A PEQUENA GALINHA BRANCA

setembro 30, 2009

Olá meus queridos em Cristo Jesus!

Recebi um lindo texto de minha amada madrinha de oração, a Irmã Carmelita Maria Angélica de Jesus Hóstia.  Amanhã não sei se estão lembrados, será a festa da nossa querida Santa Teresinha, minha santa de devoção. Sou apaixonada por ela e tenho o compêndio com suas obras completas. Espero que vocês gostem do texto e também coloquem-se sob a proteção dessa santa tão querida que prometeu passar o seu céu fazendo o bem na Terra. Amanhã falamos mais sobre ela.

Uma chuva de rosas para vocês.

Com carinho,

Fabiana.

A pequena galinha branca

Há momentos em nossa vida que simples acontecimentos têm grande repercussão dentro de nós. Simples acontecimentos com grandes lições. Uma palavra, um gesto, um olhar, uma canção, tudo isso assimilados e interpretados para além das aparências e das superficialidades.

 Nos últimos meses da vida de Santa Teresinha Madre Inês de Jesus, sua irmã Paulina, anotava cuidadosamente suas palavras e descreve o que aconteceu num domingo de Pentecoste, enquanto caminhavam no pátio do Carmelo, onde ela leu nas páginas da natureza sua vida singular.

 Assim descreve Madre Inês:

 “Ao descer os degraus, Ela viu, à direita, sob a ameixeira, a pequena galinha branca e todos os seus pintinhos sob as asas. De alguns, via-se apenas a cabecinha. Ela parou muito pensativa, observando-os. Depois de um instante, fiz sinal de que era hora de voltar. Seus olhos estavam cheios de lágrimas. Eu disse: ‘Está chorando! ’ Então, ela cobriu os olhos com as mãos, chorando mais, e respondeu: ‘Neste momento não posso dizer a razão, estou comovida demais’…

 À noite em seu aposento, disse-me, com uma expressão celestial:

‘Chorei, ao pensar que o bom Deus usou essa comparação para nos dar a entender sua ternura. Durante toda minha vida, foi isso que Ele fez por mim! Escondeu-me inteiramente sob suas asas!… Há pouco, ao deixá-la, eu chorava, subindo a escada; não podia me conter e tinha pressa de voltar a nossa cela; meu coração trasbordava de amor e reconhecimento.”

 Espelhados no olhar de Santa Teresinha que soube ver, descobrir e interpretar o significado profundo do que estava à sua volta, possamos também nós ouvir o que Deus nos fala a cada momento e ler qual livro vivo escrito pelas suas mãos o mundo a nossa volta.

Que como ela mesma expressou da águia ter os olhos e o coração, tenhamos nós também um olhar tradutor da vida que Deus nos dá no louvor da sua criação.

    Santa Teresinha do menino Jesus

Rogai por nós!