Deus escolhe os pequenos!

janeiro 18, 2012

Olá queridos!

Ao ler a leitura do livro do profeta Samuel, senti-me impulsionada a partilhar tudo o que veio ao meu coração.

Deus os abençoe!

Fabiana Paula

Naqueles dias, o Senhor disse a Samuel: “Até quando ficarás chorando por causa de Saul, se eu mesmo o rejeitei para que não reine mais sobre Israel? Enche o chifre de óleo e vem, para que eu te envie à casa de Jessé de Belém, pois escolhi um rei para mim entre os seus filhos”.
Samuel ponderou: “Como posso ir? Se Saul o souber, vai me matar”. O Senhor respondeu: “Tomarás contigo uma novilha da manada, e dirás: ‘Vim para oferecer um sacrifício ao Senhor’.  Convidarás Jessé para o sacrifício. Eu te mostrarei o que deves fazer, e tu ungirás a quem eu te designar”. Samuel fez o que o Senhor lhe disse, e foi a Belém. Os anciãos da cidade vieram-lhe ao encontro, e perguntaram: “É de paz a tua vinda?”  “Sim, é de paz”, respondeu Samuel. Vim para fazer um sacrifício ao Senhor. Purificai-vos e vinde comigo, para que eu ofereça a vítima”. Ele purificou então Jessé e seus filhos e convidou-os para o sacrifício.
Assim que chegaram, Samuel viu a Eliab, e disse consigo: “Certamente é este o ungido do Senhor!” Mas o Senhor disse-lhe: “Não olhes para a sua aparência nem para a sua grande estatura, porque eu o rejeitei. Não julgo segundo os critérios do homem: o homem vê as aparências, mas o Senhor olha o coração”. Então Jessé chamou Abinadab e apresentou-o a Samuel, que disse: “Também não é este que o Senhor escolheu”. Jessé trouxe-lhe depois Sama, e Samuel disse: “A este tampouco o Senhor escolheu”.
Jessé fez vir seus sete filhos à presença de Samuel, mas Samuel disse: “O Senhor não escolheu a nenhum deles”. E acrescentou: “Estão aqui todos os teus filhos?” Jessé respondeu: “Resta ainda o mais novo, que está apascentando as ovelhas”. E Samuel ordenou a Jessé: “Manda buscá-lo, pois não nos sentaremos à mesa, enquanto ele não chegar”. Jessé mandou buscá-lo. Era ruivo, de belos olhos e de formosa aparência. E o Senhor disse: “Levanta-te, unge-o: é este!” Samuel tomou o chifre com óleo e ungiu Davi na presença de seus irmãos. E a partir daquele dia, o espírito do Senhor se apoderou de Davi. A seguir, Samuel se pôs a caminho e voltou para Ramá.

Gente, me encanta essa leitura porque ela demonstra que Deus não tem os critérios humanos para suas escolhas.

Quem era Davi? Um menino, um garoto, o mais novo de uma família de sete filhos. Davi nem estava em casa quando o profeta Samuel chegou, ele estava no campo com as ovelhas. Nem passou pela cabeça de seu pai Jessé que ele poderia ser o escolhido de Deus [para ser o grande Rei de Israel. Fico fascinada quando leio o que o profeta Samuel disse a Jessé quando ele apresenta seu primeiro filho, na verdade até o profeta pensa ser ele o escolhido, pois era dotado de beleza e de qualidades, mas Deus fala ao coração do profeta e seu pai Jessé fica sem entender. O Senhor falou ao coração do profeta com as seguintes palavras:

“Não olhes para a sua aparência nem para a sua grande estatura, porque eu o rejeitei. Não julgo segundo os critérios do homem: o homem vê as aparências, mas o Senhor vê o coração”. 

Gente, que coisa mais linda essa passagem. Leia uma, duas, três… Cem vezes! Deus não olha como nós olhamos para as pessoas, Ele vê o nosso interior, Ele não olha com os critérios humanos. Fico até imaginando o que deve ter passado na cabeça do irmão mais velho de Davi, que era alto, forte, corajoso, bonito, preparado, mas não foi o escolhido. Imagino o que a vizinhança deve ter comentado: “Meu Deus, Davi foi escolhido”? Talvez, colocando para nossa vida quem te conhece quando te vê pregando ou cantando possa pensar: “Fulano, cantando pra Deus?”, “Fulana, pregando, falando na Igreja?”, as pessoas estão acostumadas a avaliarem quem somos por nosso passado, nossos erros ou limitações e incapacidades e se esquecem que o Senhor faz novas todas as coisas, quem está em Cristo é uma nova criatura e que na Bíblia, Jesus em todos os seus encontros e diálogos procurou sempre os mais pecadores.

Deus vê o nosso coração. Deus não escolhe os melhores, os “prontos”, os sãos, os “capacitados”, os “preparados”, os “fortes”, “corajosos”… Ele escolhe os enfermos, os pequenos, incapazes, despreparados, porque Ele quer confundir os fortes e poderosos, porque as escolhas de Deus nos surpreendem, Ele quer mostrar ao mundo que acolhe a todos e que os fracos e pequenos são sinal da força e da grandeza d’Ele, pois Ele faz maravilhas na vida daquele que crê, que espera e que confia.

Uma coisa muito linda também que aconteceu também foi a unção de Davi com óleo. Naquela época os profetas, os homens de Deus usavam o óleo para ungir os eleitos de Deus. Hoje não usamos mais o óleo “matéria”, porque o Espírito Santo através de nosso batismo, crisma e é claro quando clamamos sua ação em nós, nos unge, nos inspira e nos prepara.

Se Deus te chamar e te escolher para uma missão, tenha a certeza que Ele te Capacitará e te dará meios para que possa cumpri-la dando o seu melhor.

Veja-se sempre como o Rei Davi, pequeno e fraco, mas com a força de Deus um vencedor!

Fiquem com Deus e muita Força, Fé e Fidelidade na missão!

Fabiana Paula


Alegrai-vos no Senhor!

dezembro 11, 2011

Nesse terceiro domingo do Advento a Liturgia nos convida a “Alegria”, alegria na espera do Natal do Senhor, alegria na espera da segunda vinda de Jesus, alegria por sermos d’Ele e vivermos para Ele. Então, vivamos alegres por sermos de Jesus, pois “Não pode ser triste um coração que ama a Cristo”… Lembrem-se”Nossa alegria não vem de nossos problemas ou tribulações, mas vem do alto, vem de Deus, por isso, mesmo quando estamos passando por momentos difíceis, Jesus que é fonte de vida e alegria nos fortalece!

Ótima semana e segue abaixo a meditação do Padre Paulo Ricardo para essa semana do Advento.

Fraternalmente,

Fabiana

“Eu não!”
Neste domingo da alegria, São João Batista se apresenta mais uma vez como “voz”. Esta auto-definição adquire uma coloração toda especial no contexto do Evangelho de São João. Santo Agostinho percebe isto ao traçar um paralelo entre “Voz” e “Palavra”, João Batista e Jesus. São João é apenas um instrumento que faz ressoar uma Palavra de Vida. Mas, para que esta Palavra chegue aos nossos corações é necessário aplainar as montanhas de nossa soberba e, com a humildade, abrir o nosso coração para que o Verbo se faça carne em nossa existência. É humildade que leva São João a dizer: “Eu não!”

http://padrepauloricardo.org/audio/68-testemunho-de-fe-3o-domingo-do-advento-11122011/


Quanto custa ser de Jesus?

setembro 20, 2011

 

Oi gente, Boa Noite!

Faz tanto tempo que não escrevo pra vocês, isso por vários motivos, às vezes falta tempo, às vezes falta de inspiração, enfim, hoje encontro ocasião, vontade e um pouco de inspiração pra partilhar aquilo que está em meu coração, pois esse é o objetivo do meu blog. Fazer partilhas minhas, pessoais, mas ao mesmo tempo, partilhas que sejam enriquecedoras pra vocês que sempre lêem.

Agora a pouco estava pensando no seguimento de Jesus, que não é fácil segui-Lo como muitos pensam, mas também que Jesus nunca nos “iludiu”, Ele nos disse como seria: “Se alguém quiser me seguir, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e me siga.” (Mat 16.24) 

Ou seja, Jesus foi claro em nos ensinar que os seus seguidores deveriam saber que a cruz estaria presente em sua caminhada, que não seria um caminho só de flores, onde os problemas não existiriam, onde não haveria dor, onde viveríamos o tempo todo só em  alegrias… Em Mateus 10.38 disse Jesus: Quem não toma a sua cruz e não segue após mim, não é digno de mim.

Por isso tantos desistem da caminhada, se revoltam se frustram, se decepcionam, acham que porque estão no caminho do Senhor, sua vida será só festa, mas a vida prossegue em seu curso normal, ou seja, cheia de dificuldades, situações de conflito, desafiantes. Em outras ocasiões Ele disse: “Meu caminho é o da porta estreita”(Mt 7.13), ou seja, a porta larga cheia de facilidades não é a porta aberta por Jesus, a d’Ele é a estreita, onde precisamos nos fazer pequenos para poder entrar, onde nos desfazemos de nós mesmos, do nosso orgulho, de nossas vaidades para deixá-Lo ser o primeiro, o único a comandar e guiar o barco de nossa vida.

Com isso, não estou dizendo que nossa vida será só lamento ou tristeza, Não! Mas a dor, a tristeza, as tribulações para o cristão tem um significado diferente; transformamos a dor e as tristezas em amor, em motivo para continuar a caminhada, sabendo que as durezas da vida não são o fim, mas só um meio, a vida não acaba aí.

Ás vezes na vida precisamos renunciar a algo, a coisas que aparentemente doem, parece que aquilo nunca vai acabar, a gente se sente enfraquecido, mas mesmo assim continuamos caminhando, estamoslevando a cruz, mas somos fortalecidos pelo Senhor… No momento da “Via-Crúcis”, devemos lembrar de onde vem nossas forças… Você está vivendo por suas próprias forças? ou está buscando renovar suas forçam no Senhor? A Palavra de Deus ensina:

Os que esperam no Senhor renovarão as suas forças, subirão com asas como águias,

correrão e não se cansarão, caminharão e não se fatigarão…” (Is 40.31) 

Eu, por minhas próprias forças desanimo, me canso e penso que não vou conseguir continuar caminhando, mas quando busco no Senhor forças para a caminhada, encontro a força que preciso para prosseguir.

E o mais lindo de tudo, é saber que o Senhor nos dará a vitória, depois da cruz vem a ressurreição, então o tempo da “Via dolorosa” é necessário e faz parte, mas ao final, tudo terminará em ressurreição!

Confie, espero, reze e creia o Senhor está contigo, pois foi Ele mesmo que nos disse:

“No mundo tereis tribulações, mas coragem! Eu venci o mundo” (Jo 16.33).

Essa foi a ordem do Senhor, CORAGEM! Obedeçamos e sigamos confiantes em sua presença que nos fortalece e sustenta.

Fiquem com Deus e uma semana maravilhosa!

Fabiana Paula


Jesus está na barca?

agosto 8, 2011

 

Jesus é aquele que pode acalmar nossas tempestades!

O que fazer quando parece que tudo dá dando errado?

Você já passou por uma situação assim? Parece que a gente tá numa maré de coisas ruins e uma coisa vai chamando a outra…

O Evangelho de ontem, de forma tão linda nos conta a passagem da tempestade acalmada por Jesus e como eu amo essa passagem, porque Jesus acalma a tempestade, quando Ele entra na barca, antes as ondas deixaram os discípulos desesperados, apesar de o Mestre estar tão perto, eles fraquejaram na fé. Assim também somos nós. Muitas vezes passamos pela mesma situação; Jesus está perto, mas mesmo assim, na primeira situação de perigo, na primeira tribulação, sentimo-nos desprotegidos e bate o desespero.  Precisamos aprender a confiar…

Tenho passado um tempo especial em minha vida, um tempo de confiar mais no Senhor, de ser podada por Ele, para meu próprio bem. Vinha sentindo umas dores de cabeça, seguida de umas sensações estranhas. Descobri que estou com oscilações na minha pressão arterial. Isso significa que tenho que me cuidar, ir ao médico fazer exames, me tratar… Fui surpreendida com isso, pois me considerava jovem demais e saudável também… Confesso que fiquei um pouco triste e fiquei refletindo o quanto somos pequenos, limitados, frágeis. Santa Teresinha nos comparou com uma florzinha da cidade de Alençon, onde ela nasceu que se chama “nigela dos trigos”. A nigela dos trigos é uma florzinha pequenina, frágil. Santa Teresinha assim fala da comparação da nigela conosco: “A nigela dos trigos não é grande coisa: é toda pequenina, frágil. Assim como nós, não somos grande coisa. Apenas uma florzinha que o bom Deus abre como quer, dócil. Ela não é nem bela demais, nem afortunada demais. O Bom Deus a preserva do orgulho de uma orquídea ou de uma camélia. Ela é tão pequena: uma sombra de flor.

 Ela diz que somos como essa florzinha, frágeis, por isso precisamos de cuidado, proteção.

Foi assim que me senti, uma minúscula ‘nigela dos trigos’. Mas, é nesse momento que temos que convidar Jesus para entrar na barca, não importa qual seja a tempestade é Ele aquele que tem o poder de acalmar a tempestade e de trazer a segurança, pois estando com Ele tudo vai bem, não importa o que aconteça.

Assim estou lutando e levando essas palavras para minha caminhada.

Jesus é o grande Mestre que conduz a barca da minha vida,com Ele na barca não importam as tempestades, ele trará sempre a bonança.

Fiquem com Deus e ótima semana!

Fraternalmente,

Fabiana


Peregrinos

abril 5, 2011

Bom Dia povo de Deus!

Quero partilhar com vocês a grande bênção que tem sido nesse período quaresmal estar fazendo o Retiro Popular, escrito pelo nosso querido Dom Alberto Taveira. Todos os anos, através da Editora Canção Nova é lançado um retiro com um tema diferente, que nos ajuda nesse tempo tão rico de nossa liturgia.

Esse ano para mim de forma especial o tema, as leituras, os comentários, tudo tem sido muito edificante. O livro nos indica e sugere um maravilhoso itinerário espiritual que consta das seguintes etapas:

1. Oração

2. Leitura orante da Palavra de Deus

3. Vida cristã, vida Igreja

4. Gestos penitenciais

5. Campanha da Fraternidade

6. Páscoa da Ressurreição

O tema desse ano, Peregrinos, vem nos lembrar do que somos aqui na Terra, apenas peregrinos, estamos apenas de passagem por aqui, nosso destino é voltarmos para o lugar de onde partimos: O Céu!

Estamos aqui em peregrinação e peregrinar, significa: Percorrer um trajeto, um percurso em direção a uma meta. Os judeus passaram 40 anos peregrinando pelo deserto em busca da Terra Prometida. Essa peregrinação foi um tempo de provação e crescimento, rumo à Canaã e todas as vezes que o povo de Deus se acomodou, o Senhor enviou ajuda, para que não perdessem o rumo. No caminho foram muitas as tentações: contendas, idolatria, murmuração; pecados que nos afastam do caminho e que muitas vezes nos levam a desistir da caminhada.

Talvez você hoje se encontre como um peregrino perdido, que errou o caminho e não sabe mais como voltar. Talvez as ilusões e os prazeres do mundo tenham lhe cegado, o desejo do ter e do poder tenham lhe seduzido, mas agora você acordou e quer voltar, pois muitas pessoas querem encontrar segurança e buscar a felicidade imediata, deixando habitar no seu coração apenas seus sonhos, os sonhos humanos. “A experiência de fé abraça os sonhos que só Deus pode inspirar e estes são do tamanho da eternidade”, Jesus então te acolhe e te abraça, te dá a mão para te ajudar nesse trajeto de retorno ao verdadeiro caminho.

Deixe que Jesus lhe acompanhe na peregrinação de sua vida, pois nos caminhos por onde passar muitas vezes você irá se deparar com pedras, espinhos, lama, barreiras, bloqueios ou atalhos, que são perigosos pois a facilidade desses atalhos podem lhe levar a perdição(que significa o ato de perder-se).

Como bons peregrinos que somos queremos estar lado a lado com nosso Guia, com nosso Mestre, com nosso Senhor, que como o bom Pastor que é nos leva pelo verdadeiro caminho, que nos levará ao verdadeiro ponto de chegada, para assim cantarmos como o salmista:

“Felizes os que em vós têm sua força e se decidem a partir quais peregrinos! Quando passam pelo vale da aridez, o transformam numa fonte borbulhante, pois a chuva o vestirá com suas bênçãos. Caminharão com um ardor sempre crescente e hão de ver o Deus dos deus de Sião”.

(Sl 84,6-8)        

Um grande abraço a todos e uma feliz e santa peregrinação!

Fraternalmente,

Fabiana Paula


Quaresma, tempo favorável de conversão!

março 12, 2011

Orar, Jejuar e viver o amor, convites do tempo quaresmal!

Estamos vivendo um tempo belo e precioso na liturgia de nossa Igreja que é o tempo quaresmal.

A quaresma são 40 dias que passamos, desde a quarta-feira de cinzas até o Domingo de Ramos, onde vivemos um espírito de oração e conversão, motivados pelas leituras e práticas espirituais que a Igreja nos convida.

Cada semana da quaresma devemos estar movidos pelo desejo de uma vida de oração mais profunda, de uma intimidade com Deus e como resultado dessa intimidade, uma verdadeira conversão.

A palavra que me vem ao coração é: SILÊNCIO.

Sei que nesse tempo, preciso silenciar mais meu coração, pois só podemos ouvir o que o outro tem a dizer se nos calarmos. Muitas vezes somos assim, nossa oração se torna um monólogo com Jesus, onde falo o tempo inteiro, faço pedidos, reclamações, murmuro, choro, faço uma lista de exigências ao Senhor e não permito que ele fale ao meu coração, que me responda e que conduza meus caminhos, meus passos.

Precisamos aprender a silenciar e esse é o convite que faço a você, pois essa será uma das minhas motivações quaresmais, ser íntima de Jesus e para ser íntima do Senhor, preciso ouvir o que meu Mestre, meu Amigo tem a me dizer. Se quero ser fiel, obediente, preciso ouvir sua voz que me guia, que me orienta. Quero que esse tempo seja um tempo de conversão verdadeira, porém, para que isso aconteça, preciso renunciar às minhas vontades, para ouvir e fazer a vontade do Senhor.

Aproveite meu querido irmão esse tempo de graça, não deixe que ele passe despercebido por você, não se sinta pressionado, mas sinta-se livre para viver as penitências, as mortificações, as renúncias que precisamos fazer para sermos mais e mais livres.

E pense consigo mesmo: O que preciso fazer para ser alguém melhor? Será que preciso fazer um jejum de alimento, para regrar minha vida no autocontrole? Será que preciso desligar a televisão de minha casa, onde entra tanto pecado e devassidão? Será que preciso renunciar a programas que não me trazem nada de positivo, mas só contaminam meu coração com o pecado e os maus pensamentos? Será que preciso frear minha língua que muitas vezes é canal de fofocas e maledicências?

Pense no silêncio do seu coração, quais as brechas que precisam ser fechadas e por onde o inimigo de Deus teima em entrar. A oração vai fechar essas brechas e lhe deixar alerta, atento às tentações que o inimigo lhe traz.

Uma ótima quaresma e vamos nesse período aqui no blog, partilhando temas próprios para nos ajudarem a viver melhor e alcançarmos nossos objetivos espirituais.

Um ótimo fim de semana!

Fiquem com Deus!

Fabiana Paula


Não olhes para trás!

fevereiro 22, 2010

O texto de Gênesis 19, versículo 17, trata da destruição de Sodoma e Gomorra, das armas que o inimigo usou  para destruir a cidade e seus habitantes. No mundo em que vivemos, muita coisa está parecida com Sodoma e Gomorra. Se lemos os versículos anteriores a Gênesis 17, veremos que as pessoas não deram crédito aos sinais da destruição. Ló, porém, acreditou e o anjo de Deus puxou-a pela mão para fora da cidade.

A primeira grande ordem de Deus: NÃO OLHE PARA TRÁS.

Nós somos muito apaixonados pelo passado, tanto das boas lembranças, como das infelizes.

E é isso que o inimigo mais gosta de ver, o ser humano preso ao passado. Relembrando e remoendo fatos passados. O que aconteceu com a mulher de Ló por ter olhado para trás? Virou estátua de sal. Estátua é coisa parada, que não tem vida. Tem muita gente estátua por aí. A pessoa que se torna estátua de sal fica azeda, tem o dom de guardar tudo o que é ruim, de sua vida e da vida dos outros, vive amargurada.

NÃO OLHE PARA TRÁS…

Você engatou uma ré na sua vida? Você sabe quando usamos a ré? Quando é preciso fazer uma manobra em que é absolutamente impossível ir para frente. Quando estamos em lugar estreito, temos duas regras para usar a ré. Primeira: com muita atenção, e é por isso que existem espelhos retrovisores. Segunda: devagar. Hoje Deus nos pede para engatarmos as marchas que nos levarão para frente, nada de marcha ré.

 A ordem de Deus é essa:

NÃO OLHE PARA TRÁS…

Os seus pecados Jesus já levou, por isso, não viva preso a eles. Você deve confessá-los e se Jesus os perdoou, não há porque viver lembrando e sofrendo à toa.

Vamos fazer hoje esse propósito de recomeço, de uma vida nova. Jesus quer que olhemos para frente, visualizando o presente e tudo que de bom está por vir pelas suas mãos.

Rezemos juntos:

“Meu bom Jesus, não quero estar preso(a) ao meu passado, quero colocar em tuas mãos todas as lembranças que me magoaram, feriram e deixaram marcas em mim. Sei de minhas limitações, mas sei também que teu amor e misericórdia é maior que o meu pecado e as marcas em minha história de vida”.