dezembro 1, 2008

Advento – Parte I

advento-1

O Advento (do latim Adventus: “chegada”, do verbo Advenire: “chegar a”) é o primeiro tempo do Ano litúrgico, o qual antecede o Natal. Para os cristãos, é um tempo de preparação e alegria, de expectativa, onde os fiéis, esperando o Nascimento de Jesus Cristo, vivem o arrependimento e promovem a fraternidade e a Paz. No calendário religioso este tempo corresponde às quatro semanas que antecedem o Natal.

Origem

A primeira referência ao “Tempo do Advento” é encontrada na Espanha, quando no ano 380, o Sínodo de Saragoza prescreveu uma preparação de três semanas para a Epifania, data em que, antigamente, também se celebrava o Natal. Na França, Perpétuo, bispo de Tours, instituiu seis semanas de preparação para o Natal e, em Roma, o Sacramentário Gelasiano cita o Advento no fim do século V.

Há relatos de que o Advento começou a ser vivido entre os séculos IV e VII em vários lugares do mundo, como preparação para a festa do Natal.

No final do século IV na Gália (atual França) e na Espanha, tinha caráter ascético com jejum, abstinência e duração de 6 semanas como na Quaresma (quaresma de S. Martinho). Este caráter ascético para a preparação do Natal se devia à preparação dos catecumenos para o batismo na festa da Epifania.

Somente no final do século VII, em Roma, é acrescentado o aspecto escatológico do Advento, recordando a segunda vinda do Senhor e passou a ser celebrado durante 5 domingos.

Só mais tarde é que o Advento passou a ser celebrado nos seus dois aspectos: a vinda definitiva do Senhor e a preparação para o Natal, mantendo a tradição das 4 semanas. A Igreja entendeu que não podia celebrar a liturgia, sem levar em consideração a sua essencial dimensão escatológica.

Surgido na Igreja Católica, este tempo passou também para as igrejas reformadas, em particular à Anglicana, à Luterana, e à Metodista, dentre várias outras. A igreja Ortodoxa tem um período de quarenta dias de jejum em preparação ao Natal.

O tempo do advento e suas características

O tempo do Advento é para toda a Igreja, momento de forte mergulho na liturgia e na mística cristã. É tempo de espera e esperança, de estarmos atentos e vigilantes, preparando-nos alegremente para a vinda do Senhor, como uma noiva que se enfeita, se prepara para a chegada de seu noivo, seu amado.

O Advento começa às vésperas do Domingo mais próximo do dia 30 de Novembro e vai até as primeiras vésperas do Natal de Jesus contando quatro domingos.

Esse tempo possui duas características: Nas duas primeiras semanas, a nossa expectativa se volta para a segunda vinda definitiva e gloriosa de Jesus Cristo, Salvador e Senhor da história, no final dos tempos. As duas últimas semanas, dos dias 17 a 24 de Dezembro, visam em especial, a preparação para a celebração do Natal, a primeira vinda de Jesus entre nós. Por isto, o Tempo do Advento é um tempo de piedosa e alegre expectativa. Uma das expressões desta alegria é o canto das chamada “Antífonas do Ó“.

Teologia do advento

O Advento recorda a dimensão histórica da salvação, evidencia a dimensão escatológica do mistério cristão e nos insere no caráter missionário da vinda de Cristo.

Ao serem aprofundados os textos litúrgicos desse tempo, constata-se na história da humanidade o mistério da vinda do Senhor, Jesus, que de fato se encarna e se torna presença salvífica na história, confirmando a promessa e a aliança feita ao povo de Israel. Deus que, ao se fazer carne, plenifica o tempo (Gl 4,4) e torna próximo o Reino (Mc 1,15).

O Advento recorda também o Deus da Revelação. Aquele que é, que era e que vem (Ap 1, 4-8), que está sempre realizando a salvação mas cuja consumação se cumprirá no “dia do Senhor”, no final dos tempos.

O caráter missionário do Advento se manifesta na Igreja pelo anúncio do Reino e a sua acolhida pelo coração do homem até a manifestação gloriosa de Cristo. As figuras de João Batista e Maria são exemplos concretos da vida missionária de cada cristão, quer preparando o caminho do Senhor, quer levando o Cristo ao irmão para o santificar. Não se pode esquecer que toda a humanidade e a criação vivem em clima de advento, de ansiosa espera da manifestação cada vez mais visível do Reino de Deus.

A celebração do Advento é, portanto, um meio precioso e indispensável para nos ensinar sobre o mistério da salvação e assim termos a Jesus como referência e fundamento, dispondo-nos a “perder” a vida em favor do anúncio e instalação do Reino.

 Bem, amados, esse foi só primeiro post, em breve estarei postando mais sobre esse tempo maravilhoso do advento.

E amanhã, com a graça do Senhor, postarei sobre outra parábola de Jesus, quer saber qual é?

Acesse meu blog amanhã… rsrsrsrsrsrsrsrsrs

Fabiana Paula.


Noivado de Josineide e Federico

dezembro 1, 2008

Olá queridos em Cristo,

Sábado eu tive a alegria de estar no noivado de duas pessoas que eu amo muito: Josineide e Federico, todos dois são da comunidade, Josineide, membro consagrado e Federico que está no discipulado.

Foi linda a cerimônia do noivado deles. A missa foi no Condomínio Rainha da Paz que na minha opinião, é um dos lugares mais bonitos da comunidade.

tudo foi lindo e sou muito feliz em fazer parte da história deles.

Você lembra das nossas italiano querida Josy, quem diria que você conseguiria um professor “nativo”, uma pessoa de Deus, que Jesus colocou no teu caminho para te fazer feliz.

Sou feliz por ser madrinha de vocês(quer dizer serei…) e  mais ainda porque sei que Deus está acima de tudo abençoando e protegendo os caminhos de vocês.

Um beijo carinhoso a todos e não poderia deixar passar um momento tão lindo desse em branco.

Deus abençoe a todos e segue, é claro. algumas fotos desse momento tão feliz.

Fabiana Paula.

noivado-josineide-dederico-pfm-9 Che bella coppia(que belo casal!)

noivado-josineide-dederico-pfm-33 Nas alianças.

noivado-josineide-dederico-pfm-101Josy e seu lindo bolo.

noivado-josineide-dederico-pfm-49 Eu, cantando na ação de graças.

noivado-josineide-dederico-pfm-62 Eu e Dioguinho

noivado-josineide-dederico-pfm-65 Josy, eu e Fê.

noivado-josineide-dederico-pfm-88


A PARÁBOLA DOS TALENTOS

novembro 28, 2008

(Mat. 25,14-29)

 parabola-dos-talentos

Pois será como um homem que, ausentando-se  do país,

      chamou os seus servos e lhes confiou os seus bens.

 A um deu cinco talentos, a outro, dois e a outro um; a

      cada um segundo a sua própria capacidade; e, então,

      partiu.

 O que recebera cinco talentos saiu imediatamente a negociar

      com eles e ganhou outros cinco.

 do mesmo modo, o que recebera dois ganhou outros dois.

 Mas o que recebera um , saindo, abriu uma cova e escondeu

     o dinheiro do seu senhor.

 Depois de muito tempo , voltou o senhor daqueles servos e

      ajustou contas com eles,

Então, aproximando-se o que recebera cinco talentos, entregou

      outros cinco, dizendo : Senhor , confiaste-me cinco talentos ;

      eis aqui outros cinco talentos que ganhei.

Disse-lhe o Senhor : Muito bem, servo bom e fiel ; foste fiel no

      pouco , sobre o muito te colocarei ; alegra-te com o

 teu Senhor .

E, aproximando-se também o que recebera dois talentos ; disse :

      Senhor, dois talentos me confiaste ; aqui tens outros dois    que

      Ganhei .

Disse-lhe o Senhor : Muito bem, servo bom e fiel; foste fiel no

      pouco, sobre o muito te colocarei ; alegra-te com o teu Senhor.

Chegando, por fim, o que recebera um talento, disse : Senhor ,

      sabendo que és homem severo, que ceifas onde não semeaste  e

     ajuntas onde não espalhaste,

receoso, escondi na terra o teu talento; aqui o que é teu .

Respondeu-lhe, porém, o senhor : Servo mau e negligente, sabias

     que ceifo onde não semeei e ajunto onde espalhei ?

Cumpria, portanto, que entregasses o meu dinheiro aos banqueiros;

      e eu, ao voltar, receberia com juros o que é meu.

Tirai-lhe , pois, o talento e daí-o ao que tem dez.

Porque a todo o que tem se lhe dará, e terá em abundância ; mas ao

      que não tem, até o que  tem lhe será tirado.

E o servo inútil,lançai-o para fora, nas trevas. Ali haverá choro e

      ranger de dentes.

 

Quanto á conta dos talentos temos nesta parábola , a quem um homem

encomendou diferentes conjuntos de coisa de valor : riquezas, haveres , etc.

para que negociassem com eles, enquanto fazia uma certa jornada.  O homem

é Cristo , a jornada foi a de sua subida ao céu e o retorno há de ser no dia do Juízo,

em que há de pedir conta a cada um , do que negociou com os talentos que lhe deu,

e do que lucrou e ganhou com eles.  Os talentos são os meios com que a Providência

Divina assiste a todos os homens, e a cada um para a sua salvação e perfeição.

      Quão exata pois, haja de ser esta conta , e quão rigorosa para os que usarem mal o

talento.   Os servos , a  quem o senhor fiou os talentos , eram três :  ao

primeiro entregou cinco, o qual multiplicou outros cinco; ao segundo entregou dois, o qual

multiplicou dois, e ambos foram louvados . Ao terceiro deu um só talento, o qual  ele enterrou.

Seu senhor não só o lançou fora de casa e o mandou privar do talento, mas o pronunciou por mau servo, que foi a sentença de sua condenação.

E se quem na conta torna a entregar o talento que Deus lhe deu inteiro e sem defraude se  condena;  O Senhor nos deu dons, talentos, missões, cabe a cada um de nós executar bem e com amor aquilo que lhe foi confiado, sem reter nada para si, sem dar desculpas esfarrapadas, pois a medida que nos é dado será cobrada, se Deus nos confia algo espera de nós fidelidade para que quando partimos desse mundo e nos encontrarmos com Deus, ele possa dizer:

“Servo bom e fiel, vem e alegra-te com teu Senhor”.

 

Um abraço afetuoso a todos.

Fabiana Paula.


Vamos rezar!

novembro 27, 2008

Olá amados em Cristo, Paz e Bem!

Estão gostando das matérias sobre as parábolas de Jesus? Eu estou amando…

Vocês não imaginam o quanto está sendo importante para mim, está sendo de uma riqueza espiriual imensa.

Bem, mas estou escrevendo agora para pedir orações por alguns irmãos de Comunidade que nesta semana em especial estão precisando de orações:

  1. Por Alda Souza, amiga e irmã querida de comunidade que se submeteu a uma cirurgia de arritmia e está se recuperando super bem;
  2. Por Rogério, Valéria e Dona Marlene mãe de Valéria que está hospitalizada e deverá se submeter hoje a uma cirurgia.
  3. E pelos meus queridíssimos Gustavo, Gláucia e a pequena Julinha que ainda está na barriga da mamãe. Gustavo teve um problema sério de saúde esta semana e está internado. Então não só Gustavo, mas Gláucia também que enfrenta uma gestação de risco, mas está bem, graças a Deus, precisa das nossa orações.

Mesmo se vc não os conhece, reze uma Ave Maria por eles, eles estão precisando muito.

E também vamos rezar por todos os que sofrem, em especial pelos irmãos de Santa Catarina.

Um abraço e continuemos unidos em oração.

Fabiana Paula.


Retiro Comunidade Obra de Maria – 23/11/2008

novembro 27, 2008

Domingo tivemos nosso último retiro do ano de 2008, aqui na Missão Casa Mãe – Recife – PE.

Foi uma bênção! Começamos nosso dia com a oração do terço, que está presente na nossa realidade como Comunidade de espiritualidade mariana, depois continuamos orando uns pelos outros e pedindo a presença do Espírito Santo. Fizemos um momento de escuta e o Senhor falou muito aos nossos corações, pedindo unidade, como Igreja, como Comunidade, foi um momento muito lindo, confirmado na Palavra e nos corações de todos os presentes.

Depois nossa mãe espiritual e Co-fundadora, Maria Salomé, fez um lindo momento de partilha conosco, expondo aquilo que Deus colocava em seu coração.

Lembrou-nos a importância da oração, como sustentáculo de nossa vocação e também da HUMILDADE que deve ser a marca dos membros da Obra de Maria, pois como ela mesma disse, quem tem a chave da humildade, tem a chave que abre todas as portas…

Terminamos com a leitura dos nomes das pessoas que devem ingressar no discipulado ou consagrar-se:

Segue os nomes:

Lembro que aqui constam apenas os nomes dos irmãos e irmãs que fazem formação na Casa Mãe.

     Ingressarão no Discipulado em 2008

1.      Katarina Pedrosa

2.      Luidson Ferreira do Monte

3.      Wilze Paloma Galindo

4.      Helena Freitas

5.      Luciana Lima

6.      Andréa Carla de Araújo Cruz Cavalcanti

7.      Valéria Maria Gomes Feitosa

8.      José Jorge Maciel de Lira

9.      Everton Vasconcelos da Silva

10.     Elisângela Cavalcanti alves

11.     Marcelly Andrade de Vasconcelos

12.     Tárcia Maria dos Santos

13.            Dorivaldo de Sant’Ana

14. Vanessa Rodrigues dos Santos

 

Irão consagrar-se em 2008

  1. Adriana Torres
  2. Ayron José Silva Campos
  3. Maria Regineide Campos
  4. Renata Nunes dos Santos
  5. Fabiane Conceição Bandeira Alexandre
  6. Ulinere Marins Ramos
  7. Maria Aparecida dos Santos
  8. Tarciana dos Santos Pereira
  9. Josilene Maria Pessoa da Silva
  10. Gaudiano Joaquim da Silva     

 

 Obra de Maria Para sempe (foram aprovados ontem pelo conselho da comunidade)

  1. Leobaldo Souza
  2. Helena Souza

PARABÉNS QUERIDOS, EU COMO FORMADORA FICO MUITO ORGULHOSA POR VÊ-LOS CRESCEREM NA FÉ E NA MATURIDADE. SINTO-ME FELIZ POR TODOS E É UMA ALEGRIA TÊ-LOS COMO IRMÃOS.

UM ABRAÇO CARINHOSO A TODOS.

EM CRISTO JESUS,

FABIANA PAULA.

obs: estarei postando em breve as fotos do nosso retiro.


novembro 26, 2008

parabola-das-dez-virgens

A PARÁBOLA  DAS  DEZ  VIRGENS 

(Evangelho de Mt. 25,2-13) 

Então, o Reino dos céus será semelhante a dez virgens que, tomando as suas lâmpadas, saíram ao encontro do noivo. E cinco delas eram prudentes e cinco tolas.   As tolas tomando as suas lâmpadas não levaram azeite consigo. Mas as prudentes levaram azeite em suas vasilhas com as suas lâmpadas.  E, tardando o noivo foram todas tomadas de sono e adormeceram.  Mas, à meia noite, ouviu-se um grito: Eis o noivo! Saí ao seu encontro!  Então, se levantaram todas aquelas virgens e prepararam as suas lâmpadas.  E as tolas disseram às prudentes: Dai-nos do vosso azeite, porque as nossas lâmpadas estão se apagando. Mas as prudentes responderam: Não, para que não nos falte a nós e a vós outros! Ide, antes, aos que o vendem e comparai-o. E, saindo elas para comprar, chegou o noivo, e as que estavam prontas entraram com ele para as bodas; e fechou-se a porta. Mais tarde, chegaram às virgens tolas, clamando; Senhor, senhor, abre-nos a porta! Mas ele respondeu: Em verdade vos digo que não vos conheço. Vigiai, pois, porque não sabeis o dia nem à hora.

Esta parábola ressalta o fato que todos os que estão em Deus devem constantemente examinar sua vida espiritual, tendo em vista a vinda de Cristo num tempo desconhecido e inesperado . Devem perseverar na fé , para que uma vez chegados o dia e a hora , sejam levados pelo Senhor na sua volta . Estar sem comunhão pessoal com o Senhor quando Ele voltar , significa ser lançado fora da sua presença e do seu reino.

 1) O que faz a diferença entre o tolo e o sábio é que o tolo não reconhece que o Senhor, ao voltar, virá num tempo em que não é aguardado, nem precedido de sinais visíveis e específicos . 

2) Cristo mostra aqui que uma grande parte dos que o conhecem estará despreparado no momento da sua volta . Por isso, nos convida a vigilância.

3) Note-se  que  todas as dez virgens (tanto as prudentes como as tolas) foram surpreendidas ao vir o noivo . Isto indica que a parábola das dez virgens quer dizer que mesmo os corações fiéis ao Senhor, não sabem o dia nem a hora, por isso tem sempre azeite para que não falte.  Jesus numa série de ilustrações ressalta a necessidade de fidelidade e vigilância até que Ele volte. O azeite nesta parábola representa a presença permanente do Espírito Santo aliada à fé verdadeira e à santidade.


novembro 25, 2008

ovelha-perdida1

A PARÁBOLA DA OVELHA E DA MOEDA PERDIDA. 

A parábola da ovelha e da dracma perdidas

(Evangelho de Lucas cap.15 vers. 1-10)

E chegaram-se a Jesus todos os publicanos e pecadores para ouvi-lo.

E os fariseus e os escribas murmuravam , dizendo : Este recebe pecadores

e come com eles.

E ele propôs esta parábola, dizendo :

Que homem dentre vós, tendo cem ovelhas e perdendo uma delas, não deixa no deserto as noventa e nove e não vai após a perdida até que venha a achá-la ?

E, achando-a põe sobre seus ombros , cheio de júbilo :

e, chegando à sua casa, convoca os amigos e vizinhos , dizendo-lhes :

Alegrai-vos comigo, porque já achei a minha ovelha perdida .

Digo-vos que assim haverá alegria no céu por um pecador que se arrepende, mais

do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento.

Ou qual a mulher que, tendo dez dracmas, se perder um dracma , não acende   a candeia e varre a casa e busca com diligência até a achar ?

E, achando-a, convoca as amigas e vizinhas, dizendo: Alegrai-vos comigo, porque já achei a dracma perdida.

Assim vos digo que há mais alegria no céu por um só pecador que se arrependa.

 

As três parábolas de Lucas 15 : A ovelha perdida : A dracma perdida(ou moeda perdida) e o Filho PródigoRevelam que Deus é aquele que, no seu amor , busca a pessoa perdida para salvá-la.Nela aprendemos : 1) É de máxima importância para o coração de Deus a nossa busca dos perdidos ;2) Tanto Deus quanto o céu se regozijam ,mesmo quando um só pecador se arrepende; 3)Nenhum trabalho ou sofrimento nosso é demasiado grande na busca dos que estão perdidos para levá-los a Cristo .Deus  e os anjos, no céu, têm tamanho amor e compaixão daqueles que estão no pecado  e na morte espiritual e que quando um só pecador se arrepende, alegra-se todo o céu.Curiosidades:Dracma -é mencionada exclusivamente em Lucas 15:8 e seguinte no Novo Testamento.Era considerada como mais ou menos equivalente ao denariusromano . A moeda grega básica era a dracma. O denarius era a moeda romana básica.   A moeda da Grécia continua ainda hoje sendo a dracma.