundo e nem tampouco as diferenças sociais, mas posso fazer algo, posso dar a minha gota d’água no oceano. Abrir meu guarda-roupa, tirar tudo o que é supérfulo, que não preciso, que está “sobrando” e dar aqueles que pouco ou nada tem… Contribuir de alguma forma para o sorriso de uma criança com pequenos gestos, ações concretas que podem fazer a diferença.

Madre Teresa de Calcutá nos ensinou algo muito lindo:

“Por vezes sentimos que aquilo que fazemos não é senão uma gota de água no mar. Mas o mar seria menor se lhe faltasse uma gota”.

(Madre Teresa de Calcutá)

Eu estou disposta a tentar e você? O que gostaria de fazer pra si mesmo? Faça ao outro…

Onde está o Menino Jesus, o grande aniversariante do dia 25 de dezembro?

Ele está naquele que precisa de sua ajuda!

Vamos nessa? Vamos fazer a nossa parte?

Fraternalmente,

Fabiana


Alegrai-vos no Senhor!

dezembro 11, 2011

Nesse terceiro domingo do Advento a Liturgia nos convida a “Alegria”, alegria na espera do Natal do Senhor, alegria na espera da segunda vinda de Jesus, alegria por sermos d’Ele e vivermos para Ele. Então, vivamos alegres por sermos de Jesus, pois “Não pode ser triste um coração que ama a Cristo”… Lembrem-se”Nossa alegria não vem de nossos problemas ou tribulações, mas vem do alto, vem de Deus, por isso, mesmo quando estamos passando por momentos difíceis, Jesus que é fonte de vida e alegria nos fortalece!

Ótima semana e segue abaixo a meditação do Padre Paulo Ricardo para essa semana do Advento.

Fraternalmente,

Fabiana

“Eu não!”
Neste domingo da alegria, São João Batista se apresenta mais uma vez como “voz”. Esta auto-definição adquire uma coloração toda especial no contexto do Evangelho de São João. Santo Agostinho percebe isto ao traçar um paralelo entre “Voz” e “Palavra”, João Batista e Jesus. São João é apenas um instrumento que faz ressoar uma Palavra de Vida. Mas, para que esta Palavra chegue aos nossos corações é necessário aplainar as montanhas de nossa soberba e, com a humildade, abrir o nosso coração para que o Verbo se faça carne em nossa existência. É humildade que leva São João a dizer: “Eu não!”

http://padrepauloricardo.org/audio/68-testemunho-de-fe-3o-domingo-do-advento-11122011/


Advento: tempo de celebrar a esperança no Senhor que vem!

dezembro 6, 2011
Advento: Vem, Senhor Jesus!

Advento: Vem, Senhor Jesus!

Oi Gente, Boa Noite!

Quero partilhar com vocês um post maravilhoso que li na página da Comunidade Shalom sobre o Advento. Espero que gostem e que aproveitem esse tempo tão especial de espera, de oração e de conversão! Maranata! Vem, Senhor Jesus!

Fraternalmente,

Fabiana

O Advento marca o início do novo ano litúrgico na Igreja. Deste modo passamos do ciclo ‘C’ para o ciclo ‘A’. Na história da formação do Ano Litúrgico este período foi o último a ser formado.

Pelo final do século IV é que se tem notícias deste tempo, ora caracterizado pelo sentido escatológico, ora como período de preparação ao Natal. O Concílio Vaticano II fez intencionalmente uma síntese destas duas realidades em sua reforma litúrgica.

Duas partes formam o Advento. A primeira inicia-se com as vésperas do I domingo estendendo-se até o dia 16 de dezembro. É o memorial “da volta gloriosa de Cristo como juiz no fim dos tempos” ; a segunda parte compreende os dias entre 17 e 24 de dezembro e estes estão orientados à preparação do Natal do Senhor.

Na liturgia eucarística o Advento é qualificado ao máximo nas orações eucológicas (oração da coleta, sobre as oferendas e após a Comunhão), nos prefácios e na liturgia das horas, na qual vem expressa sinteticamente nos hinos e Salmos.

Teologia do Advento

O conteúdo teológico do Advento é riquíssimo, leva em conta o mistério da vinda do Senhor na Encarnação e na sua Parusia (do grego, que significa a segunda vinda gloriosa de Nosso Senhor). Abrange o início e o fim da vinda de Cristo em nosso meio.

No primeiro Advento, o de Sua Encarnação, o Verbo habitou no meio de nós (Jo 1, 14), fazendo-se igual ao homem em tudo, com exceção do pecado (Hb 4,15). No segundo Advento o Senhor virá em toda a sua glória, e “todo homem verá a salvação de Deus” (Lc 3,6).

São Bernardo de Claraval situa, entre o primeiro e o segundo, um terceiro Advento ou medius adventus. Este se trata de uma volta iminente de Cristo; ela é espiritual, contínua e manifesta o poder de sua graça. Thomas Merton, comentador do santo abade de Claraval, explicita que esta vinda intermediária é um período de tensão entre o medo e a alegria, no entanto é uma luta salutar. Podemos também compará-lo ao combate entre o novo e o velho em nós, como descreve o Escrito Obra Nova da Comunidade Católica Shalom .

Além de ser um tempo forte de preparação para a vinda do Senhor, escatológica e na encarnação, o Advento aponta para a missionaridade da Igreja que é chamada, a todo tempo, a anunciar a vinda do Reino de Deus, que nas palavras do Papa Bento XVI em seu livro Jesus de Nazaré , retomando a compreensão de Orígenes, é o próprio Cristo o Reino de Deus.

Celebramos no Advento o “já” e o “ainda não” da Salvação. Contemplamos o Cristo que já se fez carne no meio de nós e o esperamo-lo em sua segunda vinda gloriosa e definitiva. Por isso a vivência destas semanas deve ser marcada por uma jubilosa expectativa, vigilância pela oração, esperança e conversão.

Sugestão de como celebrar o Advento

A Coroa do Advento

Existem várias formas de celebrar bem o tempo litúrgico do Advento. Prestando atenção à Liturgia Eucarística que é a Liturgia por excelência, nortar-se-á que tudo concorre para um mergulho em profundidade na riqueza que encerra esse período de preparação à vinda do Senhor.

Outra forma é rezar em família com a Coroa do Advento. É um modo de introduzir a família na celebração deste mistério. Na liturgia chamamos isto de mistagogia, fazer a pessoa adentrar no mistério celebrado.

A Coroa do Advento é uma tradição antiga e muito simples de se fazer. Vejamos os elementos necessários:

Ramas verdes que significam a Esperança e as bênçãos derramadas pelo Senhor em sua primeira vinda e que nos remetem à Esperança na Parusia. A Coroa em sua forma circular indica que não tem princípio nem fim, semelhante ao amor de Deus que é eterno por cada um de nós.

Dentro da Coroa põem-se quatro velas, simbolizando as quatro semanas do Advento. A cor das velas pode ser roxa, cor utilizada para este período. Cuide-se para que uma das velas seja de uma tonalidade mais clara, pois representa o domingo Gaudete ou da alegria, o terceiro na semana do Advento.

A Coroa do Advento deve ser colocada num local privilegiado da casa (pode ser onde se faz refeições), e deve ser escolhido um horário no qual todos possam rezar diante dela. A cada semana acende-se uma vela, gesto que deve ser repetido durante toda a semana. A cada domingo um membro da família acende a vela.

Pode ser dividido desta forma: na primeira semana, o filho mais novo; na segunda, o filho mais velho; na terceira, a mãe e na quarta o pai, ou outra forma que a família achar conveniente.

No acendimento da vela pode-se cantar uma música de Advento e fazer uma breve oração. Para isso podem ser escolhidas quatro intenções especiais para se rezar naquela semana, não esquecendo de pedir pela paz em Israel, pela iluminação de nossos irmãos judeus e pela Igreja.

Três personagens marcam esse tempo: Isaías, João Batista e Nossa Senhora.

– Isaías – Por uma tradição muito antiga foram escolhidos os textos do profeta Isaías para as leituras durante o Advento, porque se vê neles o tema da esperança.

– João Batista – Este é um verdadeiro ícone do Advento. É o profeta que se situa na linha divisória entre o Antigo e o Novo Testamento. Aponta para uma realidade nova, a vinda do Messias do qual foi precursor.

– Nossa Senhora – A celebração da Imaculada Conceição de Nossa Senhora celebrada no início do Advento (8 de dezembro) não representa uma ruptura deste período, mas é parte integrante do mistério. Maria concebida Imaculada é protótipo da humanidade redimida.

 http://www.comshalom.org/formacao/exibir.php?form_id=3175

Meditação para o fim de semana

dezembro 5, 2008

advento-22

Olá amados em Cristo, Paz e Bem!
Estava agora há pouco sozinha aqui na sala da comunidade onde trabalho e estava em silêncio
rezando, meditando sobre o lindo tempo do advento
e na devida preparação que devemos ter.
Acessei o site da zenit, que é um site católico fantástico e li uma linda meditação, que agora
repasso para vocês, fica como nossa meditação de
fim de semana.(www.zenit.org).
Espero que gostem. Vamos preparar nosso
coração para esse tempo maravilhoso do advento
mas em preparação para o Natal do Senhor.
Deus os abençoe.
Com carinho,
Fabiana Paula.
Leituras: Isaías 63, 16-17.19; Salmo 80(79); I Coríntios 1,3-9

Evangelho segundo São Marcos (13, 33-37)

Recordar as maravilhas de Deus na história

A Igreja entra neste fim de semana no tempo litúrgico do Advento. Os cristãos proclamam que o Messias veio realmente e que o Reino de Deus está ao nosso alcance. O Advento não muda Deus. O Advento aprofunda em nosso desejo e em nossa espera de que Deus realize o que os profetas anunciaram. Rezamos para que Deus ceda à nossa necessidade de ver e sentir a promessa de salvação aqui e agora.

Durante este tempo de desejo e de espera no Senhor, somos convidados a rezar e a aprofundar na Palavra de Deus, mas estamos chamados antes de tudo a converter-nos em reflexo da luz de Cristo, que na realidade é o próprio Cristo. De qualquer forma, todos sabemos como é difícil refletir a luz de Cristo, especialmente quando perdemos nossas esperanças, quando nos acostumamos a uma vida sem luz e já não esperamos mais que mediocridade e o vazio. O Advento nos recorda que temos de estar prontos para encontrar o Senhor em todos os momentos da nossa vida. Como um despertador acorda seu proprietário, o Advento desperta os cristãos que correm o risco de dormir na vida diária.

O que esperamos da vida, ou quem esperamos? Por quais presentes ou virtudes rezamos neste ano? Desejamos reconciliar-nos em nossas relações sociais? Em meio às nossas escuridões, nossas tristezas e segredos, que sentido desejamos encontrar? Como queremos viver as promessas de nosso Batismo? Que qualidades de Jesus buscaremos para nossas próprias vidas neste Advento? Com freqüência, as coisas, as qualidades, os presentes ou as pessoas que buscamos e desejamos dizem muito sobre quem somos realmente. Dize-me o que esperas e te direi quem és!

O Advento é um período para abrir os olhos, voltar a centrar-se, prestar atenção, tomar consciência da presença de Deus no mundo e em nossas vidas.

Neste primeiro domingo do Advento, na primeira leitura do profeta Isaías, o Todo-Poderoso volta a dar esperança ao coração e à alma de Israel; modela Israel como o faz o oleiro com a cerâmica.

Na segunda leitura, em sua carta à comunidade amada de Corinto, Paulo diz que espera com impaciência «o dia do Senhor», no qual o Senhor Jesus se revelará a nós para salvar aqueles a quem chamou.

No Evangelho do primeiro domingo do Advento, Marcos descreve o porteiro da casa que vela em espera do regresso inesperado de seu senhor. Trata-se de uma imagem do que temos de fazer durante todo o ano, mas especialmente durante o período do Advento.

Nosso Batismo nos faz participar da missão real e messiânica de Jesus. Cada pessoa que participa desta missão participa também das responsabilidades régias, em particular, no cuidado dos afligidos e dos feridos. O Advento oferece a maravilhosa oportunidade de realizar as promessas e o compromisso do nosso Batismo.

O cardeal Joseph Ratzinger(hoje Papa Bento XVI), escreveu que «o objetivo do ano litúrgico consiste em recordar sem cessar a memória de sua grande história, despertar a memória do coração para poder discernir o sinal da esperança. Esta é a bela tarefa do Advento: despertar em nós as lembranças da bondade, abrindo deste modo as portas da esperança».

Neste tempo do Advento, permitam-me apresentar-lhes algumas sugestões. Acabem com uma briga. Façam a paz. Procurem um amigo esquecido. Eliminem a suspeita e substituam-na pela confiança. Escrevam uma carta de amor.

Compartilhem um tesouro. Respondam com doçura, ainda que desejassem dar uma resposta ríspida. Motivem um jovem a ter confiança nele mesmo. Mantenham uma promessa. Encontrem tempo, dêem-se tempo. Não guardem rancor. Perdoem o inimigo. Celebrem o sacramento da reconciliação. Escutem mais os outros. Peçam perdão quando se equivocam. Sejam gentis, ainda que não tenham feito nada errado! procurem compreender. Não sejam invejosos. Pensem antes no outro.

Riam um pouco. Riam um pouco mais. Ganhem a confiança dos outros. Oponham-se à maldade. Sejam agradecidos. Vão à Igreja. Fiquem na igreja mais do que o tempo acostumado. Alegrem o coração de uma criança. Contemplem a beleza e a maravilha da terra. Expressem seu amor. Voltem a expressá-lo. Expressem-no mais forte. Expressem-no serenamente.

Alegrem-se, porque o Senhor está próximo!
(Pe. Thomas Rosica – Fonte: zenit)