Parábola do Rico E Lázaro    

parabola-do-rico-e-lazaro

 Ora, havia certo homem rico  que se vestia de púrpura e de linho finíssimo e que, todos os dias, se regalava esplendidamente .

Havia também certo mendigo, chamado Lázaro, coberto de chagas, que jazia à porta daquele;

 e desejava alimentar-se das migalhas que caiam da mesa do rico; e at;e os cães vinham lamber-lhe as úlceras.

 Aconteceu morrer o mendigo e ser lavado pelos anjos para o seio de Abraão; morreu também o rico e foi sepultado.

 no inferno, estando em tormentos, levantou os olhos e viu ao longe a Abraão e Lázaro no seu seio

 Então, clamando, disse : Pai Abraão, tem misericórdia de mim! E manda Lázaro  que molhe em água a ponta do dedo e me refresque a língua, porque estou atormentado nesta chama.

Disse, porém Abraão : Filho, lembra-te de que recebeste os teus bens em tua vida, e Lázaro igualmente, os males : agora, porém , aqui, ele está consolado; tu, em tormentos

 e, além de tudo, está posto um grande abismo entre nós e vós, de sorte  que os querem passar daqui para vós outros não podem, nem os de lá passar para nós

 Então, replicou pai, eu te imploro  que mandes à minha casa paterna,

 porque tenho cinco irmãos; para que lhes dê testemunho a fim de não virem também para este lugar de tormento. 

 Respondeu Abraão : Eles têm Moisés e os Profetas; ouçam-nos.

 Mas ele insistiu : Não, pai Abraão; se alguém dentre os mortos for ter com  eles, arrepender-se-ão .

 Abraão, porém, lhe respondeu : Se não ouvem a Moisés e aos Profetas, tampouco se deixarão persuadir; ainda  que ressuscite alguém dentre os mortos.  

 

  O rico levou uma vida egocêntrica. Escolheu mal e sofreu eternamente. Lázaro viveu a totalidade da sua vida na pobreza, mas seu coração era reto para com Deus. Seu nome significa : “Deus é meu socorro” , e ele nunca abdicou da sua fé em Deus. Morreu e foi imediatamente levado ao Paraíso, para estar com Abraão. Os destinos desses dois homens foram irreversíveis a partir da sua morte. 

  Seio de Abraão- Uma figura de linguagem usada por Jesus nesta parábola, ilustrando o grande abismo, posto entre a bem-aventurança do paraíso e a miséria do hades (inferno). O falecido Lázaro é descrito como alguém reclinado próximo de Abraão, na festa dos benditos, segundo a maneira judaica que levava a cabeça de uma pessoa quase a encostar-se contra o peito de outra que estivesse reclinada mais para cima. E era nessa posição que ficava o hóspede mais favorecido em relação ao anfitrião. Reclinar-se no seio de Abraão, na linguagem  talmúdica, era igual a entrar  no paraíso.  

Anúncios

2 Responses to

  1. Romildo Ribeiro disse:

    Essa parábola deveria ser a mais divulgada na sociedade atual.As pessoas mesmo esquecidas dos menos favorecidos, um dia vai se arrepender, mas como o homem rico, poderá ser tarde de mais.

  2. Brenda Thaise disse:

    -Se puder fazer uma postagem mais abrangente do assunto,ficarei grata..
    enfim,está ótimo…parabéns!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: