Ano Paulino – Parte I

Brasão do ano Paulino

Paz e Bem povo santo de Deus!

O nosso querido Papa Bento XVI em comemoração ao aniversário de 2000 anos do nascimento do apóstolo Paulo promulgou o ano paulino que começou no dia 28 de junho de 2008 e vai até 29 de junho de 2009.

Neste ano tão especial a Basílica de São Paulo fora dos muros, na cidade Roma, (cidade onde ele morreu e foi sepultado) onde repousam seus restos mortais estão, está pronta para receber a multidão de fiéis esperada pela Igreja para a comemoração do ano paulino. A porta santa – paulina está aberta e os fiéis poderão receber as indulgências plenárias concedidas por ocasião da festividade.

Então gostaria de partilhar com vocês uma série de formações sobre a vida e a história deste que foi um dos maiores propagadores da Palavra do Senhor no início da era cristã.

FAMÍLIA E INFÂNCIA

Paulo se chamava também Saulo (At.13.9), nome hebraico derivado de “Saul”, que significa “pedido”. Nasceu em Tarso, na Cilícia, no ano 1 d.C. (At.21.39). Era judeu por descendência e romano devido ao status de sua cidade natal no Império (At.16.37; 22.25-30) e o fato de seu pai ser também cidadão.

Os antepassados de Paulo viviam na Galiléia e depois migraram para Tarso. Eram, portanto, judeus da diáspora. Não sabemos os motivos da mudança, já que eram várias as razões que faziam com que muitos judeus abandonassem a Judéia. O próprio crescimento do comércio no Império era motivo de muitos deslocamentos.

Tarso era a principal cidade da Cilícia, célebre (At.21.39) e bela. Era um centro cultural, religioso e filosófico. Possuía um templo dedicado a Baal e uma universidade tão importante quanto as de Atenas e de Alexandria.

A família de Paulo pertencia à tribo de Benjamim. Não se sabe o nome dos seus pais, mas apenas que eram da seita dos fariseus, à qual o próprio Saulo aderiu. (At.23.6; Fp.3.5 Rm. 11.1).  

JUVENTUDE, EDUCAÇÃO, OFÍCIO E SEITA RELIGIOSA

Embora Tarso fosse uma ótima cidade, sua cultura e costumes eram estranhos ao judaísmo. Os pais de Saulo parecem ter se preocupado com a formação religiosa do filho. Por isso, Saulo foi morar em Jerusalém (At.26.4), onde estavam sua irmã e seu sobrinho (At.23.16). Tal mudança deve ter ocorrido por volta dos 12 anos de idade, quando todo judeu deveria se apresentar no templo judaico. Daí em diante, o jovem Saulo passou a ser instruído pelo mestre fariseu Gamaliel (At.5.34; 22.3). Tornou-se também um fariseu convicto e extremamente zeloso (Gál.1.14). Pela análise de todos os textos mencionados, entendemos que a família de Saulo era influente. Ele mesmo chegou a possuir algum nível de autoridade política e religiosa em Jerusalém. Pode ter participado do Sinédrio ou simplesmente de uma sinagoga, onde votava contra os cristãos (At.26.10). Parte de sua instrução foi o aprendizado da confecção de tendas, ofício que mais tarde lhe serviria como fonte de renda em algumas viagens.

Foi em Jerusalém que Paulo participou no apedrejamento daquele que ficaria conhecido como Santo Estêvão, um líder de um grupo fervoroso dos seguidores de Jesus, nesta época não se chamava de Cristianismo ainda a doutrina do Cristo, mas sim de “Caminho”. Paulo foi um perseguidor destes seguidores de Jesus, núcleo de cristãos que procuravam difundir a nova fé entre os judeus de Jerusalém.O argumento de Paulo na sua perseguição aos seguidores do “Caminho” era a defesa da “tradição dos pais” e da lei mosaica, que ele via como ameaçada pelos seguidores de Jesus.

Não satisfeito com as perseguições dentro de Jerusalém, Paulo os perseguia em outras cidades, procurando prendê-los a fim de que fossem mortos. Notamos nisso um ímpeto “missionário” às avessas. Nesse tempo de perseguidor, Saulo ainda era um jovem, conforme está escrito em At.7.58; 8.1-3.

Bem, esse só foi o primeira da série de formações sobre o Apóstolo Paulo.

Espero que vocês gostem e caso tenham alguma dúvida ou curiosidade, podem escrever e tentarei responder, consultando meus livros e amigos que estudam e são conhecedores da trajetória de São Paulo.

Um forte abraço a todos.

Fabiana Paula.

Anúncios

One Response to Ano Paulino – Parte I

  1. sisternatividade@hotmail.com disse:

    Ola Fabiana. Tudo bem? Estava aqui procurando algo de Sao Paulo e que fosse convincente e encontrei a sua pesquisa. Esta linda e bem contextuada. Vou medita-la com os meus alunos do curso de teologia para leigos aqui em Boston nos EUA. Se voce me permitir e darei todos os creditos. Thank you so much. God bless you

    Natividade

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: