Ele caminha junto a nós!

maio 4, 2014

Discípulos de Emaús

Paz e Bem queridos!

A passagem dos discípulos de Emaús é uma das leituras do Evangelho que mais amo. 
A tristeza, a decepção, a solidão, a traição, a angústia, a desesperança são sentimentos negativos que nos acompanham em determinados momentos de nossa vida e que muitas vezes nos cegam da presença constante e real do Senhor. Cegaram também aqueles discípulos que estavam entristecidos com a morte do grande profeta que eles admiravam e seguiam.
Nossa dor não pode nos separar do amor de Deus. Nossos sofrimentos não podem nos deixar longe da graça do Senhor que é gratuita e atinge a todos.
Quando as coisas parecerem estar arruinadas, destruídas e sem saída, lembre-se desse versículo:
Quando se sentou à mesa com eles, tomou o pão, abençoou-o, partiu-o e lhes distribuía. Nisso os olhos dos discípulos se abriram e eles reconheceram Jesus” (Lucas 24, 30-31).
Nossos olhos se abrem quando somos alimentados e fortalecidos por Jesus. ELE abre nossa visão e nos traz alegria e conforto. Reconhecemos Jesus na partilha, na comunhão, na fração do Pão, na Eucaristia.
Você se sente só e não consegue sentir a presença do Senhor? Leia a Bíblia, abra seu coração e deixe o amor do Senhor entrar e se alimente da sua Palavra e da Eucaristia. Volte à casa do Pai, à Igreja e se alimente do Corpo e Sangue do Senhor que tira toda cegueira de nossa mente e coração.
E termino dizendo, assim como os discípulos de Emaús disseram, essa linda frase, que essa seja nossa oração no dia de hoje:

Fica conosco Senhor!!!!!!

Tenha certeza o Senhor caminhada junto a ti!

Fraternalmente,
Fabiana Paula

Anúncios

“Não ardia nosso coração”…

maio 9, 2011
” Jesus entrou para ficar com eles. Quando se sentou à mesa com eles, tomou o pão, abençoou-o, partiu-o e lhes distribuía. Nisso os olhos dos discípulos se abriram e eles reconheceram Jesus”.

“Naquele mesmo dia, o primeiro da semana, dois dos discípulos de Jesus iam para um povoado, chamado Emaús, distante onze quilômetros de Jerusalém.

Conversavam sobre todas as coisas que tinham acontecido. Enquanto conversavam e discutiam, o próprio Jesus se aproximou e começou a caminhar com eles. Os discípulos, porém, estavam como que cegos, e não o reconheceram. Então Jesus perguntou: ‘O que ides conversando pelo caminho?’ Eles pararam, com o rosto triste, e um deles, chamado Cléofas, lhe disse: ‘Tu és o único peregrino em Jerusalém que não sabe o que lá aconteceu nestes últimos dias?’

Ele perguntou: ‘O que foi?’, Os discípulos responderam: ‘O que aconteceu com Jesus, o Nazareno, que foi um profeta poderoso em obras e palavras, diante de Deus e diante de todo o povo. Nossos sumos sacerdotes e nossos chefes o entregaram para ser condenado à morte e o crucificaram. Nós esperávamos que ele fosse libertar Israel, mas, apesar de tudo isso, já faz três dias que todas essas coisas aconteceram! É verdade que algumas mulheres do nosso grupo nos deram um susto. Elas foram de madrugada ao túmulo e não encontraram o corpo dele. Então voltaram, dizendo que tinham visto anjos e que estes afirmaram que Jesus está vivo. Alguns dos nossos foram ao túmulo e encontraram as coisas como as mulheres tinham dito. A ele, porém, ninguém o viu’.

Então Jesus lhes disse: ‘Como sois sem inteligência e lentos para crer em tudo o que os profetas falaram! Será que o Cristo não devia sofrer tudo isso para entrar na sua glória’?

E, começando por Moisés e passando pelos Profetas, explicava aos discípulos todas as passagens da Escritura que falavam a respeito dele. Quando chegaram perto do povoado para onde iam, Jesus fez de conta que ia mais adiante. Eles, porém, insistiram com Jesus, dizendo: ‘Fica conosco, pois já é tarde e a noite vem chegando!’ Jesus entrou para ficar com eles. Quando se sentou à mesa com eles, tomou o pão, abençoou-o, partiu-o e lhes distribuía. Nisso os olhos dos discípulos se abriram e eles reconheceram Jesus. Jesus, porém, desapareceu da frente deles. Então um disse ao outro: ‘Não estava ardendo o nosso coração, quando ele nos falava pelo caminho e nos explicava as Escrituras?’

Naquela mesma hora, eles se levantaram e voltaram para Jerusalém onde encontraram os Onze reunidos com os outros.E estes confirmaram: ‘Realmente, o Senhor ressuscitou e apareceu a Simão’!

Então os dois contaram o que tinha acontecido no caminho, e como tinham reconhecido Jesus ao partir o pão”.

(Lc 4, 13-35)

 Esse Evangelho é realmente muito tocante, como é linda a narrativa daqueles discípulos que sairam de suas casas cheios de expectativas, cheios de sonhos e viram-se inundados pela decepção da morte de Jesus. Essa linda passagem, fala da humanidade desses discípulos, pois somos também como eles e podemos dentre tantas reflexões sublinhar duas que me tocaram muito:

Primeiro, que Jesus mesmo que não seja reconhecido por nós, se faz presente na caminhada, caminha conosco e nos escuta, é atencioso em ouvir o nosso lamento, nossa dor, nosso clamor, Ele primeiro ouviu o relato dos discípulos, escuta também o nosso, mesmo quando não o vemos, mesmo quando não entendemos ou sentimos sua presença…

Depois Jesus nos fala sobre a partilha, pois foi no momento da partilha do pão que os discípulos o reconheceram e foi esse gesto da partilha repetido por Jesus ao longo de sua vida, a partilha, a solidariedade, a justiça, abrirá os olhos do mundo para enxergarem a Jesus…

O caminho de Emaús é o caminho a nossa fé. Ela nos dá a certeza de que Cristo embora talvez mesmo não sendo “visto” ou “sentido” por muitos, caminha ao nosso lado e nunca nos abandona. Essa certeza será sempre maior à medida que nos deixamos iluminar por sua palavra e nos alimentarmos com a Eucaristia, sinal por excelência de partilha de solidariedade.

Uma ótima semana a todos!

Fraternalmente,

Fabiana