Você já ouviu falar de Gianna Beretta?

gianna-beretta

Continuando nossas partilhas sobre o valor da Vida Humana, quero que conheçam o exemplo de Gianna Beretta.
Abraço fraterno,
Fabiana Paula.

“Possa a nossa época descobrir de novo, através do exemplo de Gianna Beretta Molla, a beleza pura, casta e fecunda do amor conjugal, vivido como resposta ao chamamento divino”! (João Paulo II)

Gianna Beretta nasce em Magenta (Milão, Itália) aos 04 de outubro de 1922. Desde sua primeira juventude, acolhe plenamente o dom da fé e a educação cristã, recebidas de seus ótimos pais. Esta formação religiosa ensina-lhe a considerar a vida como um dom maravilhoso de Deus, a ter confiança na Providência e a estimar a necessidade e a eficácia da oração.
Durante os anos de estudos e na Universidade, enquanto se dedicava diligentemente aos seus deveres, vincula sua fé com um compromisso generoso de apostolado entre os jovens da Ação Católica e de caridade para com os idosos e os necessitados nas Conferências de São Vicente. Laureada em medicina e cirurgia em 1949 pela Universidade de Pavia (Itália), em 1950 abre seu consultório médico em Mêsero (nos arredores de Milão). Especializa-se em pediatria na Universidade de Milão em 1952 e, entre seus clientes, demonstra especial cuidado para as mães, crianças, idosos e pobres.
Enquanto exercia sua profissão médica, que a considerava como uma «missão», aumenta seu generoso compromisso para com a Ação Católica, e consagra-se intensivamente em ajudar as adolescentes. Através do alpinismo e do esqui, manifesta sua grande alegria de viver e de gozar os encantos da natureza. Através da oração pessoal e da dos outros, questiona-se sobre sua vocação, considerando-a como dom de Deus. Opta pela vocação matrimonial, que a abraça com entusiasmo, assumindo total doação «para formar uma família realmente cristã».
Inicia seu noivado com o engenheiro Pedro Molla. Prepara-se ao matrimônio com expansiva alegria e sorriso. Ao Senhor tudo agradece, e ora. Na basílica de São Martinho, em Magenta, casa aos 24 de setembro de 1955. Transforma-se em mulher totalmente feliz. Em novembro de 1956, já é a radiosa mãe de Pedro Luís; em dezembro de 1957 de Mariolina e, em julho de 1959, de Laura. Com simplicidade e equilíbrio, harmoniza os deveres de mãe, de esposa, de médica e da grande alegria de viver.
Em setembro de 1961, no final do segundo mês de gravidez, vê-se atingida pelo sofrimento e pela dor. Aparece um fibroma no útero. Antes de ser operada, embora sabendo o grave perigo de prosseguir com a gravidez, suplica ao cirurgião que salve a vida que traz em seu seio e, então, entrega-se à Divina Providência e à oração. Com o feliz sucesso da cirurgia, agradece intensamente a Deus a salvação da vida do filho. Passa os sete meses que a distanciam do parto com admirável força de espírito e com a mesma dedicação de mãe e de médica. Receia e teme que seu filho possa nascer doente e suplica a Deus que isto não aconteça.
Alguns dias antes do parto, sempre com grande confiança na Providência, demonstra-se pronta a sacrificar sua vida para salvar a do filho: «Se deveis decidir entre mim e o filho, nenhuma hesitação: escolhei – e isto o exijo – a criança. Salvai-a». Na manhã de 21 de abril de 1962 nasce Joana Manuela. Apesar dos esforços para salvar a vida de ambos, na manhã de 28 de abril, em meio a atrozes dores e após ter repetido a jaculatória «Jesus eu te amo, eu te amo» morre santamente. Tinha 39 anos. Seus funerais transformaram-se em grande manifestação popular de profunda comoção, de fé e de oração. A Serva de Deus repousa no cemitério de Mêsero, distante 4 quilômetros de Magenta, nos arredores de Milão (Itália).
«Meditata immolazione» (imolação meditada), assim Paulo VI definiu o gesto da Beata Gianna recordando, no Ângelus dominical de 23 de setembro de 1973, «uma jovem mãe da Diocese de Milão que, para dar a vida à sua filha sacrificava, com imolação meditada, a própria». É evidente, nas palavras do Santo Padre, a referência cristológica ao Calvário e à Eucaristia.
Foi beatificada por João Paulo II no dia 24 de abril de 1994, no Ano Internacional da Família.

3 Responses to Você já ouviu falar de Gianna Beretta?

  1. Assuires disse:

    Acerca do assunto em questão, falando de aborto e sobre a beata que foi sugerida a leitura pela nossa irmã da Obra de Maria, Fabiana; gostaria de deixar registrado a resposta que fiz à pergunta formulada no yahoo respostas, sobre a seleuma do aborto causado pela equipe médica em Recife e criticada pelo arcebispo Dom José Cardoso.

    Leiam, com atenção:

    ” O que você acha do arcebispo ter condenado o aborto na menina de 9 anos estuprada e grávida de gêmeos?”

    Para arcebispo, excomunhão é ‘remédio espiritual’
    http://br.noticias.yahoo.com/s/06032009/

    • Manaus, AM, 06 de março de 2009

    Tomamos conhecimento do caso em questão. Tivemos o cuidado de ler as opiniões anteriores acerca do assunto, por parte dos amigos do yahoo respostas.
    Antes, pela manhã, vimos um rápido artigo num jornal local, em Manaus…
    Devemos dizer que conhecemos pessoalmente o Sr Bispo Dom José Cardoso Sobrinho. Apesar das opiniões em contrário, no contato que com ele travamos, nos foi possível perceber o seu lado humano. Não podemos coadunar com as impressões que o execram!
    De fato, a sua posição foi dura e causou polêmica; como já era esperado. Notamos que, até os comentários de Nr 119, poucos, muito pouco foram favoráveis à sua medida e posição. É algo que mereçe respeito, particularmente por estarmos no Brasil, pátria que adotada a liberdade de expressão e o respeito às individualidades. Pensamos que isto seja muito bom!!!
    No entanto, há que se considerar o fato de que PEDOFILIA é um assunto e ABORTO é outro.
    No caso em tela, a posição da Igreja foi a de se posicionar contra o aborto, que é crime! Não quis se referir ao crime (também) da pedofilia. Penso que isto, para as pessoas sensatas, tenha ficado muito claro.
    Isto posto, podemos verificar que o ato de abortar foi “autorizado” pela mãe e executado pela equipe médica. É necessário que demos “a César o que é de César e a Deus o que é de Deus”. Ratificamos: a Igreja se posicionou contra o ABORTO. Independente de estarmos sob os aupícios da lei que autoriza o ato nestes casos… Pensamos que a lei poderia ser revisada!!! (…)
    Alguém neste espaço disse que se a equipe médica se recusasse ao procedimento poderia ser penalizada juridicamente. Pode ser. Mas a questão não repousa sobre este aspecto.
    O aborto, no Brasil ainda não foi autorizado; salvo essa “brecha” na lei…
    Refletir sobre a questão da excomunhão, em nosso País e num contexto comtemporâneo pós-moderno, talvez não seja o caso. Seria aparentemente simples alguém se eximir do peso da consciência, apenas afirmando que nunca fui ou que não é mais católico. Questão resolvida sobre este aspecto!
    Pensamos que a posição da Igreja vai mais além que uma simples “excomunhão”, afinal _ excomungar _ é a sua instância máxima, enquanto Instituição Religiosa… Porém a reflexão vai muito mais além e; com os homens, sem os homens e apesar dos homens, ela esta posta!

    Acreditamos que a desição do Bispo Dom José foi acertada!!!

    Consideramos que a posição do Senhor Presidente do Brasil, esta sim, foi precipitada. Talvez ele sim, se retrate, tão logo tenha a assessoria correta… Esperemos que ele faça isso! Sem querer, ele (o presidente) se posicionou a favor do aborto. E aborto, no Brasil, é crime!!!

    A equipe médica não possui freios psicológicos e/ou espirituais para agir de forma diferente do que agiu. Talvez pudesse ser relevada. Também a atitude da mãe da criança de 09 anos. Nos coloquemos no lugar dela… Precisa de ajuda e de apoio.

    Quanto à criança, “quase” mãe precoce, nada e nem ninguém poderia garantir que a sua gravidez pudesse ser levada a mal termo. A nossa ciência já evoluiu o suficiente para garantir, se assim o desejasse a garantia de vida dos três. Desafiamos a alguém provar o contrário!!! Veja-se o caso dos anencéfalos, que são atrozmente assassinados pelo fato de a lei, inclusive declará-los sem condições de sobrevida… Autoriza, inclusive a retirar os seus órgãos… E temos casos, vários casos de pessoas que puderam nascer assim e permanecem vivas até hoje. Basta procurar. O que pode estar, isto sim, por trás de tudo isso? Não seria teoria arquitetada pelos Tink Tanks (tanques pesados)? Alguém já ouviu falar deles? Pesquisem…

    Não obstante a excomunhão da Igreja, ela (a mãe) e a euipe médica poderá se reconciliar (não com Igreja _ isto é pessoal de cada um) mas com a própria consciência.

    Falando em ciência e religião, Freud já houvera afirmado:

    – “A religião sem ciência é cega. Mas a ciência sem religião é manca”

    Hipólite Leon Denizard Rivail (francês, pedagogo) também disse:

    – “Quando a ciência avançar, avançem com ela!”

    O que de fato é de se lamentar, (na nossa opinião) é a profunda falta de respeito; no caso em particular, de alguns internautas do YR em se posicionar da forma agressiva e chula em relação à atitude de Dom José.Estranha o fato do silêncio dos demais… Afinal, alguém também já houvera dito:

    – “O que me amedronta, não é o barulho dos maus; mas o silêncio dos bons!”

    Me solidarizo com Dom José Cardoso Sobrinho. A ele, minha benção. Aos amigos do YR, minha mão estendida à palmatória, se estiver errado.

    E assino (não como anônimo): assuires@yahoo.com.br

    Paz!!!

  2. Débora disse:

    Diante desta sociedade em que vivemos onde vemos tantos valores essencias sendo escanteados, as pessoas cada vez mais insensíveis a realidade humana nos tras preocupação.Conhecermos pois exemplos de pessoas que doam suas vidas em favor do outro nos levar a olhar a vida pro outro angulo e ter uma nova esperança, que existe muita bondade para ser despertada dentro de cada um.Que a bondade existente em nossos corações movam nossas atitudes e assim outras pessoas sejam incentivadas.

  3. fabianapaulaodm disse:

    RESPOSTA:

    Queridos irmãos Assuires e Débora, muito obrigada pela resposta de vocês que enriqueceram este blog.

    Neste tempo em que defender a vida é algo retrógrado, onde a mulher é “dona” de seu corpo e acha que pode fazer o que bem entende, precisamos deixar vir a tona as palavras de Jesus, seus ensinamentos, sua doutrinária e a salvação que foi trazida a todos…

    Obrigada Assuires por suas colocações tão precisas, num alto grau de intectualidade e de espiritualidade.

    Obrigada por abraçar a vida.
    Deus os abençoe,
    Fabiana Paula.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: